SAÚDE ANIMAL

Inseticidas: muito cuidado!!

Por: Rogério Calçado Martins | Editoria: saude | 21/04/2018 | Visualizações: 85

- Foto de Reprodução

O uso de inseticidas em casa, para eliminar insetos em geral, deve ter um mínimo de critério para que não vire um verdadeiro perigo para cães, gatos, pássaros, peixes ou qualquer outro bichinho que viva na residência.
Algumas pessoas, inadvertidamente, chegam à utilizar tais produtos sobre os próprios animais, no intuito de eliminar ectoparasitos (pulgas, carrapatos e piolhos). Esse ato pode intoxicar, ocasionando graves problemas, como crises convulsivas e incoordenação motora, e até mesmo coma e  morte do animal.
Já atendi casos de pessoas esquentarem água, encherem um tanque, derramarem inseticida dentro e em seguida mergulhar o cão nessa “sopa”!! Resultado: intoxicação, coma e morte!!]
Como a maioria desses produtos apresenta-se em forma de aerossol, o animal também pode intoxicar-se através da inalação do produto. Caso ele seja pulverizado e entre em contato com a mucosa ocular ou mesmo com a pele, pode ser absorvido pela corrente sanguínea e provocar a intoxicação. Há também os produtos em forma de espiral e outros em tabletes, os quais podem ser ingeridos pelo animal, intoxicando-o.
Os sintomas variam de acordo com a quantidade e o tipo de produto usado. Os sinais clínicos mais comumente observados são: pupilas dilatadas (olhar fixo, “cegueira”); incoordenação motora (“andar cambaleante”); convulsões; latidos “chorosos” e uivos constantes; micção e/ou defecação espontânea (sem “controle”); hemorragia (pode ser intestinal, nasal, etc.); vômitos; hipotermia (temperatura corpórea abaixo do normal).
Para a alguns desses produtos não existe tratamento específico, apenas medicamentos de suporte, ou seja, tenta-se através do uso de certas drogas fornecer ao organismo do animal condições de eliminar o veneno.
O mais importante é a prevenção, ou seja, o uso sensato desses produtos. Sempre que for usar um inseticida em casa, afaste o animal do local por, no mínimo, duas ou três horas. Coloque-o no quintal ou tranque-o em algum cômodo que não for pulverizar, como o banheiro ou a cozinha. Abra bem as janelas da residência, para uma adequada ventilação e, desse modo, dissipação do inseticida.
Em caso de intoxicação ou suspeita dela, contate imediatamente um Médico-veterinário. Não dê nada por via oral ao animal. Não dê leite, pó de café ou “chás” ou qualquer medicamento oral que lhe indiquem. O uso dessas substâncias pode aumentar a absorção do veneno ou mesmo potencializar seus efeitos.


*ROGÉRIO CALÇADO MARTINS – médico-veterinário – CRMV/MG 5492
*Especialista em Clínica e Cirurgia Geral de Pequenos Animais (Pós-graduação “lato sensu”)
*Membro da ANCLIVEPA (Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais)
*Consultor Técnico do Site  www.saude animal.com.br
*Proprietário da Clínica Veterinária VETERICÃO (São Sebastião do Paraíso/MG)

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897