POLE POSITION

Cheio de novidades

Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 22-10-2017 09:10 | 1232
A exemplo de 2015, Lewis Hamilton  pode novamente sair campeão dos Estados Unidos
A exemplo de 2015, Lewis Hamilton pode novamente sair campeão dos Estados Unidos Foto de Getty Images

Quem assistir ao GP dos Estados Unidos, com largada amanhã às 17h, ao vivo pelo SporTV - a Globo fica com o futebol - terá uma corrida cheia de novidades, a começar pela estreia do neozelandês Brandon Hartley, piloto da Porsche e vencedor das 24 Horas de Le Mans, no Mundial de Endurance, que substituirá na Toro Rosso o recém-contratado, Pierre Gasly, que vai disputar a última etapa da Super Fórmula, no Japão, onde tem boas chances de ser campeão.
De uma só vez a equipe satélite da Red Bull ficou sem pilotos já que o espanhol Carlos Sainz Jr. antecipou sua transferência para a Renault no lugar do demitido Jolyon Palmer. O jeito foi trazer de volta o russo Daniil Kvyat que foi colocado de molho depois do GP de Cingapura por falta de resultados. Mas Kvyat está na marca do penalty, correndo o risco de tomar uma corrida de suspensão caso faça alguma bobagem durante o final de semana que o leve a perder pontos na superlicença, uma espécie de carteira de motorista dos pilotos. Ao atingir 12 pontos no período de 12 meses, o piloto fica suspenso por uma corrida. Desde o surgimento da regra, em 2014, ninguém foi punido, mas Kvyat é o que está mais próximo com 10 pontos acumulados.
Fato é que a volta do piloto que a Toro Rosso tenta se livrar, e a estreia de Hartley, de 27 anos, que em 2010 foi dispensado do programa de formação de jovens pilotos da Red Bull, mostra total falta de opções no momento e um certo declínio no programa da equipe austríaca que já revelou entre outros, Sebastian Vettel, Daniel Ricciardo, Max Verstappen, e que tem a Toro Rosso como porta de entrada.
Outra novidade no GP dos Estados Unidos é a adesão da Fórmula 1 pela primeira vez na campanha "Outubro Rosa". Faixas que limitam a pista foram pintadas na cor rosa. Os três primeiros colocados na corrida usarão boné cor-de-rosa na cerimônia do pódio que terá ainda as garrafas de champanhe da mesma cor. Alguns caracteres das imagens de TV também serão rosa, e os pneus de composto ultramacios que a Pirelli levou para o final de semana, excepcionalmente ganharam faixa cor-de-rosa no lugar do tradicional roxo.
Este será o 39º GP dos Estados Unidos - o 7º, em Austin -, uma prova que pode definir por antecipação o título em favor de Lewis Hamilton depois dos tropeços da Ferrari em Cingapura, Malásia e Japão. Hamilton lidera o campeonato com 59 pontos de vantagem sobre Sebastian Vettel (306 a 247) e precisa somar 16 pontos a mais que o rival para conquistar o tetracampeonato. São duas as combinações de resultados que podem assegurar o tetracampeonato ao piloto da Mercedes: Vencer com Vettel apenas em 6º, ou terminar em 2º desde que o rival não passe do 9º lugar.
E se a situação de Vettel no campeonato não é das mais fáceis, as estatísticas do GP dos Estados Unidos não são nada animadoras. Ao lado de Ayrton Senna e Michael Schumacher, Hamilton é quem mais venceu a prova com 5 vitórias para cada um. Nas seis provas disputadas no Circuito das Américas, em Austin, Hamilton venceu 4 contra apenas uma de Vettel. Pelo menos no quesito pole position, eles empatam em 2 a 2. Porém, Hamilton já fez 10 poles este ano contra apenas 3 de Vettel.



AGENDA CHEIA
Além do GP dos Estados Unidos de Fórmula 1 com treino classificatório hoje, às 19h, e a corrida amanhã às 17h, final de semana ainda reserva emoções na MotoGP nesta madrugada às 3h, na Austrália, e rodada dupla da Stock Car, amanhã, às 13h, em Tarumã/RS. E o mais importante: tudo ao vivo no canal SporTV.