PARALISAÇÃO

Professores paralisam atividades por falta de pagamento

Por: João Oliveira | Categoria: Educação | 18-06-2018 11:06 | 7176
Foto de Reprodução

Alunos da Escola Estadual Clóvis Salgado ficaram sem aula nesta segunda-feira (18/6). Segundo informações da direção da escola, professores decidiram paralisar devido atraso no pagamento dos salários e reunião deve decidir se continuam ou se retornam as atividades. Segundo informações da subsede do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-Ute), na terça acontece ato da categoria contra política de pagamento exercido pelo Governo do Estado de Minas Gerais, que estaria em desacordo com o restante do funcionalismo público. 
Em Paraíso, até o momento, somente o Clóvis aderiu ao movimento que vem ganhando força diante a divulgação do calendário de pagamentos do funcionalismo na sexta-feira (15/6). Conforme informou a direção do Clóvis, ainda na sexta-feira os alunos  do período vespertino foram comunicados sobre a paralisação que aconteceria na escola, já os alunos do período matutino ficaram de sobreaviso.
De acordo com o Sind-Ute, as datas de pagamento para a educação fogem da política praticada para as demais categorias do funcionalismo no Estado de Minas. “De acordo com o governo, o valor que ele pagou integralmente para as demais categorias foi de R$3 mil, para a educação ele está parcelando em três vezes, ou seja,  o governo está parcelando o que deveria ter sido pago em uma única parcela, junto com os demais servidores estaduais”, comunicou o Sindicato em nota.
Diante da situação, o Sind-Ute convocou a categoria a paralisar suas atividades até o pagamento da primeira parcela, o que, até o fechamento desta matéria, não aconteceu. “O Sind-UTE/MG convoca um ato estadual para amanhjã, terça-feira, dia 19 de junho, e orienta que as subsedes continuem organizando atos locais para o diálogo com a comunidade escolar sobre o que estamos enfrentando. A discriminação da educação na política de pagamento que o Governo do Estado está praticando é inaceitável”, lamentou o Sindicato.
Segundo informou a subsede do Sind-Ute em São Sebastião do Paraíso, a paralisação deve se estender até pagamento integral da primeira parcela do pagamento. De acordo com o coordenador, Reinaldo Cesário, até o momento, somente o Clóvis aderiu ao movimento, mas podem acontecer novas adesões ao longo da semana.  Na região, também param escolas das cidades  Itamogi, São Tomás de Aquino, Pratápolis, Cássia, Guaxupé e Claraval.