BATATAS

Produtor rural passa a investir em batatas-doces biofortificadas em Paraíso

Por: João Oliveira | Categoria: Agricultura | 20-05-2018 21:05 | 5628
Variedades foram trazidas pelo produtor em novembro do ano  passado e já passam a ser distribuídas nos mercados do município
Variedades foram trazidas pelo produtor em novembro do ano passado e já passam a ser distribuídas nos mercados do município Foto de Arquivo pessoal

O produtor rural Hélio José Alves de Figueiredo passou a investir em sua propriedade, na região da Antinha, município de São Sebastião do Paraíso, na produção de três diferentes qualidades de batatas-doces, até então difíceis de ser encontradas no município, entre elas a variedade Beauregard, que é de origem norte-americana e foi desenvolvida pela Louisiana Agricultural Experiment Station e trazida para o Brasil por meio de convênio da Embrapa com o Centro Internacional de la Papa (CIP), do Peru; a batata Yacon, própria para consumo de pessoas com diabetes e a batata-doce Amélia.
De acordo com o produtor, ele viajou até o sul do País, mais precisamente ao estado do Rio Grande do Sul, onde conseguiu as mudas para trazer para o município. “Agora é que de fato começou a produção e começamos a distribuir nos mercados de Paraíso, há 15 dias. Tive conhecimento dessa qualidade em pesquisas na internet e decidi trazer sua produção para cá. É uma batata macia, de fácil preparo e a sua principal característica são suas propriedades, que estão acima da batata-doce comum”, elucida.
A qualidade Beauregard, conforme destaca o produtor, foi trazia para o Brasil e testada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que passou a recomendar o seu cultivo por este tubérculo apresentar um grande diferencial em relação aos demais: a polpa alaranjada. A cor laranja da polpa da Beauregard, segundo a Embrapa, indica a maior presença do pigmento betacaroteno, também conhecido como provitamina A. Em variedades de polpa branca, a concentração de betacaroteno é inferior a 10 miligramas por quilo de raiz e na Beauregard essa substância pode chegar ao teor de 115 miligramas por quilo de raiz, sendo considerada, assim, biofortificada.
Segundo especialistas do campo da nutrição, o betacaroteno é um antioxidante muito importante e essencial para o bom funcionamento do nosso organismo, uma vez que ele é um carotenoide, encarregado de dar coloração vibrante para alguns alimentos como o amarelo da manga e o laranja da cenoura. Quando ingerimos o betacaroteno, ele pode se transformar em Vitamina A, que é um componente muito importante para manter a saúde do organismo e pode agir como antioxidante, que auxilia na proteção das células contra a ação dos radicais livres, muito indicado para quem sofre com deficiência  nutricional, especialmente crianças e idosos.
“Também passamos a produzir a batata Yacon, que veio da região dos Andes e é consumida como se fosse uma fruta, lembra muito a pera e, para quem tem diabetes, ela ajuda a controlar a doença. É muito gostosa”, destaca Hélio. Apesar de levar o nome de batata Yacon, ela não pertence a mesma família da batata, mas ficou conhecida pelo nome no Brasil e em outros países como Peru, Argentina, Nova Zelândia, Japão e outros da Europa.
Além dessas duas qualidades, o produtor destaca também a produção da batata Amélia, também rica em carotenoides e, fácil preparo. “O custo-benefício varia entre  R$ 2,8 e R$ 3 reais o quilo destas batatas, dependendo do mercado. 
Hoje conseguimos atingir a uma grande produção, cerca de 30 toneladas por hectare, e é uma produtividade muito boa e que chega entre sua plantação e produção cerca de 120 dias”, completa o produtor.
Neste empreendimento, Hélio José disse que tem como sócia, Wanda Muniz.

Batata-doce Beauregard é rica em betacarotenos, que ajuda no  rejuvenescer o corpo, impedindo o crescimento de células não saudáveis