COMÉRCIO NATAL

Natal movimenta comércio em Paraíso, mas números não surpreendem, dizem comerciantes

Por: João Oliveira | Categoria: Comércio | 27-12-2017 09:12 | 962
Foto de Reprodução

Embora não tenha atendido com margem de lucro muito expressiva, as vendas de fim de ano atingiram as expectativas para a maioria dos comerciantes em São Sebastião do Paraíso e não fechou abaixo do que havia sido registrado no último ano. A Associação Comercial especula um crescimento de pelo menos 5% e espera que agora o setor possa voltar a reagir frente a situação enfrentada pelos empresários nos últimos dois anos.
Para o empresário Francisco Pannaci, da Presidente Joias, que avalia com empolgação as vendas de fim de ano, o movimento foi muito positivo e apesar de não ter registrado um crescimento expressivo, conseguiu manter as vendas e fechar data com números bem positivos. Ele conta que a empresa, que já tem uma tradição de 40 anos no município, enfrentou três crises sérias, mas há seis anos tem se mantido bem estável.
"Apesar do que muito tem se dito sobre crise, nossas vendas foram bem o ano todo. São clientes que já cativamos ao longo de todos esses anos e hoje mesmo, pós-Natal, já aguardavam para que abríssemos a loja tanto para trocar alguns presentes, quando para comprar", destaca o empresário.
A gerente da Donderi Calçados, Luciana Pereira, ressalta que, apesar dos números não terem ficado muito além do que os que haviam sido registrados em 2016, a loja consegui atingir a meta estipulada para esse Natal. Segundo ela, a empresa, que já está no município há 12 anos, enfrentou em 2016 o seu pior ano, mas as expectativas para 2018 são bastante promissoras.
"Nas semanas que antecederam o Natal não houve muita procura, apesar de ter ficado aberto até mais tarde, mas na última semana reagiu bem. Estipulamos uma meta e conseguimos atingi-la; sempre procuramos projetar números para além do esperado, não ficamos nem muito abaixo, mas também não superamos o esperado. A expectativa é que agora, em 2018, o comércio volte a crescer e trazer bons resultados", destaca a gerente.
Conforme Ailton Rocha de Sillos, presidente da Acissp, o comércio já tem apresentado sinais de recuperação da economia e expectativa para o próximo ano é que isso se mantenha. Como já é tradicional todos os anos, a Acissp sempre organiza o Natal Premiado Acissp, com o objetivo de estimular as vendas de fim de ano e sortear prêmios aos clientes das mais de 90 lojas que aderem à campanha.
"Realizamos o sorteio na última quarta-feira e em janeiro há o sorteio de mais vales-compra. Fizemos também uma parceria com a Prefeitura para que a área central fosse bem iluminada e acredito que tenha trazido bons resultados com o comércio fechando até mais tarde. Especulamos que tenha havido um aumento de pelo menos 5% em relação ao último ano, mas os comércios maiores tiveram vendas um pouco melhores", completa.




COMÉRCIO NACIONAL
Levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) havia apontado que a expectativa de alta para as vendas no período seria de 5,2% em relação a 2016, com movimentação de R$ 34,9 bilhões em todo o País.
Para o período, a CNC ainda havia projetado uma estimativa de abertura de 74,1 mil vagas temporárias durante as festas, correspondendo a 10% a mais que no ano passado. A projeção do Natal de 2017, que foi corrigida pela CNC no início de dezembro, refletiu o aquecimento do comércio ainda maior do que o esperado inicialmente.
Segundo o economista da CNC, Fábio Bentes, o resultado positivo aguardado deu-se à queda da inflação e dos juros e à recuperação do emprego, que permitiu que o trabalhador gastasse um pouco mais com ceia e presentes. Em São Sebastião do Paraíso, por exemplo, a retomada do pagamento de servidores públicos municipais e aposentados contribuiu para o resultado positivo em Paraíso.
Ainda, de acordo com Bentes, neste ano, todas as datas comemorativas importantes, como Dia das Mães, dos Pais e das Crianças, resultaram em bons negócios para o comércio, em comparação a 2016, devido ao melhor desempenho da economia nacional. "Dessas datas, o Natal é o que carrega o maior grau de otimismo, porque neste momento os juros estão ainda mais baixos que no início do ano", completa o especialista.