CURTAS EDIÇÃO

Curtas

Por: Redação | Categoria: Cidades | 11-09-2021 22:07 | 245
Foto: Reprodução

Prós e contras
São Sebastião do Paraíso foi uma das cidades de Minas Gerais que registraram manifestações no último dia 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil, a favor e contra o presidente Jair Messias Bolsonaro. Pela manhã com direito a mega carreata que percorreu diversas ruas de todas as regiões de Paraíso, foram os apoiadores do governo que se manifestaram. Já no período da tarde,  concentração em frente a Prefeitura foi realizado ato público por aqueles que são contrários ao governo com discursos referentes a crise econômica, política e institucional. A propósito já fazem pelo menos quatro anos que em Paraíso não acontece aquele que já foi o tradicional desfile de 7 de Setembro, vem de antes da pandemia.

Boa nova
O prefeito Marcelo de Morais anunciou que nos próximos dias a cidade vai se tornar um verdadeiro canteiro de obras. Serão realizadas ações como refilamento de ruas em trechos estratégicos, como a Rua Geraldo Borges Campos que fica na entrada de Paraíso, para quem vem de Franca e São Tomás de Aquino. Outras vias como a Rua Maria Amélia e Alferes Patrício terão a continuidade dos serviços com colocação de capa asfáltica. Também será feito um trabalho grande na Avenida Darcio Cantieri e região para a captação de água pluvial. Quem passa por esta via em dias de chuvas sabe o tamanho do problema existente devido ao grande volume de água que escorre nas imediações.

Danos
A chuva e o vento de quinta-feira,9, em São Sebastião do Paraíso causaram vários danos por toda a cidade. Segundo a prefeitura foram registradas pelo menos seis quedas de árvores o que mobilizou equipes de trabalho para a desobstrução de vias. Redes de energia foram afetadas e deixou a cidade desabastecida de água em grande parte, durante toda a cidade. Um dos principais problemas ocorreram com as tendas instaladas na Arena Olímpica onde ocorre a vacinação contra a Covid. Várias foram danificadas inviabilizando o trabalho no final da tarde de quinta e também na sexta-feira. A expectativa é de que na próxima semana retome a vacinação na Arena.

Transferência
De forma emergencial a vacinação foi transferida para as instalações da Câmara Municipal. Foi criado um percurso em que os veículos transitavam pela Avenida José de Oliveira Brandão nos dois sentidos e entravam pelo estacionamento do Legislativo, onde do lado externo foi montado o ponto drive thru. A medida pode até ter servido de teste para a aplicação da vacina da Jansen que deverá sair do Posto de Puericultura e terá novo local. Um dos pedidos e reclamações do drive thru no centro são dos comerciantes que se julgam prejudicados devido interdições do trânsito. Se o teste for aprovado, a Câmara poderá receber novamente a estrutura de vacinação. Para quem pedia a descentralização o deslocamento está garantido.

Fenômeno
Nos últimos dias a população de Paraíso e região têm sofrido com os fenômenos climáticos, muitos deles provocados pelo próprio homem. As queimadas alcançaram recorde em vários lugares, mas os registros são cada vez mais assustadores danificando a fauna, a flora numa grande devastação do meio ambiente. Os prejuízos nas lavouras, pastagens e até casas que foram destruídas. Além do fogo, a fumaça tem levado muita gente a procura de ajuda médica para auxílio na respiração. A chuva veio e com ela a fuligem que estava no ar veio a tona com a chuva, trazendo um líquido preto, além de que o dia se transformou em noite assustando os moradores que ficaram intrigados com o fenômeno.

Sem desfiles
Mais uma vez Paraíso vai ficar sem os desfiles dos ternos de Congo e Moçambique no final do ano. Conforme anunciado a decisão não foi unânime e sim por voto da maioria que preferiu que o evento na sua forma tradicional possa acontecer somente em 2022. Falou-se em verba mais “polpuda” e este sim pode ter sido um dos motivos para o cancelamento das apresentações. Há de se considerar que a parte religiosa estará mantida, com missas e outros eventos em que se tenha maior controle dos presentes e se evite aglomerações. Também ficou definido que serão realizadas lives com acesso limitado aos membros dos ternos. Neste ano até o fim do ano praticamente toda a população prioritária já estará vacinada.

Combustíveis
Cópia da ata da audiência pública realizada pela Câmara Municipal de Paraíso sobre preços de combustíveis conforme disse o presidente Lisandro Monteiro, é enviada ao Procon e Ministério Público. Lisandro cobrou maior participação popular em audiências. Divulgamos amplamente e o número de presentes foi pequeno. Não comparecem, depois ficam em redes sociais cobrando da Câmara. Também o prefeito Marcelo Morais teceu comentários dizendo que esperava principalmente a presença de taxistas, pessoal que trabalham com aplicativos e profissionais que utilizam veículos como ferramenta de trabalho.

Arrego
No meio de semana também foi percebida uma movimentação em alguns locais referentes a paralisação dos caminhoneiros. Em Paraíso chegou a circular nas redes sociais pelo menos um vídeo falando que o trânsito teria sido fechado. Assim como nos demais lugares principalmente na região a campanha vem sendo liderada por alguns autônomos, sem a participação de representantes de cooperativas ou centrais dos caminhoneiros, até onde se sabe. Sem uma liderança expressiva de nível nacional ou estadual o movimento não foi longe, sendo dispersado pela ação da polícia e até mesmo com pedido do presidente, que antes tentou encabeçar e agora pediu a suspenção do movimento.

Desabastecimento
Em algumas cidades da região como Cássia e Guaxupé houve corrida dos consumidores para abastecer veículos, com temor de que se repita o que aconteceu em anos anteriores quando a paralisação durou quase 20 dias e houve desabastecimento. Na ocasião os preços que já eram caros para a época foram às alturas e muita gente pagou preço mais caro do litro da gasolina do que se pratica atualmente. Por falta de consciência coletiva e principalmente de atitude os preços não caem mesmo, pois, prevalece a lei da oferta e da procura e enquanto houver quem compre, haverá quem venda e lucre, bem mais do que aquilo do que poderia ser considerado normal ou aceitável. De graça nem relógio de corda.