– 2017 –

O melhor ano do xadrez paraisense

Por: Gérson Peres Batista | Editoria: esporte | 10/01/2018 | Visualizações: 6644

Thales Braghini Leão é o principal mantenedor do xadrez paraisense, colocando o município na linha de frente da modalidade no país - Foto de CXSSP

Neste ano de 2018 a coluna “Xeque-Mate” do Jornal do Sudoeste completa 25 anos graças ao espaço nobre que o diretor Nelson de Paula Duarte vem oferecendo à comunidade enxadrística, auxiliado pelo competente diagramador Vasco Caetano Vasco. 
Toda semana o JS publica a coluna de xadrez e quem acompanhou a cobertura ao longo de 2017 com certeza percebeu o grande salto que teve a modalidade em São Sebastião do Paraíso em relação aos anos anteriores, voltando a ser considerada a capital mineira do xadrez e grande destaque no cenário enxadrístico nacional.
Esta reportagem especial da coluna “Xeque-Mate” contém um resumo da intensa e produtiva jornada enxadrística desse ano que acaba de findar. Foram grandes e numerosos eventos realizados em nosso mucicípio, inclusive, com resultados muito positivos de nossos enxadristas, além da participação em competições regionais, estaduais e nacionais – e até de cunho internacional, realizadas no Brasil!
Dividimos esta reportagem em três tópicos:


CLUBE DE XADREZ  DE SÃO SEBASTIÃO  DO PARAÍSO
Numa feliz parceria entre o patrono do xadrez parai-sense, o juiz federal e forte enxadrista Thales Braghini Leão, e a Prefeitura Municipal - por meio do secretário de esportes Tomás Martins, grande desportista e apoiador do xadrez há muitos anos - foi inaugurado na Arena Olímpica o Centro de Treinamento Jair Vicente Domingues, veterano enxadrista de 74 anos que em 2017 tornou-se com todos os méritos mestre nacional, título outorgado pela Confederação Brasileira de Xadrez.
Para a inauguração do Centro de Treinamento no Clube de Xadrez de São Sebastião do Paraíso (CXSSP) foi convidado o grande mestre e bicampeão brasileiro Krikor Sevag Mekhitarian, de família de origem armênia e que reside em São Paulo. Mekhitarian ministrou simultânea e venceu todas as partidas, ganhando também o Torneio de Blitz e o match frente ao brilhante grande mestre paraisense Evandro Amorim Barbosa.
A estrutura do CXSSP não tem paralelo no Brasil, sendo o mais completo no alto rendimento em todo o país, de acordo com os inúmeros enxadristas de outros estados que já o visitaram. Tendo 5 tabuleiros eletrônicos DGT (que transmite os jogos ao vivo pela internet), mesas, cadeiras e jogos de peças para até 90 pessoas, o clube abre de segunda à sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h às 17h30. Aos sábados promove torneios das 15h30 às 19h.
Prof. Dwlyan Silva dos Santos é quem ministra as aulas no clube, que são gratuitas e abertas a toda comunidade. O CXSSP detém uma excelente biblioteca com cerca de 200 livros de treinamento, principalmente em português, espanhol e inglês. O clube possui computador, impressora, som, câmeras, datashow, mural didático... enfim, uma estrutura de Primeiro Mundo que permite aos nossos enxadristas e os de toda a região que o visitam constantemente, de desenvolverem todo seu potencial.
Esta estrutura que muito nos orgulha foi montada e é mantida por Thales Braghini Leão num andar inteiro da Arena Olímpica. O talentoso enxadrista é assíduo frequen-tador do clube, tendo jogado, organizado e dirigido vários eventos nas dependências da entidade ao longo do ano passado.
Além das provas habituais aos sábados foram feitas competições valendo pontos para o ranking nacional e internacional, com destaque para o Aberto do Brasil que contou com jogadores de vários estados, dentre eles o atual campeão nacional, o grande mestre Everaldo Matsuura. 
O CXSSP fechou o ano com quase 100 eventos realizados, número fantástico para uma cidade de porte médio como é Paraíso. O clube é presidido pelo GM Evandro Amo-rim Barbosa.
O clube revelou em 2017 enxadristas como Olavo Tadeu Oliveira Carvalho, Vinicius Santiago, Vitor Campos, Andrew Duarte, Paulo Henrique Pereira, Matheus Caetano, Ricardo dos Santos, Jeyfer Alves, Jonahan Oliveira, Igor Bezerra, Rafael Fernandes, Kauã Melo, Victor Fidelis, João Pedro Matos, Letícia Peres, Luiz Flader Aparecido de Souza, Pedro Reis, Tobias Luiz Carvalho de Oliveira, Tania Barroso Andrade Carvalho, Larissa de Oliveira Campos... 
Além dos jogadores tradicionais da cidade que jogam já há bastante tempo e frequentam o clube nos fins de semana para disputarem torneios registramos em 2017 a presença de Dwlyan Santos, Siderley Junior Silva, Julio Kawagoe, Mateus Peres de Lima, Gulher-me Batista Peres, Harrison von Zuben, Camila Marques de Pádua, Francielly Naves Fagundes Matheus Hegediro Vieira, Tarik Ferreira Kourani, Carlos Leite, Danilo Epitácio, Jeovane Cascais Santos, Diego Ferreira, Eduardo Abreu, Felipe Feitosa Rolim, Guilherme Fei-tosa Rolim, Ronilson Queiroz, Tamir Vilela, Lucas Issigira, Reinaldo Oliveira, Rodrigo Aquino Leme, Túlio de Pádua Dutra, Gilberto Oliveira, Walla-ce Pessoa, Ivan Santos, Rafael Godinho, Willian Caetano, Luiz Ferrreira, Rafael Fereira, Kauê França, Everton de Paula, Brenno Paschoa, Lázaro Pachoa, Joel Cintra Borges, MN Jair Domingues, Gérson Peres, Vanessa Rodrigues, João Paulo Cassemiro Marques, Thales Leão, Erlon Braghini, GM Evandro Barbosa, dentro outros.
O CXSSP tem um fato curioso: dois de seus mais assíduos frequentadores têm idades muitos distintas, onde o MN Jair Domingues conta com 74 anos de idade e o pequeno Tobias Oliveira com apenas 3 anos – e ele já sabe todas as regras do xadrez e as principais noções elementares!


PROJETO DE XADREZ NAS ESCOLAS
Algo extraordinário aconteceu em 2017 com a expansão do xadrez a todas as escolas públicas de São Sebastião do Paraíso do ensino fundamental e médio, num projeto ainda mais abrangente que o realizado com sucesso no passado.
Através de projeto da Federação Mineira de Xadrez, com patrocínio da tradicional  empresa paraisense Laticínios Aviação, através de Lei de Incentivo ao Esporte do Governo de Minas, o grande mestre paraisene Evandro Barbosa coordenou uma equipe de 12 professores que foram a 18 escolas do município durante todo o ano letivo de 2017 e levaram o xadrez a mais de 7 mil alunos.
O projeto teve viés pedagógico, educando os estudantes através também do xadrez em função do seu grande poder cognitivo.
A Prefeitura Municipal apoiou o projeto com a manutenção de três estagiários que integraram o grupo de moni-tores.
A vice-prefeita, Dilma Oliveira, também prestou seu apoio ao projeto. Visitou escolas que tiveram as aulas de xadrez e acompanhou o Campeonato Paraisense Escolar, que lotou a quadra da Arena Olímpica.
Os alunos paraisenses tiveram material didático de excelente qualidade e aulas com uma competente equipe.
Muitos destes alunos se interessaram pelo lado competitivo do xadrez e o CXSSP recebeu inúmeros alunos do projeto para aperfeiçoarem sua técnica.
Para a realização da logísti-ca do projeto foi fundamental o apoio da Secretaria Muncipal de Educação e da Superintendência Regional de Ensino, além dos diretores das escolas e dos professores de outras disciplinas.
A equipe de professores de xadrez que visitou as escolas foram muito elogiados pelo seu trabalho, bem como o do coordenador GM Evandro Barbosa.
Além da rede pública, escolas particulares do município contam com aulas de xadrez como enriquecimento curricular. Colégio Objetivo e Colégio Crescer são as que têm mais tradição, com a manutenção ininterrupta de curso de xadrez há quase 20 anos no primeiro caso e cerca de 15 anos no segundo. 


TORNEIOS PELO BRASIL
E nesta resenha do xadrez paraisense não poderíamos deixar de citar os louros obtidos pelos representantes do Clube de Xadrez de São Sebastião do Paraíso – CXSSP em eventos por Minas Gerais e em outros estados.
O destaque da delegação ficou por conta do GM Evandro Barbosa, melhor enxadrista paraisense de todos os tempos, que disputou alguns dos principais eventos do Brasil. Evandro Barbosa, de 25 anos de idade, venceu o forte Aberto do Brasil de São Sebastião do Paraíso e saiu invicto nos Abertos do Brasil de Brasília, Floripa Chess Open, Aberto do Brasil de Caiobá, Aberto do Brasil de Ponta Grossa, Taça Cidade de Teresina, Jogos Regionais e Abertos de São Paulo e Campeonato Paulista Interclubes. Quando não levou o título, esteve sempre entre os primeiros colocados.
Outro jogador que se destacou foi Thales Braghini Leão, que esteve em bons torneios como o Aberto do Brasil Memorial Bobby Fischer em Teresina/PI, Aberto do Brasil Terra Viva em Brasília/DF, Regional Sudeste em Guarapari/ES, Aberto do Brasil de Caiobá/PR, Semifinal do Brasileiro – Região 1, em São Paulo) obtendo resultados expressivos e aumentando substancialmente sua pontuação no ranking internacional.
O multicampeão João Paulo Cassemiro Marques disputou duas competições importantes: Campeonato Paulista Universário e Campeonato Brasileiro Universitário. O primeiro ele ganhou e o segundo ficou entre os melhores colocados. João Paulo Marques é estudante no ITA, em São José dos Campos/SP.
Menção honrosa se faz necessário para Olavo Tadeu Carvalho Oliveira, de apenas 6 anos de idade, que é aluno do GM Evandro Barbosa. O “pequeno mestre” viajou com sua família – grande apoiadora do enxadrista e do CXSSP - para eventos no Distrito Federal e nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e por Minas Gerais. Dentre os muitos troféus e medalhas que levou para sua casa, tornou-se campeão mineiro sub8 e brasileiro escolar (título conquistado brilhantemente em Blumenau/SC) e ainda disputou em Poços de Caldas/MG o Campeonato Mundial Sub8. De todos os enxadristas que surgiram nos últimos tempos no Brasil, sem dúvida Olavo Oliveira está entre os mais promissores! 
Gérson Peres também obteve bons resultados no ano passado, ganhando provas concorridas em Paraíso e na região (títulos em Franca e Guaxupé), sendo vice-campeão estadual absoluto em Belo Horizonte pela quinta vez (buscava o pentacampeonato, mas novamente foi vice).
A Prefeitura Municipal, através do apoio fundamental do secretário de esportes Tomás Martins, forneceu transporte para os enxadristas do CXSSP disputarem novamente eventos regionais: Araraquara/SP, Serrana/SP, Franca/SP, Lavras/MG e Guaxupé/MG. Os Jogos do Interior de Minas - JIMI teve o apoio irrestrito da Secretaria de Esportes com a equipe tendo conquistado o vice-campeonato estadual nesta tradicional prova do esporte mineiro. Paraíso lutava pelo nono título no JIMI na modalidade xadrez. Nos Jogos Escolares de Minas Gerais – JEMG, a equipe de xadrez igualmente teve apoio e se destacou.
E o ano de 2018 já começa muito bem para os paraisenses com a participação do GM Evandro Barbosa, Thales Leão e Dwlyan Santos no Floripa Chess Open, em Florianópolis/SC, tradicionalmente a prova internacional mais forte do ano no país; Copa Latinoamericana no Peru e Aberto do Brasil em Poços de Caldas/MG, ambos sendo representados pelo GM Evandro Barbosa, com inscrição confirmada pela organização.
Que no início de 2019 possamos trazer aqui para esta coluna do Jornal do Sudoeste tantas boas notícias do xadrez paraisense em 2018 com foi em 2017... Vamos em frente!


* Sobre o autor: O mestre nacional Gérson Peres Batista é formado em pedagogia, pós-graduado em tecnologias e educação a distância, e técnico desportivo com habilitação em xadrez (Cref 9681-P/MG).

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897