KUNG FU/WUSHU

Alunos da Shaolin do Norte conseguem ouro em Campeonato Brasileiro de Kung Fu/Wushu

Por: João Oliveira | Editoria: esporte | 14/09/2017 | Visualizações: 1380

- Foto de Reprodução

Os alunos da Academia Shaolin do Norte, Yago Henrique Louvo Santos, Iasmim Camila de Avelar Costa e Gabriel José Brás da Silva, retornam para São Sebastião do Paraíso trazendo grandes conquistas do 28º Campeonato Brasileiro de Kung Fu/Wushu. Os jovens, que foram a Cuiabá (MT) encarar um calor de mais de 35°, tiveram sucesso em suas apresentações, além de conseguirem medalhas de ouro e também serem bem classificados no campeonato.
Gabriel Silva, de 13 anos, no ano passado foi convocado, inclusive, a participar de seletiva para integrar a Seleção Brasileira da categoria, após êxito no Brasileiro que aconteceu em Brasília. Este ano, as chances de ser convocado novamente são bem positivas e o jovem atleta não esconde a ansiedade para que isso aconteça.
“Foi um campeonato muito bom e um pouco difícil. Minha expectativa era trazer pelo menos uma medalha, e tive a chance de trazer duas. Eu não estava esperando, apesar de ter treinado bastante e achar que iria bem, mas consegui ir além do esperado”, conta. Gabriel disputou nas categorias mãos livres e espada, obtendo medalha de prata e ouro. Essa era a chance que ele precisa para tentar novamente uma vaga na seleção.
“No último ano fui convocado para participar de processo seletivo para integrar a Seleção Brasileira de Kung Fu, mas não consegui. Este ano estou me empenhando, trenei bastante e venho me preparando. Quando sair à convocação eu quero treinar mais do que treinei para o brasileiro e conseguir”, comenta o jovem. Ele conta ainda que o brasileiro não estava fácil, e que o nível de todos os atletas era muito elevado.
“Havia atletas muito mais experientes que nós; há aqueles que podem se dedicar integralmente ao esporte. Muitas vezes há escolas que ajudam. Em Mato Grosso, por exemplo, eles querem levar o Kung Fu para as escolas. Mas, de modo geral, foi muito bom, fiz novas amizades. Ganhar é bom, mas também temos que saber lidar com as derrotas”, completa o jovem.
O pequeno Yago Santos, de oito anos, conseguiu um destaque bem positivo no campeonato. Apesar de ser o mais novo da turma, não foi sua primeira experiência e desta vez ele conseguiu acumular duas medalhas de ouro e uma de prata. “Foi uma disputa muito boa. Lutei nas categorias mãos livres, bastão e espada, conquistando duas medalhas de ouro e uma de prata. O próximo passo agora é a seletiva para o brasileiro e se conseguir passar, será o campeonato Panamericano”, comenta. 
Para o pai do jovem, Thiago Antônio, foi muito bom ver essas crianças indo ao campeonato e atingir suas expectativas.  “Foi muito bem organizado. O nível da organização foi altíssimo. Eles também nos surpreenderam muito com as apresentações, foi muito bonito. É um orgulho muito grande para nós”, ressalta.
Conforme Thiago, o esporte, além de boas conquistas aos jovens, tem também ajudado enquanto a disciplina. “O professor cobra muito deles em relação nota na escola, respeito e organização. É um esporte que ajuda e os acalma. Nós investimos neles porque temos retorno, não financeiro, mas em relação ao ser humanos que eles estão se tornando, isso não tem preço. Da forma como o mundo está, ver que estão se tornando pessoas boas é uma conquista muito grande”, destaca. 
Iasmim Camila, que encarou pela primeira vez a disputa, também conseguiu bons resultado. Ela disputou nas categorias mãos livres e bastão, obtendo medalha de ouro e prata. “Não foi fácil, mas eu consegui as medalhas e não estava esperando por isso. Foi muito positivo, conheci bastante gente de outras cidades e foi uma experiência muito diferente. O lugar é muito quente e isso atrapalhou um pouco, mas a cidade é muito bonita e diferente do que vivenciamos aqui”, ressaltou.
Segundo a mãe da jovem, Patrícia Avelar, não foi fácil chegar até lá. “Corremos muito atrás e obtivemos  patrocínio que ajudou nessa conquista. Tenho que agradecer a cada pessoa que teve sua parcela de participação e nos ajudou angariar esse recurso. A viagem foi cansativa, quase dois dias de viagem, calor muito exorbitante, mas valeu a pena. Se fosse para fazer tudo novamente nós faríamos”, completou.
O professor e mestre em artes marciais, Márcio Zaqueu, ficou orgulhoso do resultado. “Foi um ótimo resultado e o esforço deles valeu muito e isso que é importante. Os pais apoiaram e as crianças entenderam a trajetória que eles tinham que seguir e não mediram esforços. No campeonato eles mostraram que estão no caminho certo e que estão entre os melhores”, destaca o professor.

 

MUNDIAL
Falando em conquistas, o mestre em artes marciais, Zaqueu, deve embarcar para a China onde irá participar do Mundial da categoria. “Estou correndo atrás, mas é difícil porque há pouco apoio, mas irei nem que tiver que arcar do meu próprio bolso. Porém, ainda tenho conseguido suporte, principalmente da minha esposa, que me ajuda muito porque além de tudo o que eu já tenho que fazer, com os projetos e academia, também tenho que arrumar tempo para treinar”, comenta.
Márcio já acumula uma vasta experiência nos mundiais e espera trazer bons resultados para Paraíso e para o Brasil, como um todo. Para conseguir dinheiro para arcar com as custas da viagem, que não é  barata, segundo conta, ele está planejando uma confraternização, que acontece no próximo dia 6 de outubro, no Sesi Acissp, a partir das 19h. Qualquer cidadão que queira apoiar o atleta pode entrar em contato por meio do telefone 35998297634 para adquirir o ingresso.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897