DEMOCRACIA

Rodrigo Pacheco defende convergência entre os Poderes na defesa da Democracia

Por: Redação | Categoria: Brasil | 17-08-2021 11:21 | 477
Senador Rodrigo Pacheco (Democratas-MG)
Senador Rodrigo Pacheco (Democratas-MG) Foto: Reprodução

BRASÍLIA – O senador Rodrigo Pacheco (Democratas-MG) afirmou, nesta terça-feira (17), que trabalha, como presidente do Congresso Nacional, na busca de pontos de convergência entre os representantes dos Poderes para que as divergências sejam mitigadas pelos mecanismos próprios da Democracia, tendo como base a observância à Carta Magna. Rodrigo Pacheco ainda frisou que seu papel no Parlamento é “não jogar lenha na fogueira”, mas aparar arestas e buscar um rumo para o desenvolvimento do país.

“O nosso propósito é de dar à República aquilo que ela espera, é de identificar pontos de convergências entre as instituições, as divergências serem dirimidas por meio de mecanismos próprios, democráticos, sem risco de ruptura, sem risco de um acirramento entre as instituições que impõem algum tipo de perplexidade com os direitos fundamentais, com as garantias individuais, com os preceitos constitucionais sacrificados, o que seria intolerável. Estamos vendo dificuldades, mas delas, eventualmente, extraímos as oportunidades que o Brasil precisa para sair lá na frente com uma democracia cada vez mais consolidada e com o ambiente de progresso e de desenvolvimento”, afirmou Pacheco durante participação na 22ª Conferência Anual do banco Santander.

O presidente do Senado ainda declarou que, em razão de uma polarização, o país, e especialmente a classe política, está deixando de lado a oportunidade de se unir em meio à crise da pandemia da Covid-19. “Estamos buscando aquilo que nos exige nesse momento, que é a pacificação e a união de propósito no Brasil para enfrentarmos não só a pandemia e os seus reflexos, mas também os desafios que temos de desenvolvimento da nação, a partir de reformas que precisamos fazer, de melhora dos níveis de educação, do aprimoramento da ciência da tecnologia, do planejamento nacional, da assistência às pessoas mais pobres por meio de programas sociais. É esse o nosso propósito”, ressaltou Rodrigo Pacheco.