PRÊMIO

Cmei Antonino Amorim é premiado por trabalho na pandemia

Por: Redação | Categoria: Educação | 06-04-2021 10:17 | 1017
Diretora do Cmei, Ana Maria Costa Heto
Diretora do Cmei, Ana Maria Costa Heto Foto: Bryan Felipe

O Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Antonino José Amorim, localizado na Vila São Pedro em São Sebastião do Paraíso, foi premiado entre as 100 melhores práticas com a Educação Infantil em tempos de pandemia em todo o Brasil. Além de conceber um curso sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) pelo Instituto Singular para o professor inscrito, a instituição também ganhou um valor financeiro para ser investido na prática desenvolvida pelo Centro.

O prêmio foi organizado pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e a Fundação Itaú. Conforme explica a diretora do Cmei, Ana Maria Costa Heto, são levados em consideração alguns critérios para a premiação, entre eles se a prática garante o direito da criança à brincadeira e interação; garantia da aprendizagem e adaptabilidades e, por fim, priorização do vínculo e apoio com a famílias.

Além disso, a prática precisa contemplar as diretrizes previstas para a Educação Infantil pela BNCC. “Foram três etapas. Em um primeiro momento foram selecionadas 600 práticas, na etapa seguinte tínhamos que comprovar como era realizado o nosso trabalho e, no final, foram selecionadas as 100 melhores práticas em todo o Brasil, entre elas a que desenvolvemos aqui no Cmei Antonino José Amorim”, relata.

O prêmio oferecido ao Cmei foi um curso com uma carga total de 40 horas e R$ 1 mil para ser investido na prática desenvolvida pelo Centro. Conforme explica a professora Rafaela Duarte Resende, a prática foi desenvolvida a partir da abordagem Pikler seguida pela Instituição. Essa abordagem, segundo conta, prega o respeito à criança, principalmente, no contato direto com ela, seja por meio do olhar, do diálogo e do toque, onde é estabelecido um vínculo entre professor e aluno.

“A nossa proposta, neste período, foi garantir a continuidade desse laço afetivo com o aluno, mesmo à distância, porque sabemos a importância desse laço de amor entre o professor e o aluno para que ocorra a aprendizagem. Assim, as lembrancinhas que enviamos aos alunos são sempre relacionadas às atividades propostas, e também complementares a estas”, explica.

A professora reforça que o objetivo central era a criação de um vínculo com a criança. Entre essas atividades, ela conta que no início do ano o objetivo foi trabalhar com o nome dos alunos, assim, foi enviado junto a atividade a foto de toda a turma com o nome de cada aluno. “Deste modo, a criança conhece os seus colegas, professores, além de trabalhar os nossos objetivos de acordo com a BNCC”, completou.
(Secom Pref. SSP)

CMEI foi premiado entre as 100 melhores práticas na Educação Infantil em tempos de pandemia