• Dos Leitores •

Estrada de terra vermelha

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 21-07-2021 00:36 | 142
Foto: Reprodução

Era uma estrada de terra vermelha. Estrada esta que existiu séculos atrás.

Em cima dos barrancos havia algumas casas bem simples, que eram para seus donos, verdadeiros palácios!

Aquelas casas eram feitas de barro e pau a pique. O piso era de terra batida. As casas eram constituídas de uma sala, um quarto e uma cozinha bem larga.

Na sala havia uma mesa e duas cadeiras, no quarta havia uma cama com um colchão de palha, um varal para colocarem as roupas, um caixote com um espelho e um pente. Na cozinha havia um fogão de lenha, uma prateleira e um banco. No outro lado da cozinha havia uma cama, também com um colchão de palha. Tanto servia para dormirem, ou para sentarem.

As pessoas que viveram naquelas casas, daquela estrada de terra vermelha, cultivaram hortas de verduras, legumes, ervas medicinais.

Aquelas casas não eram cercadas por cercas nem muros. Todos criavam galinhas, engordavam porcos e também cuidavam de cães e gatos.

Da porta de suas cozinhas todos avistavam uma imensidão de árvores, muitas delas, frutíferas. Os moradores daquela eram muito saudáveis, pois alimentavam-se de frutas, verduras, legumes, frescos e sem agrotóxicos. Viviam em contato com a natureza.

As avós e os avôs ensinavam para seus netos e netas o benefícios das ervas medicinais que haviam lá, para cicatrização de machucados, para combaterem piolhos, para resfriados, picadas de insetos, falta de apetite causada por vermes etc. Por isto tudo dava muito certo. Eram muito felizes!...

Não conheciam médicos, nem farmácias, nem Cemig e nem Copasa. Acendiam um lampião à noite, e buscavam água nas fontes.

Os moradores daquele lugarejo não conheciam televisão, nem telefones, nem livros, nem relógios, nem internet, nem computadores e nem rádios. Apenas tinham sabedoria, que era passada de geração para geração. Eram muito sábios!

Eram tementes a Deus. Faziam muitos orações e observaram bem a natureza.

A sinfonia dos sapos nos brejos, o barulho das águas nos regatos, e o gorjeio dos pássaros ao amanhecer, era para eles, a música linda!

Os moradores daquelas casas, que ficavam naquela estrada de terra vermelha, eram tão felizes!...

Felicidades, que eles não trocariam, pela modernidade de hoje!...
Marene Lizareli Paes