– HISTORIADOR –

O Homem do Saco

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 11-09-2021 11:16 | 71
Foto: Reprodução

Quase todos nós fomos assustados por nossos pais pelo Homem do Saco. Se você não se comportar, vou chamar o Homem do Saco para te levar embora e por aí vai.

O Homem do Saco é um homem sujo, com barba a fazer, roupas rasgadas, que carrega sacolas com seus pertences. Sem família, sem destino, sem rumo, sem prumo. Quando nossos pais nos assustam com a imagem do andarilho, eles estão dizendo como devemos ser ou comportar para não sermos como ele é.

O IBGE estima que 1% da população brasileira mora na rua. Quanto mais desigualdade social e mais frágil o sistema de saúde e assistência, maior o número de pessoas em situação de risco social. Moradores de rua são aqueles que não pertencem a uma comunidade ou família, e em sua maioria são  portadores de transtornos mentais, dependentes químicos e abandonados pela família a mercê do frio, da fome e falta de higiene.

Ninguém mora na rua sujo, faminto porque quer ou porque é “vagabundo”, morar na rua é consequência do estado mental desses indivíduos. Aqui em Paraíso políticas públicas estão preocupadas com a esta situação, mas a prioridade deveria estar voltada no âmbito da saúde mental. Desviar o olhar a um morador de rua não faz que ele não exista, incitar o medo do Homem do Saco não crianças não as protege.

Particularmente tenho um amigo, o Jair, que vive na rua. Sua família é de Passos. Semanalmente vai a meu escritório receber algumas coisas. Ele disse-me que mora em uma marquise de um prédio aqui no centro. É um homem calmo, letrado, que já viajou a pé e carona por todo litoral do Brasil. Disse-me que mora na rua porque gosta e é feliz!

Será? Mas teve grandes decepções de ordem familiar.

Sebastião Pimenta Filho Cronista
– Historiador –