SAN GENARO

Professor usa tribuna livre da Câmara e clama por melhorias no San Genaro

Por: Heloisa Rocha Aguieiras | Categoria: Cidades | 15-02-2017 10:02 | 338
Professor Thales fez sugestões do que pode ser feito na lagoa do San Genaro
Professor Thales fez sugestões do que pode ser feito na lagoa do San Genaro Foto de Asscam
O professor de Filosofia, Thales Fernando da Silva, usou a tribuna livre da Câmara de São Sebastião do Paraíso na sessão de segunda-feira (13/2), para solicitar do poder público medidas urgentes a fim de realizar reforma e reestruturação da lagoa no bairro San Genaro. Antes dessa legislatura assumir os trabalhos desse ano, ele já havia procurado a Câmara e muitos dos vereadores, quando foi formada uma comissão da qual Thales faz parte.


A reivindicação é antiga e vem mobilizando diversos moradores do local, que reclamam do estado de abandono em que se encontra a lagoa, com mau cheiro, pernilongos, animais peçonhentos e uma série de problemas que atualmente podem ser considerados de saúde pública.


“Dentro da esfera política temos a preocupação de um projeto de cidade. Pergunto qual é o projeto de cidade que estamos elaborando, em específico para as lagoas do San Genaro. Há 30 anos foi iniciada a construção das lagoas naquele bairro, com o objetivo de fazer a conexão hídrica da Lagoinha, fundo bairro Jardim Coolapa e San Genaro até a Washington Martoni. Há 30 anos a realidade era muito diferente, quando havia um loteamento e hoje há um bairro residencial e não houve acompanhamento de ação política para atender às novas necessidades que surgiram”, disse Thales.


O professor também listou os problemas que existem no local. Segundo ele, as duas lagoas se transformaram em depósitos alternativos de lixo, configurando um problema de saúde pública. O lixo entra em contato com a água e há contaminação hídrica, causando problemas ambientais. Não há controle de circulação de pessoas que, inclusive, pescam e crianças nadam nas lagoas sujas.


“Precisamos que o poder público tenha iniciativas de coibir que pessoas tenham contato com aquela área que pode ser considerada zona de risco urbano. É preciso repensar a finalidade e a integração das pessoas com aquele espaço, mas primeiro é preciso que ele seja saudável”, ponderou Thales.


Ele propôs que as pessoas que fizerem algum pedido em relação às lagoas, que acompanhem os trabalhos da comissão na Câmara a fim de elaborar um projeto de iniciativa popular, que tenha finalidade social, esportiva e cultural. Sugeriu que seja construído um Centro de Referência da Juventude, com concha acústica, com plenário para realização de palestras e eventos culturais.


“Vamos elaborar esse projeto, recolher assinaturas dos moradores, convido todos os vereadores que tenham ideias que nos repassem e participem sempre de nossas reuniões. Acredito quer dentro de um mês poderemos apresentar esse projeto, que será encaminhado à Câmara”.


Thales ressaltou a importância do que foi realizado na primeira lagoa do bairro, há dez anos, quando foi construído o “Complexo Esportivo do San Genaro”. “A violência diminuiu e estamos produzindo cultura, por iniciativa da comunidade”.


O presidente da Casa, Marcelo Morais, e outros vereadores já estiveram reunidos recentemente com o professor Thales e convidou os demais colegas para acompanhar os trabalhos da comissão. “Queremos que cada bairro tenha a sua comissão para reivindicar suas necessidades à Câmara. Se formos ao bairro perguntar o que querem das lagoas, falarão apenas da limpeza o que só requer empenho”, disse.


O vereador Vinicio Scarano Pedroso disse que a Câmara está à disposição para projetos semelhantes. Sérgio Aparecido Gomes parabenizou o professor e também se colocou à disposição e ressaltou a importância do papel do poder público. Ademir Ross disse que quer estar presente para trabalhar em prol do bairro e dar uma resposta para os moradores do local, que têm, inclusive, outros problemas, como por exemplo, buracos nas ruas. Ele citou que o Parque Belvedere, onde há mato encobrindo os espaços públicos e pediu apoio do Executivo e da população.


A exemplo dos colegas, o vereador José Luiz das Graças disse que estará junto com essa comissão. Luiz de Paula condenou a construção das lagoas há 30 anos, dizendo do risco que representam. O vereador Lisandro José Monteiro disse que com ações simples conseguem resolver os problemas lá existentes. A vereadora Cidinha ressaltou que o local pode mesmo ter algum projeto social e cultural e prometeu apoio. Paulo César, o Tatuzinho, disse que quer conversar com o prefeito Walker Américo Oliveira, a fim de requisitar soluções para o bairro.