CURTAS

CURTAS EDIÇÕES 2153

Por: Redação | Categoria: Cidades | 16-11-2017 08:11 | 729
Foto de Reprodução

ELEVADAS
A Prefeitura de São Sebastião do Paraíso, através da Secretaria Municipal de Segurança Pública, Trânsito, Transportes e Defesa Civil, divulgou nesta semana a relação dos locais onde deverão ser construídas, possivelmente ainda neste ano, as faixas elevadas. Duas serão na Avenida Brasil e duas na Rua Dr. Placidino Brigagão. Também haverá uma na Rua Pimenta de Pádua, na Avenida Monsenhor Mancini. O atendimento de outros locais dependerá de nova licitação que deverá ocorrer somente no próximo ano.




MAIS PRÁ FRENTE
O vereador e presidente da Câmara, Marcelo Morais questionou o local onde uma destas faixas elevadas será construída, localizada na Avenida Brasil, nas proximidades do supermercado, de familiares de um de seus desafetos. Indagou o presidente se não seria mais necessário um dispositivo nas proximidades da E.E. Paula Frassinetti, no São Judas. Foi preciso que os colegas  esclarecessem que o pedido vem desde o ano passado e que não havia nenhuma interferência do secretário de Desenvolvimento Econômico, Ulisses Araújo. 




NOVE E MEIA
Já o vereador José Luiz das Graças reclamava após ouvir um comunicado oficial para uma reunião ontem na Prefeitura. Ele encasquetou sobre o horário dizendo que no dia anterior fora informado que a reunião seria às 9 e posteriormente já na reunião dos vereadores, anunciou-se 9h30. Era o suficiente para em nome da transparência ficar parlamentando por longo período. Por sorte os pares trataram logo de encurtar a conversa não permitindo que a discussão sobre o assunto fosse levada madrugada a dentro. 




INIMIGO
O presidente da Câmara, Marcelo Morais, declarou em alto e bom som que os deputados que votarem a favor a reforma da previdência o terão como grande e ferrenho inimigo político. Ele citou nominalmente os parlamentares Carlos Melles, Renato Andrade e Rodrigo Pacheco. 




COSTURANDO
Por falar em Rodrigo Pacheco, o parlamentar está se posicionando em definitivo em relação a postura que seu partido, o PMDB deverá tomar no próximo ano. Ele é cotado para ser o candidato para concorrer a governador. Em recente entrevista o deputado foi enfático ao defender a sua posição dizendo que “O PMDB não pode ficar a reboque do PT” defendendo o rompimento da parceria e aventando a possibilidade de uma candidatura própria. Nas eleições passada ele ficou em terceiro lugar na disputa à prefeitura da capital. 




INPAR
O contador Silvio Aparecido de Carvalho é o novo presidente do INPAR (Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais). Ele foi indicado e aceitou o cargo, que segundo comenta-se nos bastidores políticos, é um verdadeiro abacaxi. Ao ser apresentado na Câmara demonstrou sabedoria e simplicidade. Mais do que isso os anos de experiência na Prefeitura também aprendeu a ter humildade e sabedoria. Boa sorte para a próxima jornada foi o que lhe desejaram vários amigos. 




GARGALO
Com um déficit mensal de quase R$ 300 mil ao mês, Silvio Carvalho aponta que o gargalo na instituição é o aspecto financeiro. O valor da folha de pagamento do órgão, em valores brutos e avaliada em aproximadamente R$ 1,2 milhão. Conforme disse a cada mês são pelo menos quatro novos servidores, um buraco que só aumenta e parece nunca ter fim. Sobre a polêmica venda de terrenos e repasse de recursos para o instituto, disse que a nova diretoria já tem posição tomada à respeito, mas não declarou qual. O assunto será motivo de futura reunião, inclusive com os vereadores, quando será tomada uma posição e o martelo será batido. Dou-lhe três.




ANUNCIADA
Apesar da tentativa frustrada e em vão de cancelar o feriado de 20 de novembro, pelo menos neste ano, quem também ficarão de folga são os vereadores da Câmara de Paraíso. Na segunda-feira não haverá sessão ordinária. Portanto, a próxima reunião será dia 27. Nesta oportunidade, é anunciada a presença da vice-prefeita e secretária municipal de Desenvolvimento Social, Dilma Aparecida de Oliveira.. 




CONVENÇÃO
O deputado estadual Antônio Carlos Arantes participou no fim de semana da convenção estadual dos tucanos, o PSDB. A presidência ficou com o deputado federal Domingos Sávio. O evento reuniu aves de todas as plumagens, ou melhor, deputados estaduais, federais, prefeitos e lideranças. O senador Aécio Neves também esteve presente e encerrou a sessão. No partido cogita-se no nome de Antônio Anastasia para a disputa ao Governo do Estado em 2018. No entanto, terão de convencê-lo. 




ACERTOU
O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel acertou com os municípios mineiros os repasses atrasados referentes ao Fundeb de origem do ICMS. Foram repassados R$ 50 milhões no dia 07 de novembro e mais R$203.504.787,65 milhões no dia 9, ambos referentes ao dia 17 de outubro. Já no dia 10, foram depositados outros R$ 185 milhões, complementar ao repasse do dia 6 de novembro. Ao que tudo indica a pressão dos prefeitos e o arrocho dos deputados que foram acionados parece estar surtindo efeito. 




PARCIAL
No entanto, em relação ao repasse do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) desta terça-feira, 14, o Governo de Minas depositou R$ 104 milhões pela manhã, ou seja, o equivalente a 22% do total de R$ 465.455.528,62 milhões previstos para serem pagos ontem às Prefeituras de Minas Gerais. No entanto, foi garantido via ofício, endereçado à Associação Mineira dos Municípios que, até o final da tarde, irá depositar mais R$ 256 milhões (55%), perfazendo um total de R$ 360 milhões (77,42%) do valor devido. Assim, o Governo de Minas ainda ficaria devendo do ICMS aos municípios, R$ 105 milhões (22,48%).




MAGISTÉRIO
O aumento anual do piso do magistério está entre os desafios a serem vencidos pelos gestores locais, que enfrentam caótica crise financeira, e é umas das pautas da campanha “Não deixem os Municípios Afundarem”. Fundamental no processo de construção social, o professor deve ser valorizado pelo Estado e respeitado pela sociedade. O movimento municipalista reconhece a indiscutível premissa, mas alerta que o modelo atual, focado principalmente em reajustes salariais, tem levado os Municípios à ingovernabilidade.




SEGURANÇA
A falta de policiamento em Guardinha parece ser um mal crônico. Não poderia por algumas razões. Aquele distrito contribui, e não é pouco, com a geração de renda, e, como tal, com impostos para o Estado. Há uma indústria química implantada gerando ICMS, a atividade do agronegócio compreende fazendas e sítios que por sua vez também são geradoras de trabalho e impostos, além do comércio local. Passou da hora de órgãos de segurança tratarem a questão com mais respeito. Não é favor. É obrigação.