POLE POSITION

Há sempre um fio de esperança

Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 26-11-2017 14:11 | 4059
Pietro Fittipaldi foi campeão da Fórmula V8 3.5, mas terá ainda um longo caminho até a Fórmula 1
Pietro Fittipaldi foi campeão da Fórmula V8 3.5, mas terá ainda um longo caminho até a Fórmula 1 Foto de Dutch Photo Agency

Pilotos brasileiros conquistaram títulos importantes no exterior no último final de semana. Pietro Fittipaldi, neto de Emerson Fittipaldi, venceu o campeonato da World Series, também conhecida como Fórmula V8 3.5; Bruno Senna foi campeão da classe LMP2 do Mundial de Endurance (WEC), e Eric Granado conquistou o título do Europeu de Moto2. E por muito pouco o mineiro Sergio Sette Câmara não faturou a Copa do Mundo de F3, em Macau, não fosse a batida na última curva, a poucos metros da bandeirada, depois de liderar mais de 80% da prova final ao escorregar e virar passageiro com os pneus já no bagaço.
Embora o caminho ainda seja longo tanto para Pietro, como para Sette Câmara – os mais próximos de alcançar a Fórmula 1 –, não deixa de ser um alento, um fio de esperança para o automobilismo brasileiro que amanhã encerra – momentaneamente – uma longa e fascinante história de 47 anos ininterruptos (784 Grandes Prêmios) na Fórmula 1 que renderam 8 títulos mundiais e 101 vitórias, desde a estreia de Emerson Fittipaldi no GP da Inglaterra de 1970, até agora na despedida definitiva de Felipe Massa, em Abu Dhabi.
É difícil prever quanto tempo levará até que um novo brasileiro desembarque na Fórmula 1. O que dá para afirmar é que a saga brasileira na principal categoria do automobilismo mundial não acaba aqui, com Massa. Ela apenas dará um tempo. 
Eu perguntei ao Rubens Barrichello em entrevista que me concedeu em Interlagos, no final de semana do GP do Brasil, se na atual situação que se encontra o automobilismo no país, teremos que ficar à mercê do surgimento de um supertalento, como o holandês Max Verstappen? A resposta foi positiva: “Tem uma molecada boa vindo aí, temos muitos bons pilotos surgindo no kart e nas categorias de Fórmula, na Europa. Agora é esperar o momento certo para eles se encaixarem na Fórmula 1”, disse.
Uma coisa é certa: Com ou sem piloto, a Fórmula 1 seguirá viva no Brasil. Os índices de audiência da TV Globo este ano foram os maiores dos últimos cinco anos. Vale lembrar mais uma vez que o Brasil é o país que registra os maiores índices de audiência da Fórmula 1. É algo expressivo se levarmos em conta que o último título conquistado por um brasileiro foi em 1991, com Ayrton Senna, e a última vitória foi com Rubens Barrichello no GP da Itália de 2009. Felipe Massa não vence desde o GP do Brasil de 2008, quando terminou o ano vice-campeão. Portanto, não é pelo desempenho de pilotos brasileiros nos últimos anos que o índice de audiência aqui é o maior do mundo, mais até que o da Inglaterra, de Hamilton – o berço do automobilismo –, e da Itália pela força e paixão pela Ferrari.
A temporada 2017 da Fórmula 1 encerra amanhã com o GP de Abu Dhabi, 20ª etapa do Mundial que começou em março, na Austrália, e teve até aqui cinco vencedores: Lewis Hamilton (9), Sebastian Vettel (5), Valtteri Bottas (2), Max Verstappen (2) e Daniel Ricciardo (1). Dessa turma só faltou Kimi Raikkonen para completar os seis pilotos das três maiores, Mercedes, Ferrari e Red Bull.
Com Lewis Hamilton tetracampeão desde o GP do México, e com poucas posições intermediarias a serem definidas entre pilotos e construtores, a corrida de Abu Dhabi, a exemplo do que foi o GP do Brasil, há quinze dias, será uma espécie de amistoso, e sem a pressão que a disputa pelo título requer, todo mundo corre relaxado, pensando unicamente em vencer, o que acaba criando expectativas de uma grande corrida para coroar com êxito o que foi uma das melhores temporadas dos últimos anos na Fórmula 1.
Este será o 9º GP de Abu Dhabi, no Circuito Yas Marina. E a estatística foi generosa para esta corrida: no duelo de tetracampeões, Hamilton e Vettel, venceram a prova três vezes cada. Porém, entre as equipes, a Mercedes ganhou três vezes e a Ferrari nenhuma. As três vitórias de Vettel foram conquistadas dos tempos que corrida pela Red Bull.