DESCASO

Burocracia, atrasos e descaso atravancam este gigante chamado Brasil

Por: Sebastião Tadeu Ribeiro | Editoria: cidades | 19/05/2018 | Visualizações: 2875

Este enorme Gerador que fornece energia elétrica para uma grande loja aqui em Paraíso - Foto de Sebastião Tadeu Ribeiro

 


Para um proprietário de imóvel, ou, especificamente quem tem terreno vago ou edificação e quer demolir para construir outra edificação, seja residencial, serviço, comercial ou indústria, terá que fazer um projeto ou planta assinada por responsável técnico.
Então o projeto deve ter responsável técnico pela arquitetura, estrutura, parte elétrica e hidráulica, para que a fiscalização, tanto federal quanto municipal, possa aprovar ou indeferir, caso houver irregularidades, que não condiz com o exposto no projeto apresentado, que venha a infligir normas do Código Municipal de Obras.
Este preâmbulo é porque aqui no Brasil acontece muito de haver atrasos na aprovação de projetos de obras. As razões podem ser várias, irregularidades cometidas por parte do proprietário ou do responsável técnico, ou também morosidade e burocracia dos órgãos responsáveis pela análise dos projetos, o que tem gerado muitas reclamações.
Em São Sebastião do Paraíso há mais ou menos um mês, na Praça Comendador José Honório foi inaugurada uma grande loja, de âmbito nacional, na qual, a energia elétrica para alimentar a loja é fornecida por um grande gerador, e não pela CEMIG.
Quem passa pela praça, bem ao lado da casa paroquial, centro de São Sebastião do Paraíso pode ver o tamanho do gerador que está funcionando, dentro da via pública, para atender a loja. Atento ao episódio um observador disse ao Jornal do Sudoeste ser “esquisito ver máquina geradora de energia colocada dentro do leito da rua. Até dá a impressão que estamos morando em lugarejo isolado nos cafundós da Selva Amazônica”.
Pelo que apuramos a CEMIG e demais concessionárias de energia elétrica têm prazo estipulado que pode chegar até mais de quatro meses para ligar a energia para um estabelecimento comercial, industrial ou de serviços, caso na rua ou logradouro onde deve ser feito a ligação, a rede ou fiações não estejam apropriadas para fornecer carga suficiente. Sendo assim, operadoras pedem prazo para trocar fiação elétrica, colocar transformadores. Este trabalho gera custos e tempo.
No caso da referida loja em Paraíso, a CEMIG terá que fazer o serviço necessário em final de semana ou feriado para não deixar vários consumidores nas imediações, quem sabe até numa extensão maior, sem energia elétrica. Trabalho que leva tempo e custos.
Quem vai arcar com as despesas? Na minha singela opinião, a CEMIG, porque quando você vende um produto ou serviço tem que entregar pronto ao consumidor/cliente. Tem que estar bem estruturado, com rapidez e qualidade.
Devido à burocracia, custos, carga tributária e morosidade na aprovação de projetos, vários empresários brasileiros estão instalando suas empresas fora do país, muitos deles em países da América do Sul, Estados Unidos e outros continentes.
Por tudo isso e também por conta da corrupção, este gigante chamado Brasil não decola, e vai demorar muito para se tornar um país sério, competitivo e deixar de ser país emergente para se tornar uma potência econômica.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897