• Dos Leitores •

Que País é Este?

Por: Redação | Editoria: brasil | 25/10/2017 | Visualizações: 1377

- Foto de Reprodução

(Renato Russo)
“Nas favelas, no Senado
Sujeira pra todo lado
Ninguém respeita a Constituição,
Mas todos acreditam no futuro da nação -
(Renato Russo)”


”Enquanto os homens exercem seus podres poderes
Morrer e matar de fome, de raiva e de sede
São tantas vezes gestos naturais
(Caetano Veloso) “


O Brasil desde o ano de 2015 é um pais que não podemos considerar que está acéfalo, mas fora da rota de uma nação justa, decente e de futuro; pois foi tomado por um grupo que busca se locupletar de forma escusa e administra visando o seu próprio interesse. 
Quando do golpe de estado, (Lucio Funaro falou isto claramente), o governo de então foi retirado do poder sob a alegação de que cometera crime de Responsabilidade Fiscal. Se isto fosse seguido à regra, mais da metade dos governadores e prefeitos do pais já teria perdido seus mandatos. 


O grupo que assumiu o poder, tem entre os seus interesses, senão o mais importante, parar todo tipo de investigação que levou a descoberta da maior rede de corrupção e desvio de recursos públicos do mundo, (eles mesmos admitiram). E não existem limites para cometer ilícitos e atingir o seu objetivo. Este novo governo não foi eleito, não colocou seu programa sob avaliação do povo; portanto não tem legitimidade nenhuma. Tem a pior avaliação de um chefe da nação na história do pais, com o presidente e grande parte dos ministros denunciados por corrupção, começou um projeto de venda de ativos públicos assustador. A venda de gasodutos da Petrobras para posteriormente aluga-los foi injustificável. Está colocando perigosamente nas mãos de estrangeiros o setor energético do pais.  
Estamos num processo de desregulamentação e desnacionalização como nunca visto antes, e ao contrário do governo FHC que foi eleito, portanto tinha procuração da população, este governo está vendendo o pais, e sem nenhuma legitimidade, apoiado unicamente em grupos que sempre viveram às custas do erário público. O que estamos vendo é criminoso; enquanto a grande mídia fala que precisamos desmontar o estado, e aceitamos, estatais chinesas e europeias compram nosso patrimônio a preço de bananas e todo mundo fica quieto
Este governo cortou investimento em educação, saúde e saneamento, moradias, restringiu crédito e quer fazer uma reforma da previdência social absurda, sem discutir com a sociedade e sem apresentar os números corretos para justifica-la. Estas reformas constitucionais e de leis vigentes, são extremamente prejudiciais ao desenvolvimento equilibrado da sociedade brasileira. Os cortes de investimentos e a restrição de crédito jogarão o pais num atraso de mais de uma geração. As mudanças na legislação sobre o trabalho escravo é uma vergonha. O Brasil perdeu a relevância e o respeito que tinha na comunidade internacional, em um passado recente. Hoje virou motivo de escarnio e piadas. 
Dormia, 
A nossa pátria mãe tão distraída, 
Sem perceber que era subtraída, 
Em tenebrosas transações. (Chico Buarque de Holanda). 
Tudo isto está sendo feito com o aval de um Congresso Nacional com a pior avaliação desde 1993, onde uma grande parcela de seus membros se vende despudoradamente e deixa de cumprir o seu papel de legislar no interesse maior da nação e fiscalizar o poder executivo. Esta parcela do legislativo só cuida de interesses pessoais ou de grupos que se assemelham a verdadeiras quadrilhas. A aprovação recente das novas regras do Refis e as últimas deliberações na CCJ ou no pleno do Congresso são exemplos destes desmandos. Os valores envolvidos no perdão de dívidas de igrejas que são verdadeiras arapucas, de produtores rurais e empresários vagabundos e desonestos, com o fundo partidário e com a liberação de emendas parlamentares para barrar denúncias de corrupção, daria com certeza para fazer de nossas universidades verdadeiros oásis em ensino de ponta e pesquisa. Mas elas estão correndo sérios riscos de fecharem. 
Produtores rurais e empresários honestos, igrejas sérias e políticos decentes não sugam o país; ao contrário o ajudam. 
Nossas cortes superiores não parecem estar se dando conta do momento grave por que passamos; entre idas e vindas jogam a todos numa insegurança descomunal. Temos hoje a sensação de que as leis foram feitas para uns e não para todos.  Se condena sem provas e se absolve com provas. Se isto não for verdade, o cidadão comum tem esta impressão. 
Um dos princípios básicos da democracia é a separação dos poderes, e no momento atual, esta regra parece que foi jogada às traças. Estamos assistindo uma troca de favores, uma verdadeira avalanche de decisões emanadas de todos os poderes, entrelaçadas entre si, tudo com o objetivo de garantir a segurança e a certeza de que tudo terminará bem e sem atingir a classe dominante.  Combate a corrupção? Isto era só para tirar o governo. 
E nós, o que estamos fazendo? Assistimos a tudo e sonhamos com dias melhores. Será que estes dias virão? 
Como diz Chico Buarque, estamos “Vendo a Banda Passar. “ 
Geraldo Vandré ensina: 
“Quem sabe faz a hora,
Não espera acontecer”. 
Infelizmente, Zé Ramalho constata: 
“Eh vida de Gado, 
Povo marcado, 
Povo feliz”. 
“De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.” (Rui Barbosa)
JOÃO BATISTA MIÃO - São Sebastião do Paraiso – Minas Gerais


Pobre Brasil

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897