QUEIMADA VELHA

Produtores da Queimada Velha se reúnem com vereadores na Câmara

Reunião serviu para esclarecer motivos que levaram ao cancelamento do chamamento público para fornecimento à merenda escolar
Por: Roberto Nogueira | Categoria: Agricultura | 20-12-2017 22:12 | 1187
Produtores da Queima Velha se reúnem com vereadores na Câmara
Produtores da Queima Velha se reúnem com vereadores na Câmara Foto de Reprodução

Membros da Associação de Produtores Rurais da Queima da Velha e representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agropecuário (Sedeagro) se reuniram na Câmara Municipal de São Sebastião do Paraíso na manhã de quarta-feira (13/12) para discutir o fato que motivou o cancelamento do chamamento público envolvendo o fornecimento de alimentos da agricultura familiar para a merenda escolar municipal.
O presidente da Câmara, Marcelo de Morais, explicou que havia boatos de que alguns vereadores fizeram pressão para que o certame fosse cancelado. O fato havia sido comentado em sessão passada.
"Isto chamou muito a atenção, sendo que não partiu de nós. Então chamamos todos aqui, tiramos a limpo tudo o que estava acontecendo e, agora, o nosso papel é dar ampla publicidade a isso para que todos os produtores que fornecem alimentos às escolas e creches da rede pública de ensino do município saibam dos reais motivos do cancelamento do chamamento público", disse.
Conforme esclareceu o chefe de departamento da Sede-agro, Marco Aurélio Alves de Paula, a decisão foi tomada após uma conversa na Secretaria onde participaram a nutricionista Renata Pessoni, a servidora Tânia Atair e membros da diretoria da Associação de Produtores da Queimada Velha, eles acharam por bem deixar o chamamento para o próximo ano.
"Isso aconteceu devido à questão de valores da Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP) e pelo fato de já estar terminando o ano. Em consenso com os produtores da associação, a equipe da Licitação também não viu problema nisto, resolvemos fazer o chamamento para o próximo ano", justifica.
A vice-presidente da Associação, Aparecida Reis Nunes de Sá, ressaltou ainda que o cancelamento aconteceu por dois motivos, o primeiro porque o produtor tem um limite de R$ 20 mil para ser vendido para a Prefeitura ao ano e, como o ano já está acabando, esse limite já estava praticamente comprometidos e alguns associados não poderiam mais vender.
"Isso geraria um grande problema entre nós, produtores. Por isso decidimos realizar no início de 2018, porque todos começamos (zerados). O segundo motivo foi a questão dos preços, que agora no final do ano são mais baixos, e a partir de janeiro e fevereiro a tendência é os preços subirem, como entregaríamos somente a partir de fevereiro, achamos melhor deixar para fazer o chamamento e as cotações partir do próximo ano", conta.
Segundo Aparecida, a expectativa é que até final de janeiro de 2018, a Prefeitura dê sequência ao processo. Ela avaliou positivamente a reunião. "Foi uma reunião boa. Às vezes algum produtor não tem informação e há aqueles que criam problema, e está havendo muitos casos. Aquele produtor que fica criando problema não costuma participar dessas reuniões e sai levando informação que não existe para outros, gerando confusão. Nosso trabalho é sério e tentamos fazer o melhor possível", completa.

Produtores da Queima Velha se reúnem com vereadores na Câmara