INTERLAGOS

Em que lugar você colocaria Lewis Hamilton entre os maiores de todos os tempos?

Após conquista do tetracampeonato por antecipação, no México, Hamilton merece destaque entre os melhores pilotos da Fórmula 1
Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 11-11-2017 10:11 | 3034
No capacete de Lewis Hamilton, as quatro estrelas do tetracampeonato
No capacete de Lewis Hamilton, as quatro estrelas do tetracampeonato Foto de Steven Etherington / LAT Images

Sergio Magalhães, de Interlagos, São Paulo




Lewis Carl Davidson Hamilton, 32 anos, 206 GPs, 62 vitórias, 72  pole positions e quatro títulos mundiais na Fórmula 1. Quando este inglês fã confesso de Ayrton Senna, estreou na Fórmula 1 no GP da Austrália de 2007, pela McLaren, então aos 22 anos, trazendo na cor da pele algo que foi bastante explorado pela imprensa mundial por ser o “primeiro piloto negro a competir na categoria”, logo ficou escrito que um dia ele se tornaria um dos grandes nomes da Fórmula 1. Com o passar do tempo o slogan foi deixado de lado, e entre acertos e tropeços num certo ponto da carreira motivado por conflitos familiares com a ex-namorada, a cantora pop, Nicole Scherzinger, e depois com o pai, Anthony, ao colocar a cabeça no lugar, Lewis Hamilton foi construindo uma carreira notável ao ponto de hoje, ser motivo de discussões entre fãs e profissionais que trabalham com a Fórmula 1em tentar encontrar um lugar de destaque que ele mereça estar na galeria dos maiores pilotos de todos os tempos que já passaram pela Fórmula 1.
Afinal, em que lugar você o colocaria nesta lista? Em primeiro lugar é questão de opinião pessoal, cada um tem os seus critérios de avaliação. No meu ranking, por exemplo, eu sempre tive três nomes: Ayrton Senna, Juan Manuel Fangio, e Jim Clark.
Senna por tudo que o vi fazer, dispensa apresentações. Já o argentino Fangio, pentacampeão mundial nos anos 50, e o escocês Clark, bicampeão em 1963 e 65, morto num trágico acidente de Fórmula 2, em 1968, por tudo que já li e ouvi sobre suas carreiras. Com o passar dos anos, engrossei minha lista com Michael Schumacher, sete vezes campeão do mundo, entre os quatro melhores. E então criei o meu top 5, com outro escocês, Jackie Stewart, tricampeão mundial em 1969, 71 e 73, uma pedra no sapato de Emerson Fittipaldi, no começo dos anos 70. 
Pronto: minha lista pessoal dos maiores pilotos de todos os tempos, entre os que vi e não vi correr, tinha então Senna, Fangio, Clark, Schumacher e Stewart. E o que Hamilton vem fazendo nos últimos anos, principalmente nesta temporada em que se tornou recordista absoluto de pole position, e está atrás apenas de Michael Schumacher (91) em número de vitórias, talvez seja hora de me fazer rever conceitos. 
Vez por outra surgem nas publicações especializadas, pesquisas sobre quem é o melhor do mundo. As disputas sempre ficam restritas a Senna e Schumacher, com larga preferência ao brasileiro no final.
Mas tem quem vê com outros olhos. O mais emblemático jornalista inglês, Murray Walkker, de 94 anos, ainda na ativa e que acompanha a Fórmula 1 desde a sua criação, em 1950, quebrou paradigmas e apontou Fangio como o maior de todos os tempos, depois Stewart, Prost e Hamilton. Senna seria apenas o quinto na lista do decano, e Schumacher o sexto. A justificativa de Walker para Senna e Schumacher foi que “ambos tiveram atitudes indesejáveis, pois faziam qualquer coisa para vencer, algumas vezes ultrapassando os limites entre a determinação e a crueldade”.
Como se vê, é tudo questão de ponto de vista e nem sempre haverá consenso. Só uma coisa é certa: Hamilton já está entre os maiores.