ESCLARECIMENTO

Secretário e engenheira de trânsito esclarecem questionamentos da Câmara

Por: João Oliveira | Categoria: Cidades | 18-11-2017 09:11 | 1015
Foto de Reprodução

O secretário municipal de Segurança Pública, Trânsito, Transporte e Defesa Civil, Miguel Félix e a engenheira responsável do Departamento de Trânsito, Walquiria Caetano de Pádua Vieira, esclareceram à repostagem do Jornal do Sudoeste alguns questionamentos que foram feitos em sessão da Câmara desta semana e também sobre o andamento de algumas demandas que já vinham sendo executadas pela Secretaria, entre elas a municipalização do trânsito e o sistema de vídeo monitoramento dos patrimônios públicos.
Um dos pontos debatido na sessão da Câmara,  foi em relação ao retorno do estacionamento na rua Placidino Brigagão nos dois lados da via na região central. Vereadores haviam questionado se houve estudo dos impactos dessa mudança no trânsito naquele local. De acordo com o secretário de Trânsito, a mudança foi realizada justamente para atender demanda da população por vagas de estacionamento no centro e também coibir autovelocidade naquele local que, conforme destacou Miguel, não é via de trânsito rápido.
"Houve demanda da população que ligou e pediu por esse retorno. Realizamos todo um estudo técnico onde constatamos um índice muito grande de acidentes naquele trecho, tendo em vista as duas faixas de rolamento que havia, inclusive com vítimas fatais. Também levamos em consideração a falta de estacionamento da área central e repassamos essa demanda ao nosso departamento de trânsito, que por sua vez fez todo o estudo técnico e a viabilidade de realizar essa mudança", destaca.
A engenheira e responsável pelo departamento de Trânsito, Walquiria Caetano, explica que a Placidino não é uma via de trânsito rápido e também é uma via onde há muitos comércios onde a demanda para estacionamento seria bastante alta. "Há, além disto, um fluxo muito grande de pedestres e as duas faixas de rolamento havia proporcionado um desempenho maior de velocidade dos veículos que ali trafegam e com isso gerou diversos acidentes, inclusive com vítimas fatais. O comércio também ansiou pelo aumento de vagas e nossa frota de veículos também cresceu bastante, hoje estamos com cerca de 43 mil veículos no município", explica Walquíria.
Ela destaca que somente foram colocadas as vagas de estacionamento onde havia a largura de faixa correspondente e ressalta que ali não seria possível velocidade dos veículos automotores acima de 40 KM/h, mas que a maioria dos condutores não respeita esse limite. "A volta do estacionamento induz a redução de velocidade; a partir do momento que se tem uma barreira, no caso um veículo estacionando, o condutor segue pela via com mais cautela. Ali também havia condutores que andavam no meio de duas faixas e não respeitam esse limite", completa a engenheira.
Sobre o debate que aconteceu na Câmara de possível nova irregularidade no processo de licitação do transporte público, Miguel garantiu que não foi identificado nenhum problema e que o município não está sem contrato com a atual empresa que presta o serviço. Walkiria explicou que foi pedida, até o momento, duas despensas de 90 dias até que  fosse feita licitação, mas que devido aos questionamento que foram feitos por um empresa, que não chegou a concorrer ao processo, ao Tribunal de Contas, fez com que a licitação fosse travada por dois momentos. Ele justifica que isso se deu por precaução do Tribunal tendo em vista que o contrato é de 10 anos e cerca de R$ 50 milhões. 
"Quando assumimos a Secretaria uma das minhas maiores preocupações foi a licitação do transporte público em Paraíso e que está entre as três maiores licitações da Prefeitura. Tomamos a iniciativa de montar uma comissão para realizar o processo e não tem uma pessoa que resolve isoladamente da maneira que está sendo exposta, com privilegio de empresa, muito pelo contrário. Nunca houve na Prefeitura uma preocupação com o processo licitatório da maneira que estamos tendo, tanto que não é momento eu, a Walquirio ou Marcoantonio da Licitação que responde por isso, é toda uma comissão formada", explica o secretário.
"Nós ficamos muito chateados com esses questionamentos da Câmara porque são feitos sem que sequer sejamos procurados e não levam em consideração que há todo um conjunto de servidores ali envolvido e que são sérios. A equipe do prefeito Walkinho é uma equipe séria, que está engajada pelo crescimento da cidade e são funcionário de carreira, que têm amor pela Prefeitura e sua carreira profissional, ninguém vai fazer nada para prejudicar uma gestão por interesse pessoal", completa.




MUNICIPALIZAÇÃO
Sonho prestes a se tornar realidade, o secretário e a engenheira de Trânsito avaliam que até meados do próximo ano o sistema já esta implantado no município. Miguel destaca que agora acontece a estruturação com a formação da Jari, mas que no momento o processo é de elaboração do edital para que seja feita licitação para contratação da empresa de processamento de multas.
Walkiquiria explica que feito esse contrato também é realizado contrato com a Prodemge, que é uma empresa responsável pelo processamento de dados para o Estado. "Estamos também finalizando um contrato com os Correios e dando andamento ao processo para licitação da empresa que irá fazer o gerenciamento de multas no município", explica a engenheira. Finalizada toda a questão burocrática, a expectativa é que até meados de abril do próximo ano a municipalização do trânsito em Paraíso seja realidade.
De acordo com Miguel, a intenção é realizar todo o processo passo a passo e de foram bem estruturada. "Que seja lento, mas que seja bem feito. Nós temos que ter o pé no chão, é um trabalho a longo prazo e começando bem feito, bem estruturado, as chances dele ter um resultado positivo é maior e é esse o nosso objetivo", acrescenta.




VIDEOMONITORAMENTO
Miguel informou ainda que hoje a secretaria já consegue realizar o monitoramento dos patrimônios públicos por meio de uma rede integrada à Prefeitura e que a dificuldade maior hoje é levar esse sistema para os pontos de saída e entrada da cidade. O secretário informou ainda que está tentado firmar parceria com os provedores de internet do município e que até o fim do mês deve receber um parecer sobre a questão.