Gatos são bons?

Por: Rogério Calçado Martins | Editoria: acidente | 31/01/2018 | Visualizações: 3952

- Foto de Reprodução

"O que um gato pode trazer de bom para sua vida?
Em pleno século XXI, com um mundo globalizado e todos os recursos rapidamente disponíveis, o que um gato pode trazer de bom para a vida de uma pessoa?
Os serviços de entrega em domicílio e de compras pela internet - sem mencionar os site de relacionamento - são ilimitados. Desde gêneros alimentícios a promessas de felicidade, tudo pode ser obtido com um simples toque de teclado ou com um telefonema. Então, o que um animal, em especial um gato, pode acrescentar à vida dos seres humanos contemporâneos?
A resposta para essa pergunta, simples para que ama os animais e tem o privilégio de conviver com eles, não é óbvia para muitas pessoas.
Nosso sistema educacional não privilegia a educação humanitária, a formação para a vida real, com todos os seus conflitos e dificuldades, não educa para a compaixão, para o amor a si próprio e a todas as formas de vida. Ao contrário, enfoca a competição e o consumo. Todavia, o ser humano, que tem acesso a quase tudo, permanece com um imenso vazio interior.
Por outro lado, aquele que têm um felino como um membro de sua família, apesar de enfrentarem todos os dilemas e atordoamento da vida moderna como qualquer pessoa, sabem que ao chegarem em casa encontrarão um olhar sereno e seguro, fonte de paz e amor imensuráveis. Quem tem o privilégio de dividir um lar com um gato sabe que, ao fim do dia, todos os problemas se tornam menos importantes e mais distantes.
O que um gato pode trazer de bom para sua vida? Um relacionamento de amizade profunda e uma fonte inesgotável de paz, beleza carinho, amor e uma grande lição de dignidade. E não é só isso! O convívio com gatos nos permite ainda sermos lúdicos e desfrutarmos da simplicidade e alegria de estarmos vivos.
Entretanto, é sempre fundamental lembrar que essa não pode ser uma relação unilateral. Os gatos não podem ser transformados em simples válvula de escape para nossas carências e frustrações. São animais sencientes, com necessidades próprias. É nosso compromisso e responsabilidade prover aos nossos amados felinos: proteção, um lar tranquilo e equilibrado; boa fonte de alimentação; assistência Médica-veterinária preventiva e curativa; estímulos cognitivos e a oportunidade de conviver com membros da própria espécie, desde que adequadamente socializados.
E, finalmente, a principal prescrição: doses incalculáveis de amor!"
OBS: O texto de hoje é de autoria da Dra. LETÍCIA MATTOS DE SOUZA DANTAS, Médica-veterinária, coordenadora de programas veterinários da Sociedade Mundial de Proteção Animal e foi retirado da revista Pulo do Gato.


*ROGÉRIO CALÇADO MARTINS
– médico-veterinário – CRMV/MG 5492
*Especialista em Clínica e Cirurgia Geral de Pequenos Animais (Pós-graduação “lato sensu”)
*Membro da ANCLIVEPA (Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais)
*Consultor Técnico do Site  www.saude animal.com.br
*Proprietário da Clínica Veterinária VETERICÃO (São Sebastião do Paraíso/MG)

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897