TRABALHO INFANTIL

Creas realizará na quinta o 2º seminário com o tema ‘Trabalho Infantil’ em Paraíso

Por: Roberto Nogueira | Editoria: cidades | 20/06/2018 | Visualizações: 47

- Foto de Reprodução

Com o tema “Erradicação do Trabalho Infantil” e destacando conceito, alternativas de abordagem e intervenção, será realizado o 2º seminário do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). O evento é uma promoção da Prefeitura de São Sebastião do Paraíso através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, que acontecerá nesta quinta-feira, 21, no auditório do Ceduc, à avenida Wenceslau Braz, 1.018, Lagoinha. “Teremos várias palestras e queremos promover algumas reflexões em torno deste assunto para alertar, os pais, empresários, empregadores e a sociedade como um todo sobre os males desta atividade fora de época que é o trabalho infantil”, anuncia o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Marcelo São Julião. 
O município paraisense deve executar Ações Estratégicas de Erradicação do Trabalho Infantil (Aepeti), buscando desmistificar alguns conceitos e incentivar a inclusão de adolescentes em programas regularizados de aprendizagem, como estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Na programação haverá três palestras com especialistas no assunto. Durante o mês continua sendo celebrado as ações de combate e erradicação ao trabalho infantil, celebrado no dia 12. “Nosso objetivo dentro deste contexto é o de orientar a população por isso teremos a presença de autoridades e pessoas ligadas ao setor que apresentarão informações importantes neste sentido”, explica Marcelo.
A intenção segundo ele é mostrar a forma correta de contratação. “Sabemos que existem soluções e as propostas serão apresentadas ao empresariado, como a contratação do jovem aprendiz e a forma correta de se contratar sem violação da legislação”, observa o secretário. As famílias assistidas foram convidadas a participar do seminário. Também foram convidadas autoridades locais e regionais que irão palestrar sobre temas afins.
A programação prevê que a partir das 8h será feito o credenciamento dos participantes e, em seguida, acontece a abertura oficial. Às 9h tem a palestra “Defesa e Responsabilização: as medidas de proteção para crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil e suas famílias”, realizada pelo juiz de Direito da Vara de Família, Sucessões, Infância e Juventude de São Sebastião do Paraíso, Jefferson Torres Freitas. Na sequência, às 10h30, o tema abordado será “O trabalho infantil no Brasil, suas conse-quências e a Gestão do Peti”, com a assistente social Flávia Aquino e o psicólogo Fernando Gomes Reis — ambos analistas de Políticas Públicas e de Gestão Governamental da Secretaria de Estado e Defesa Social (Sedese – Passos).
Após o almoço, às 13h30, a palestra trata da “Aprendizagem profissional como alternativa para os adolescentes em situação de trabalho infantil”, com Alexandre Scarpelli, auditor fiscal do Ministério do Trabalho, com sede em Poços de Caldas. 


ESTATÍSTICAS
Minas Gerais está em terceiro lugar no Brasil entre os Estados com maior registro de trabalho infantil. Conforme levantamento do Censo Demo-gráfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em números de 2010 são 349.999 crianças e adolescentes em situação de trabalho infanto-juvenil. O volume representa 10,2% do total do país que supera a casa de 3,4 milhões. Através da Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), o Governo de Minas lançou neste mês uma campanha com o título “Vamos juntos dar um basta no trabalho infantil”. A estratégia apresentada tem por objetivo conscientizar a sociedade para a necessidade de se erradicar este tipo de mão de ora no Estado. 
A campanha que já teve o material publicitário enviado também aos municípios mineiros, busca desmitificar várias ideias e conceitos equivocados, como, por exemplo, o de que o trabalho da criança e do adolescente ajuda a família. Figuram ainda, entre os mitos comuns o de que é melhor trabalhar do que ficar nas ruas, de que crianças que trabalham ficam mais espertas e de que quem começa a trabalhar cedo garante o futuro. A Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) produziu uma série de materiais lúdicos, como quebra-cabeças, jogos de tabuleiros, jingles, spots de rádio e vídeos, para reprodução e uso das equipes que atuam nos 1.149 Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e nos 245 Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas).
Todo o material, produzido em parceria com a Cooperativa de Trabalho Universidade Livre (Unilivrecoop) para mediar as intervenções técnicas nos atendimentos às crianças e familiares, poderá também ser usado pelos municípios em ações e campanhas de sensibilização. Com linguagem lúdica e utilização de recursos teatrais, musicais e de arte visual, os produtos objetivam ampliar as possibilidades de comunicação e as formas de abordagem desse problema e estão disponíveis no blog do Suas para reprodução e uso.
Além desses materiais lúdicos, foi também produzido o caderno Trabalho Infantil: histórico, conceito, aspectos socioculturais, linguagens alternativas de abordagem e intervenção social e gestão do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) no contexto do Suas.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897