SAÚDE ANIMAL

Gatos: Enigmáticos e Fascinantes

Por: Rogério Calçado Martins | Editoria: saude | 08/01/2018 | Visualizações: 3175

- Foto de Reprodução

Os gatos são enigmáticos e encantadores ao mesmo tempo, e também uma fonte de fascínio para todos nós. O gato tem sido, ao longo da história, venerado e perseguido, mas atualmente encontra-se em fase ascendente. Eles adaptam-se perfeitamente ao estilo de vida urbano da vida moderna. Quer se trate de um gato sem raça definida ou um de raça pura, é um animalzinho de estimação atraente, gratificante e relativamente fácil de tratar.
Os gatos conseguem sobreviver e desenvolver-se em qualquer ambiente. São companheiros indispensáveis de pessoas de todas as idades e têm um humor imprevisível, ou seja, são caçadores intrépidos num momento e companheiros adoráveis no momento seguinte.
Os sentidos do gato doméstico, tal como de seus parentes selvagens, foram concebidos para que o animal possa aproximar-se silenciosamente de sua presa (ou de seu objetivo).
A boca e o paladar: o gato possui um paladar discriminador. Pode ser difícil dar-lhe um medicamento misturado na comida, visto que ele consegue geralmente detectar qualquer coisa que é adicionado ao seu comedouro.
As orelhas e os ouvidos: a audição de um gato é muito apurada. Ele consegue ouvir sons de alta frequência que os ouvidos humanos não conseguem detectar. Em geral, o gato pode ser ensinado a reconhecer e a reagir a certas palavras, como o nome que lhe foi dado, pelo tom de voz utilizada.
Os bigodes e o tato: os bigodes funcionam como antenas e ajudam o gato a evitar os objetos na escuridão. O gato é extremamente sensível ao tato, e todos os pêlos do seu corpo reagem à ínfima vibração. Por isso, não corte os bigodes de um gato.
O nariz e o olfato: todo gato é ciumento com seu território e nele "assina" sua marca com seu odor para afastar outros felinos. O sentido do olfato de um gato é realçado pelo órgão de Jacobson, que lhe permite analisar odores intrigantes 'saboreando' as moléculas na zona posterior da língua!! Esta capacidade tem o nome de flebming.
Os olhos e a visão: embora o gato distinga mal as cores, os seus olhos estão preparados para recorrer a qualquer pontinho de luz que lhe permita ver quase na escuridão total. Ele enxerga como um caçador e possui um ângulo de visão muito superior ao de um ser humano, o que lhe permite detectar os movimentos quase imperceptíveis das presas.
O gato, instintivamente, é rápido e extremamente ágil. O seu corpo está especialmente preparado para atingir o máximo de velocidade com o mínimo de esforço. Ele conserva quase sempre a energia, mas quando é necessário é capaz de correr muito depressa. Consegue percorrer uma distância curta a uma velocidade de até 48 km/hora, o que lhe permite saltar sobre sua presa antes que esta consiga escapar. Enquanto que a maior parte dos animais tem de passar quase toda a vida no solo, o gato possui uma capacidade de coordenação invejável que lhe permite subir em locais altos e equilibrar-se com extrema desenvoltura.


*ROGÉRIO CALÇADO MARTINS
– médico-veterinário – CRMV/MG 5492
*Especialista em Clínica e Cirurgia Geral de Pequenos Animais (Pós-graduação “lato sensu”)
*Membro da ANCLIVEPA (Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais)
*Consultor Técnico do Site  www.saude animal.com.br
*Proprietário da Clínica Veterinária VETERICÃO (São Sebastião do Paraíso/MG)

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897