• Dos Leitores •

P.E.C.B.

Por: Redação | Categoria: Do leitor | 05-02-2018 20:02 | 2047
Foto de Reprodução

No último dia 29 de janeiro em reunião na Câmara Municipal, o nosso Legislativo após fortemente "marcar seu terri-tório", aprovou por unanimidade a entrega da mais completa praça esportiva da cidade, onde poderiam ser explorados diversos esportes, ao CESC. É um patrimônio avaliado em 25 milhões de reais que passa da propriedade da municipalidade para iniciativa privada. 
Os esclarecimentos na sessão da Câmara foram de que, o projeto inicial foi bastante alterado após negociações entre Legislativo e Executivo e que após esta aprovação será sancionado pelo chefe do Executivo. A partir daí o Cesc terá dois anos, prorrogáveis por mais dois, para fazer os investimentos acordados. Não foi esclarecido, no entanto, se a partir desta data, que o imóvel passará definitivamente para a entidade recebedora se ela poderá usá-la ao seu bel prazer, e até mesmo encerrar suas atividades, dando um novo destino ao imóvel. Ou se retornará ao município.
Não foi dito ao povo também que, sendo o Cesc uma entidade de classe, só uma parcela da população terá acesso às suas instalações e aos seus "benefícios". Tudo foi feito dando a entender que o Cesc estava prestando um grande favor ao povo de São Sebastião do Paraíso. 
Será que o verbo não está errado? Ao invés de fazer um favor, ele está recebendo um imenso patrimônio. Um presente que faria a alegria de qualquer um. 
Foi dito também durante esta reunião, que o Executivo encerrou o exercício de 2017 com uma dívida na casa de 78 milhões de reais.  
Pergunto, se esta praça de esportes é dispensável, o melhor não seria vendê-la, e diminuir o endividamento do município?
- Ou sanear os nossos dois hospitais, que estão em situação de penúria?
- Ou liquidar as pendências com o Impar, causadas por diversos prefeitos no passado recente e dar tranquilidade ao aposentado?
- Ou mesmo asfaltar a estada da Guardinha, realizando velho sonho daquele povo? Em síntese, existem diversas opções de utilização destes recursos que beneficiariam toda a população. 
Outra questão a ser esclarecida é o destino do imóvel que o CESC ocupava, e agora abre mão. A conversa é que será doado a UFLA para a criação de um novo campus universitário. Vamos ser claros; acreditar que uma Universidade Federal, no atual governo fará grandes investimentos, é acreditar em história da carochinha. Todas as universidades federais, que são grandes formadoras da inteligência nacional, pelo Brasil afora, estão com falta de dinheiro para suas necessidades básicas. E o governo não está preocupado. Afinal estamos com investimentos contingenciados em educação, ou ninguém se lembra? 
O Cesc tinha, segundo informações, até o ano de 2022 para entrar em funcionamento e agora recebeu um presente mais atrativo.  O que será daquele espaço após esta data? Foi lembrado também que as outras experiências anteriores, com entidades análogas, não surtiram os efeitos desejados.  Afinal a história não é muito animadora conosco, pois, já tivemos faculdade de farmácia, Unifenas, Associação Atlética Paraisense um clube bastante completo, Liga, Recreativa, Eldorado Clube, entre outros e agora, "Já tivemos uma Praça de Esportes".
Quando criaremos espaços de esporte e cultura para abrigar nossa juventude que está nas ruas entregue ao traficante? Espaços públicos, não segregados. 
Com a palavra nossos ilustres governantes. 
Mas vamos em frente que atrás vem gente. Gente ávida pelos benefícios do Cesc e pelos cursos da UFLA. 
"Mesmo com o todavia. Com todo dia, com todo ia, todo não ia, a gente vai levando". (Chico Buarque)
JOÃO BATISTA MIÃO