SAÚDE ANIMAL

Olhos: “epífora”

Por: Rogério Calçado Martins | Editoria: saude | 30/06/2018 | Visualizações: 786

- Foto de Reprodução

Que nome feio é esse, hein, leitor?! Calma, no decorrer da leitura você verá tratar-se de “velho conhecido” seu.
A epífora é o nome médico dado ao fluxo exagerado de lágrimas para baixo da face. Esse excesso de lacrimejamento pode ter várias causas, dentre elas uma irritação da conjuntiva ou da córnea. O sistema de drenagem lacrimal é incapaz de drenar o excesso e, então, a lágrima irá ‘correr’ sobre a margem palpebral no canto dos olhos, causando estrias úmidas, geralmente marrom escura, inclusive ‘escurecendo e manchando os pêlos’.
Muitas vezes esse processo pode constituir um problema estético (tingimento dos pêlos faciais) que incomoda muito os responsáveis pelo animalzinho.
Pêlos que se situam junto ao ducto lacrimal, ou por onde fica o filme lacrimal (o nome desse processo é Triquíase), agem como uma mecha e derramam lágrimas sobre o focinho.
Os cílios anormais (a Distiquíase) e um defeito palpebral que inverte as margens da pálpebra para dentro (o Entrópio) também causam a epífora. Uma inflamação e obstrução do ducto lacrimal (chamado de Dacrioscistite) também pode causar a epífora.
A lágrima tem por função proteger a córnea e a conjuntiva, e as mantém úmidas, nutridas e limpas. As pálpebras espalham a lágrima sobre a superfície do globo ocular. Portanto, estímulos que são dolorosos ou irritantes à córnea e conjuntiva ou aos anexos, podem aumentar a produção lacrimal, causando a epífora. Um shampoo ou condicionador ou mesmo um pêlo (ou qualquer outro objeto estranho) que fique alojado no interior das pálpebras já pode se um fator irritante que cause excesso na produção lacrimal. Outros fatores que estão no nosso dia-a-dia, e que também podem irritar os olhos são pólen, poeira e os produtos de limpeza usados em casa, os quais na sua maioria exalam gases e como os animais andam muito próximos ao chão e são extremamente curiosos quanto a novos odores, isso pode desencadear uma irritação ocular acompanhado de produção lacrimal excessiva.
O movimento de fechar os olhos (piscar) faz com que o fluido lacrimal se mova de um canto ao outro do olho. Mas caso haja alguma obstrução para a sua drenagem ou simplesmente produção excessiva, esse fluido segue sobre a borda palpebral. Se essa situação persistir, uma faixa lacrimal irá se formar sob o canto do focinho, causando o escurecimento da pelagem do local. 
O diagnóstico preciso do que realmente está causando a epífora é difícil e muitas vezes ficamos sem essa resposta. O tratamento irá depender da causa encontrada e geralmente é feito com pomadas ou colírios oftálmicos, mas em alguns casos pode haver a necessidade do uso de medicamentos por via oral ou injetável ou até mesmo cirurgia. Para usar qualquer medicamento, o médico-veterinário faz um teste em cada olho, com um produto especial, para detectar se há lesão na córnea, e caso haja lesão, determinados tipos de medicamentos estão totalmente vetados para serem usados. Por isso, quando houver algum sinal de problema nos olhos do seu bichinho, apenas limpe com soro fisiológico e procure o médico-veterinário o mais breve possível. De qualquer maneira, quando a epífora incomoda muito e causa desconforto visível ao animalzinho, e o clínico veterinário não está tendo sucesso com os tratamentos padrões, o mais aconselhável é um exame minucioso feito por um médico-veterinário com especialização em Oftalmologia Veterinária.

*ROGÉRIO CALÇADO MARTINS
– médico-veterinário – CRMV/MG 5492
*Especialista em Clínica e Cirurgia Geral de Pequenos Animais (Pós-graduação “lato sensu”)
*Membro da ANCLIVEPA (Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais)
*Consultor Técnico do Site  www.saude animal.com.br
*Proprietário da Clínica Veterinária VETERICÃO (São Sebastião do Paraíso/MG)

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897