MEU AMIGO...

Ricardo Oliveira, meu amigo

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 18-08-2021 00:12 | 127
Foto: Reprodução

Abaetê Ary *

- Você não vai aos botecos, ele não vem à Igreja. Por isso vocês não se encontram.

Essa explicação espirituosa e emblemática da irmã dele, explica as razões de eu não tê-lo visto nos últimos tempos. Mas a vontade de fazê-lo era muita. Quem sabe se hoje (17/8), seu aniversário, eu teria tido mais sucesso? Nem que necessário fosse apelar pro Antônio Carlos! Mas Deus tinha outros planos e ontem o chamou para junto de Si. Eu fiquei sem meu irmão, mas por certo o Pai irá me recompensar sua ausência.

Recompensas é o que mais ele merecia. Por tudo e todos os que ele ajudava. A começar por mim, que hoje sou conhecido e por muitos estimado, graças a sua visão jornalística que permitiu ver em mim um colaborador da Gazeta, concorrente deste Sudoeste sem jamais ter sido dele adversário. Ricardo sabia diferenciar as coisas. Companheiro de lutas do Nelsinho, ele sofria com seus reveses, como a recíproca era verdadeira, estou certo.

Reciprocidade era como que seu lema. Sempre foi grato, reconhecendo as colaborações que recebia, de que espécie fossem. Um verdadeiro companheiro.

Camarada na mesa de trabalho, nas fontes - motivos de sua credibilidade - no lazer, em casa, na família. Bom filho, bom pai, bom marido. Bom para sua esposa, de cuja união fomos (Ana e eu) honrosamente convidados a apadrinhar o deleite de Ana, logo levada para cuidar da Casa que o Pai lhes reservou.

Seu padrinho, sinto-me como se de um filho me tivesse apartado. Mas Deus conhece Seus caminhos e há de recompensar-me de sua perda. Como disse no início desta apologia, minha primeira retribuição Ele já deu: Ricardo já está entre Seus escolhidos. Uma segunda Lhe peço: que eu seja merecedor dessa amizade que tanta alegria me trouxe.

Ricardo, interceda por mim para que também eu seja bendito do Pai!

* O autor é membro da Academia Paraisense de Cultura