SAUDADES

Fernando, uma singela definição....

Por: Redação | Editoria: cidades | 26/04/2018 | Visualizações: 2335

Fernando Aristoff - Foto de Reprodução

Eis uma definição recheada de emoção, afinal, não fui a sobrinha que merecia, falhei, mas te percebia!
Quantos desencontros a vida nos impõe, mas deveria ter tido tempo para olhar você dormindo e mais encanto ao te ver sorrindo! A pressa do cotidiano não arrefece a força da ternura, muitas vezes serviria de bom argumento, mas, onde estava você a todo momento? Ali, no seu quadrinho, no cantinho escrevendo sua história, que hoje nos dá sustento e glória!
Não estou a parafrasear ninguém, mais me intitulo displicente, nunca ausente!
As nossas aflições amanhecem e anoitecem e somos capazes de perceber que andamos pela vida em preces e orações,  e aqui eis uma oportunidade de render -me  e por que não ter dado mais atenção, estendido a mão como forma de profecia a quem estava deitado noite e dia?
Ali você estava, frágil, com as forças adormecidas, nunca um pobre coitado, cujo pleito de suas angústias eram abrandadas por sua Irma  Leila e Neide, mulheres com garra que atendiam prontamente a seu chamado!
Fernando,  estava  ali todos os dias e na correria  do mundo em eclosão,  dormia como um anjo em sua redenção!
Naquele canto, resmungando e chamando sua irmã, tão amada e querida, que por você dedicou a vida!
Fernando não viveu no anonimato, todos tínhamos um jeito de te apreciar!
Mais minha mãe, um exemplo de ser humano, fecundava a  sua felicidade a cada gesto e olhar! Desde o excesso de zelo, ao cuidado esmero em te preservar, afinal, você queria  fumar!
Que mal tem nisso, suas distrações eram  tragar o cigarrinho e ficar no seu cantinho!
Sem contar das Congadas que faziam de você um congadeiro nato, um precursor  das folias, e se divertia, era Fernando Aristoff, filho da dona Bilia!
Um ser puro que muitas vezes se esquivava, sem contar, um colecionador de chaveiros, ah como gostava! Que orgulho poder ter  a memória de suas preferências e sentir  o afeto  como exemplar de sua vivência!
Aqui rendo minhas homenagens a melhor mãe, filha e irmã que soube doar, amar e sobretudo,  dedicar :Leila Aparecida Aristoff  Advincula; meu precioso exemplar de ser humano!
E ali estava Fernando, retrucando as negativas, transverberando a razão, teimando com a certeza, arrazoando as ordens, enfim, uma teimosia sem parar, afinal, seu prazer era fumar! 
Quão generosa vida, você teve a seu lado a irmã  mais querida e dedicada, dispensou cada minuto, cada  fração do tempo para te ver feliz!
Uma trégua ao desabafo!
Quero aqui externar o lamento por não ter te dado mais atenção. Com certeza ;meus mimos não fizeram falta, ali estava minha mãe  com sua serventia contumaz e paciência voraz!
Vivemos em meio a uma tempestade de bons sentimentos que nos permitem  redimir,  agradecer e pronunciar!
Realmente, você viveu exatamente o que Deus quis, trouxe a possibilidade de germinar em todos nós o quão éramos agraciados!!
Você sempre será lembrado em nossos corações!
Descanse em paz, 
De sua sobrinha Helena Aristoff!!
Helena Aristoff Advincula Gonçalves

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897