MONTANHAS CAFEEIRAS

Paraíso volta a integrar o Circuito Turístico Montanhas Cafeeiras de Minas Gerais

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Agricultura | 11-08-2021 15:42 | 958
Município paraisense pretende fomentar atividades econômicas com o incremento do turismo regional
Município paraisense pretende fomentar atividades econômicas com o incremento do turismo regional Foto: Roberto Nogueira

São Sebastião do Paraíso vai retornar ao Circuito Montanhas Cafeeiras de Minas, como mais uma forma de incrementar as ações turísticas no município e integrá-lo a região. Neste sentido a Câmara Municipal começou a apreciar nesta semana um Projeto de Lei de autoria do Poder Executivo que prevê a inclusão da cidade no roteiro. A iniciativa vai ao encontro com a crescente expectativa de incrementar a economia local com aumento do fluxo de visitantes, atraídos pelo cultivo do café, pelas tradições regionais e pela exuberante natureza.

O Circuito Turístico é um programa estadual pioneiro no turismo brasileiro, que fomenta a formação de grupos de municípios de uma região. Criado em 2015, os municípios se unem para organizar e desenvolver a atividade turística de forma sustentável, através da integração contínua dos municípios, consolidando uma identidade regional. Atualmente, já estão associados os municípios de Arceburgo, Areado, Conceição Aparecida, Bom Jesus da Penha, Guaranésia, Guaxupé, Itamogi, Jacuí, Juruaia, Monte Santo de Minas, Muzambinho, Nova Resende e São Pedro da União.

Na justificativa do projeto está o argumento de que com o trabalho em conjunto é possível desenvolver o turismo de forma articulada na região e oferecer um produto mais diversificado, além de enriquecer a experiência do visitante, e promover o aumento do fluxo e da permanência dos turistas. O projeto que é de autoria do Executivo informa que a associação é a principal interlocutora dos municípios associados com os governos Estadual e Federal, em parceira com os Conselhos Municipais de Turismo.

A iniciativa do agrupamento entre as cidades tem por finalidade executar a Política Nacional de Turismo junto à cadeia produtiva local. A proposta destaca ainda que a habilitação de Paraíso no Circuito é pré-requisito para o repasse do ICMS Turístico durante o ano.

O Projeto de Lei foi encaminhado inicialmente para análise na Comissão de Finanças, Justiça e Legislação. Para a filiação, o município deverá pagar neste ano taxa administração no valor anual de R$ 6 mil. A contribuição financeira deverá ser utilizada exclusivamente para pagamento das despesas de custeio conforme Plano de Trabalho, e a entidade beneficiada deverá prestar contas dos recursos. Para viabilizar o pagamento, o Poder Executivo pede também autorização para abrir crédito adicional especial no orçamento de 2021 - esse tipo de crédito é usado para despesas que não foram previstas durante a elaboração do planejamento anual.

Já a inclusão no Mapa Turístico Brasileiro é condição para a aprovação de convênios e projetos, para receber direto transferências voluntárias, emendas parlamentares do Ministério do Turismo para obras de infraestrutura, capacitações e patrocínio a eventos.

Dentre as atrações do Circuito Turístico Montanhas Cafeeiras de Minas, destacam-se as visitas às fazendas, onde é possível acompanhar o dia-a-dia da vida no campo, desde a plantação até a moagem do café, passando pela formação das lavouras, colheita e secagem dos grãos. Os retiros de leite, bem como as fazendas de criação de gado, também são importantes presenças no espaço rural. A natureza local, repleta de cachoeiras, rios e matas, favorece a prática do ecoturismo. Por sua vez, as tradições culturais, presentes no calendário de eventos das cidades, expõem os saberes e modos de fazer locais, especialmente nas quermesses, leilões, quadrilhas e apresentações das bandas de música.

Regionalização e estrutura
A regionalização é um modelo de gestão pública que tem sido difundida internacionalmente como forma de se obter um maior aproveitamento de recursos financeiros, técnicos e humanos, criando condições e oportunidades para revelar e estruturar destinos, tornando-os mais competitivos no mercado turístico. Para obter um certificado, o circuito deve cumprir três exigências como estar constituído há pelo menos um ano. As demais são, ser formado por cinco ou mais cidades de uma mesma região com afinidades culturas, sociais e econômicas; e ainda ser entidade sem fins lucrativos, com finalidade exclusiva de promoção e desenvolvimento sustentável do turismo, fortalecendo da Rede Nacional de Regionalização Turística.

Várias das cidades pertencentes ao Circuito Turístico Montanhas Cafeeiras de Minas possuem, cada um Centro de Atendimento ao Turista, disponível aos visitantes, além de atrativos turísticos estruturados e oferta de meios de hospedagem. Importantes rodovias federais e estaduais passam pela região, como a BR-265, BR-491, BR-146 MG-05 e MG-446, que liga a região Sul de Minas com a região oeste do Estado de São Paulo.

Com o Circuito Turístico, a região ganha mais força para atrair novos investimentos que possam incrementar o potencial turístico local. Por meio do trabalho em conjunto de municípios, com afinidades turísticas similares e complementares, fica facilitada a divulgação do potencial turístico da região, o que possibilita atrair investidores privados para a comercialização do destino, promover a melhoria da qualidade de vida das comunidades e gerar emprego e renda para a população.