POLEPOSITION

A corrida que eu não vi

Por: Sérgio Magalhães | Categoria: Esporte | 25-05-2017 07:05 | 6426
Capa da extinta Revista Pôster “Grid”  com a cobertura do GP de Mônaco de 1987. Relíquia da corrida que não assisti
Capa da extinta Revista Pôster “Grid” com a cobertura do GP de Mônaco de 1987. Relíquia da corrida que não assisti Foto de Reprodução

Não é difícil. Acho que dá pra contar nos dedos de uma das mãos as corridas que por algum motivo não assisti nos últimos 30 anos. Entre elas está o GP de Mônaco de 87, justo aquele! 
Em 87 eu fui convocado(??) a prestar o Serviço Militar e o domingo, 31 de maio, foi dia de instrução. Imagine a tromba de um jovem aos 18, sedento por Fórmula 1, tendo que ‘ralar’ entre espinhos e lama como se estivesse numa Guerra enquanto o GP de Mônaco corrida solto? Imagine a fúria desse jovem ao saber que perdera a primeira vitória de Ayrton Senna em Monte Carlo? Tem mais: foi a primeira de um brasileiro nas ruas do Principado e de quebra com dobradinha. Nelson Piquet terminou em 2º e ao final do ano se tornaria tricampeão Mundial com a Williams. 
Nos tempos que internet e TV a cabo não passava nem em sonhos, me restou amanhecer o dia seguinte na porta da banca à espera dos jornais e a saudosa Revista Pôster “Grid” já que o histórico GP de Mônaco de 87 ficou na conta do sargento/instrutor da época. 
Senna voltaria a vencer outras cinco vezes em Mônaco (89/90/91/92/93). Com seis conquistas é até hoje o maior vencedor da corrida; Que poderia ter sido 7 se a prova de 1984 não fosse encerrada antes da metade para beneficiar Prost quando Senna estava prestes a ultrapassá-lo debaixo de muita chuva com a modesta Toleman; Que poderia ter sido 8 se ele (Senna) não tivesse errado sozinho e batido na entrada do túnel, em 88, quando tinha quase 1 minuto de vantagem sobre Prost.
Voltando à corrida de 87, Nigel Mansell (Williams) fez a pole e liderou até a volta 29 quando abandonou com problemas de motor. Senna (Lotus) largou em 2º, assumiu a ponta com o abandono de Mansell e seguiu em primeiro até a bandeirada, na 78ª volta. Piquet terminou em 2º com Michele Alboreto (Ferrari) em 3º. No festivo pódio, Senna quebrou o protocolo com um banho de champanhe na família real – inédito! 
Era a quinta vitória de Ayrton em sua 50ª corridas de Fórmula 1. E esse preâmbulo todo é pra lembrar os 30 anos da primeira vitória do ainda hoje chamado de “Rei de Mônaco”. A Fórmula 1 estará em Mônaco no próximo final de semana para a sexta etapa do campeonato e haverá homenagens a Senna. Uma estátua do piloto será inaugurada na porta do Hotel Fairmont, que terá um quarto personalizado com vários objetos de Ayrton, entre eles o capacete e o volante da Lotus que usou na corrida. 
Por aqui também tem homenagem, e muito bacana por sinal. O carro de Cacá Bueno, pentacampeão da Stock Car, ganhou um novo layout com as cores no mesmo tom amarelo da Lotus que já está sendo chamado de “Stock Car Lotus 87 Senna”, numa parceria entre a equipe Cimed Racing e o “Instituto Ayrton Senna” que cuida de crianças carentes. 
O treino classificatório para a terceira etapa da Stock Car, em Santa Cruz do Sul/RS, acontece hoje às 13h e a largada da primeira de duas corridas será amanhã, também às 13h, tudo ao vivo no canal SporTV. A principal categoria do automobilismo brasileiro tem até aqui quatro vencedores diferentes em quatro corridas e o resultado disso é um campeonato prá de equilibrado com dois pilotos (Thiago Camilo e Daniel Serra) empatados na liderança com 69 pontos, seguidos por Max Wilson (3º) com 56. 



 



POLE DAY
Os olhos se voltam para Indianápolis. Começa hoje os treinos que definem as 33 posições de largada para as 500 Milhas de Indianápolis e termina amanhã com o “Pole Day. E a atração principal será o carro laranja de número 29. Seu piloto? Fernando Alonso! A corrida só acontece no próximo domingo (28).