XADREZ

Breve reflexão sobre a natureza do jogo de xadrez

Por: Gérson Peres Batista | Editoria: esporte | 30/06/2018 | Visualizações: 787

Renan Dias, Andrew Duarte e Paulo Pereira na cerimônia de premiação Circuito Blitz do Clube de Xadrez de São Sebastião do Paraíso - Foto de CXSSP

As relações dimensionais das figuras geométricas existem independentemente da descoberta dos matemáticos e geômetras. Assim, a relação pitagórica do triângulo retângulo é anterior à captação dos estudiosos. Cabe ao esforço humano revelar essa e outras relações lógicas pré-existentes. O ser humano carrega a possibilidade de garimpar e extrair a validade dos conhecimentos universais por meio da reflexão. 
Nesse sentido, não inventa, nem cria, apenas descobre. Descobrir é remover a cobertura. Michelangelo, por exemplo, negou ter esculpido uma exuberante estátua. Argumentou que apenas libertara a forma que se encontrava aprisionada no bloco de mármore. Talvez o xadrez, ainda que criação humana, compartilhe analogicamen-te desse processo. 
Não há ainda uma resposta definitiva sobre um possível determinismo subjacente a esse jogo, ou seja, se uma partida jogada com perfeição estaria condenada ao empate ou à vitória das brancas, ou mesmo a das negras. A análise computacional provavelmente dará uma resposta a essa intrigante questão, em breve espaço de tempo. 
Mas, indiferente de alguma conclusão definitiva, estudar xadrez é buscar extrair relações lógicas bastante complexas ou até mesmo aparentemente inatingíveis. Jogar, por sua vez, é algo bem distinto, pois as condições de competição pressionam o enxadrista a resolver questões momentâneas derivadas de encadeamento anterior, que talvez possam eventualmente contribuir com estudos mais avançados, o que não necessariamente ocorre. 
Obviamente a abstração e captura das relações geométricas por suas verdades universais independem do pensamento, seja este divino ou humano. Em contrapartida, mesmo que a análise computacional estabeleça um veredito final sobre o término da partida, o jogo de xadrez, por ter sua origem na inventiva simbólica humana, conviverá ainda por bom tempo com o desafio de extrair os conceitos lógicos suficientes e necessários para que a partida perfeita leve a um resultado previamente determinado, seja o mesmo empate ou vitória. 
Fonte: texto de autoria do AI Roberto Telles 


JOGOS ESCOLARES DE MINAS GERAIS
A delegação de xadrez de São Sebastião do Paraíso esteve em Formiga disputando os Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG), em sua fase Regional. 
O torneio aconteceu nos dias 28 a 29 de junho e teve como técnico o Prof. Dwlyan Santos, do CXSSP. 
A Prefeitura Municipal apoiou a participação dos alunos-atletas. 
Na próxima edição desta coluna traremos os resultados. 


ANDREW DUARTE E GÉRSON PERES VENCERAM NO CXSSP 
A vigésima quinta etapa do Circuito Blitz 2018 do CXSSP de 2018 foi disputada na tarde de sábado (23/6), pelo sistema suíço, entre 13 participantes. 
Na categoria B, ao final das 7 rodadas, os três primeiros colocados terminaram a competição com 4 pontos. Pelo critério de desempate sagrou-se campeão Andrew Santos Duarte (ELO 1441). 
O segundo colocado foi Renan Ferreira Dias (ELO 1359) e o terceiro colocado foi Paulo Henrique Rocha Pereira. 
Na categoria A venceu Gérson Peres Batista (ELO 2123), com 7 pontos nas 7 rodadas. 
Na segunda colocação ficou Dwlyan Santos (ELO 1963) com 6 pontos. 
O terceiro colocado foi Siderley Junior da Silva (ELO 1822) com 4,5 pontos. 
Fonte: www.cxssp.com.br

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897