PRÉ-CANDIDATA

Dilma Oliveira fala sobre sua saída de secretaria e diz ser pré-candidata a deputada

Por: Nelson de Paula Duarte | Editoria: politica | 01/05/2018 | Visualizações: 7193

Vice-prefeita de São Sebastião do Paraíso, Dilma Oliveira - Foto de Reprodução

A vice-prefeita de São Sebastião do Paraíso, Dilma Oliveira, recentemente deixou a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, onde voluntariamente vinha exercendo a função de secretária. Ao Jornal do Sudoeste ela fez uma síntese de seu trabalho frente à secretaria, boa parte compromissos assumidos durante a campanha, notadamente de cunho social. “Não apenas a meta da criação da Secretaria de Desenvolvimento Social, mas cerca de 95% das metas que propus, já foram cumpridas, e o restante está encaminhado”, explica. Dilma disse que sua intenção é estar mais próxima da administração, contribuir com a solução de problemas existentes em secretarias. Confirmou ser pré-candidata a deputada estadual.
Dilma salienta que houve aumento na oferta de serviços e atendimentos nos Centros de Referência de Assistência Social, inclusive com a criação do Núcleo João XXIII onde são disponibilizadas aulas de judô, jiu-jitsu, defesa para mulheres, grupos de convivência para crianças e adolescentes, com atividades lúdicas e artesanato.
Uma de nossas ações na Secretaria foi a mudança do espaço do Conselho Tutelar, além da capacitação dos conselheiros, que era reivindicação antiga. Hoje a sede fica próximo ao “campão”, Praça de Esportes Monsenhor Mancini. O local anterior não tinha acessibilidade. Com a mudança, conselheiras estão bem instaladas, em lugar de fácil acesso, explica Dilma.
“Trouxemos várias capacitações para a coordenação de Vigilância Sócio-Assistencial que criamos no município, cursos para servidores, além da compra de veículo para ajudar inclusive nos transportes de materiais e servidores para Guardinha e investigativo nos bairros, adquirido com recursos do Bolsa Família”.
Dilma informa ter feito a indicação no Conselho a compra de outra “vanzinha”, para o transporte de pacientes especiais, com deficiências, cadeirantes, porque a que havia é antiga sempre precisando de manutenção, e em razão da falta do veículo pessoas ficavam sem poder ir para a APAE para escolas. A compra foi aprovada nesta semana e fiquei. A demanda é muito grande e somente o veículo existente não atende às necessidades de todos os cadeirantes.
“Não tínhamos em Guardinha equipe multidisciplinar completa, hoje temos, um agente social que faz o cadastro do Bolsa Família e as pessoas não precisam mais vir a Paraíso para essa finalidade”, salienta.  A oferta de serviço segundo a vice-prefeita, foi ampliada, inclusive  a questão do fortalecimento de emprego das famílias, os trabalhos com as crianças. “Além da Gibiteca foi contratado um educador físico para atender somente as atividades do CRAS e do CRES, e também uma terapeuta educacional que faz trabalhos manuais com as mães das crianças. Enquanto profissionais, psicólogos, assistentes sociais fazem trabalho com as crianças, a terapeuta faz trabalho de artesanato, cultural com as mães. 
Isto temos tanto em Guardinha como no CRAS Santa Tereza, Mocoquinha e Núcleo João XXIII, espaço cedido por uma loja maçônica, e onde está sendo desenvolvido este trabalho, com mão de obra voluntária. Deixei encaminhado com o novo secretário para que dê andamento na contratação desses profissionais para atendimento nos demais CRAS, incluindo jiujutsu e judô, autodefesa para as mulheres. Hoje estatísticas demonstram que 70% de violências, inclusive assassinatos de mulheres são praticados com armas brancas, e cursos de autodefesa terão maior proteção”. 
A demanda na área social, conforme enfatiza Dilma Oliveira, é muito grande no município paraisense, há muitos casos de violência. “A gente conseguiu com o trabalho que é feito através do Conselho da Mulher, e desse grupo de ajuda, diagnosticar muitos casos e as mulheres têm procurado ajuda. Houve aumento da violência contra a mulher, mas também o número de denúncias feitas por elas, em razão de se sentirem em ambiente seguro para isso, elas têm procurado mais a secretaria, o conselho, e agora a Associação de Ajuda à Mulher”.
Outro projeto destacado por Dilma, é do da “Família Acolhedora e os materiais esportivos e didáticos, que desde o início de minha gestão na secretaria eu pedi, e pouco foi conseguido para desenvolver as atividades nos CRAS e nos CRES, agora que parece irá sair. A burocracia é muito grande, embora haja o recurso do governo, a verba vinculada para a compra desses materiais, contratação de serviços, e infelizmente o trâmite é muito burocrático”.
Havia também uma equipe do CRAS Volante, mas por determinação judicial a pedido do Ministério Público tivemos que ceder uma psicóloga e uma assistente social para atender ao Lar Pedacinho do Céu, e estão sendo contratados dois profissionais para suprir as vagas,  em razão da grande demanda que tomamos conhecimento que existe na zona rural, informa a ex-secretária. 
“Foi também criado um espaço para o CREAS na rua Pinto Ribeiro, onde são atendidos crianças, jovens, mulheres e idosos que sofreram algum tipo de violência”. 
“Pedimos a reestruturação do COMAD – Conselho Municipal Antidrogas de modo a ser modernizado em busca de trabalho mais eficaz na prevenção. Temos que fazer o trabalho preventivo, principalmente nas escolas. Fiquei muito feliz, porque desde o ano passado vínhamos tentando a reativação da Rede de Proteção Contra a Violência de Crianças e Adolescentes, e tivemos o prazer de consolida-la na semana passada, no Teatro Municipal, quando da realização da Semana do Bebê, projeto de lei de minha autoria, quando vereadora. São atividades visando conscientizar as pessoas sobre cuidados na primeira infância, levando em conta o quanto é importante para o futuro dessas crianças”.
A Rede de Proteção envolve órgãos dos setores da Educação, Assistência Social, Segurança Pública, Conselho Tutelar, Conselho da Criança e do Adolescente, Corpo de Bombeiros, Polícias Militar e Civil. O projeto de lei está formatado e será enviado ao prefeito Walker Américo para que possa analisa-lo e o enviar à Câmara Municipal, de modo a consolida-la, e na mudança de gestor não correr o risco dela se perder, explica Dilma Oliveira. 
Enquanto secretária de Desenvolvimento Social em parceria com o Conselho da Mulher foi criado a Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, vítimas de violência doméstica, e a Rede Vítima de Violência Sexual, tendo a Santa Casa de Misericórdia como parceira.  Trata-se de um grande avanço para o município essas três redes. 
Dilma menciona que além do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil também foi implantado outro de capacitação, o Acessus, com cursos para capacitar e treinar jovens para o mercado de trabalho, isto em parceria com vários órgãos como  SENAI, SESC, Departamento de Ciências e Tecnologia. “Era recurso que estava em conta há algum tempo, e ainda não havia sido implantado esse projeto. A equipe técnica já foi formada, falta apenas ser nomeado o coordenador. Junto com o Acessus estamos trazendo a Economia Solidária, cursos de capacitação para mulheres, para famílias que precisam fortalecer suas rendas. A princípio serão dois cursos ofertados em Guardinha, são demandas existentes e no final de maio levaremos os cursos para lá”.
“Tenho ouvido e tomado conhecimento de problemas existentes. É um momento crítico em que entendo a necessidade de serem tomadas decisões profundas para o restabelecimento do equilíbrio financeiro do município, sabemos das dificuldades, mas espero contribuir e este foi um dos motivos que me levaram a deixar a Secretaria de Desenvolvimento Social. Durante nossa campanha falei muito sobre humanização dos serviços, então sinto que isto ainda está precário, e está distante da realidade que eu sonho”. 
Fizemos organização total da secretaria, uma estruturação e agora é só dar o andamento àquilo que iniciei, e espero tenha continuidade pelo atual secretário Marcelo São Julião, que estava junto e acompanhou, enfatiza a vice-prefeita. 
Sobre sua saída da secretaria, Dilma disse que estava programada. “Eu já havia avisado aos secretários em reunião anterior, salientando que em razão de trabalho no gabinete de vice-prefeita e porque quero estar mais próxima da população, das secretarias, buscando ajudar a solucionar problemas existentes no município. E também porque caso eu seja pré-candidata a deputada, é necessário a exoneração do cargo de secretária municipal. “Previa sair em maio, mas antecipei para o início de abril”. 
“Entrei para a política para fazer este trabalho de parceria com o prefeito, e vejo a necessidade de estar perto para acompanhar, pois é o que a população quer e espera de mim”. 
Quanto à candidatura à Assembleia Legislativa, Dilma Oliveira afirma que tem ouvido as pessoas, e a repercussão foi muito positiva. “O apoio que tenho recebido é gratificante. Vários grupos têm me procurado. Para que eu possa tomar a decisão faltam alguns detalhes a serem tratados junto ao partido. Fiquei muito feliz com o deputado Noraldino Júnior ter aberto esta oportunidade para mim ao ver meu trabalho, e ao saber de minha seriedade, e que uso a política como instrumento para o bem estar da população, daquilo que ela precisa. Está caminhando, e as convenções devem ser realizadas até agosto”.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897