POLEPOSITION

Presente de natal

Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 23-12-2021 13:29 | 2301
Temporada 2021 veio por encomenda como uma das melhores da história da F1
Temporada 2021 veio por encomenda como uma das melhores da história da F1 Foto: F1

Anos atrás eu escrevi uma coluna às vésperas do natal com o título: “Carta ao Papai Noel”. Lembro-me de ser cumprimentado por algumas pessoas que acharam o texto criativo, onde eu pedia uma Fórmula 1 mais competitiva, com mais ultrapassagens, etc, e tal. Era um daqueles textos de final de ano de pouco assunto já que o campeonato havia terminado no começo de novembro, e àquela altura todo mundo queria mais era curtir as festas de fim de ano.

Sim, escrever é uma arte, principalmente quando não há assuntos relevantes e você precisa passar alguma mensagem para o leitor, o que não é o caso deste fantástico 2021 no automobilismo, em especial a F1. Então hoje, nada de cartinha para o velho Noel que deve ter lido a tal coluna e depois de alguns anos mandou de presente essa temporada com um dos campeonatos mais fantásticos da história da F1. A gente tem o hábito do saudosismo, de achar que antigamente era melhor. Tudo bem, muitas coisas foram melhores do que hoje. Vimos campeonatos empolgantes nos tempos de Senna, Prost, Piquet e Mansell, mas nenhum que eu me lembro de ter acompanhado chegou à última volta da última corrida sem que soubéssemos quem seria o campeão, como na disputa entre Max Verstappen e Lewis Hamilton.

A F1 voltou a ser assunto de boteco, nas rodinhas de amigos. A categoria ganhou vida nova (e que seja longa) na TV Band, que fez um trabalho invejável, algo jamais visto no Brasil, nem nos tempos áureos de Senna e Piquet. Uma equipe entrosada, livre, leve e solta, sem protocolos e que levou a mais honesta cobertura e com respeito aos fãs da F1. E de quebra emendaram com Stock Car, Porsche Cup, Copa Truck, além das Fórmulas 2 e 3, e de todas as sessões de treinos livres da F1 no canal a cabo, Bandsports.

O automobilismo voltou a respirar no Brasil, e isso tem que ser dito e aplaudido. A cobertura que a Band e todo o Grupo Bandeirantes de Comunicação fez em 2021 não só provou que é possível fazer bem feito, como nos mostrou que passamos 40 anos privados de uma cobertura digna da imensa quantidade de fãs que a F1 tem no Brasil. Parabéns à Band e equipe!

Max Verstappen sagrou-se o novo campeão Mundial, o 34º a ingressar na galeria de vencedores em 72 anos de existência da F1. Uma conquista que como em toda competição agradou uns e desagradou outros. Os torcedores de Hamilton que o digam. Mas de um modo geral um novo nome, um jovem determinado e destemido como Verstappen faz bem para a F1 que cansou de ver Hamilton ganhar. Mas se fosse Lewis o campeão, não é menos verdade que estaríamos vendo a história ser escrita com o maior campeão de todos os tempos. Seria o 8º título de Hamilton, superando os 7 que até pouco tempo parecia uma marca inatingível de Michael Schumacher, mas que o próprio Hamilton igualou no ano passado.

E a temporada reservou surpresas como a vitória de Esteban Ocon na Hungria, a volta de Alonso ao pódio, a vitória da McLaren depois de 9 anos, a confirmação e ascensão de estrelas como Lando Norris, Charles Leclerc, Carlos Sainz Jr, George Russell. Essa geração de jovens pilotos promete um futuro de grandes disputas na F1 daqui para frente.

No automobilismo nacional assistimos a conquista de Gabriel Casagrande na Stock Car, o 19º campeão diferente da categoria numa temporada não menos equilibrada, o que é quase uma regra na principal categoria do automobilismo brasileiro.

2021 foi um ano difícil para muitos, seja pela pandemia, pelas dificuldades econômicas e por várias outras razões. Mas no esporte a motor já deixou saudade.

Feliz Natal a todos, e que Papai Noel nos traga outra grande temporada em 2022.