HOSPITAL

Santa Casa de Passos quer recursos destinados ao HCor de Paraíso

Por: João Oliveira | Editoria: saude | 07/07/2018 | Visualizações: 1071

- Foto de Reprodução

Mobilização realizada pelo secretário municipal de Saúde de Passos, Carlos Eduardo Colorado tem buscado realocar recursos que hoje são destinados ao Hospital do Coração de São Sebastião do Paraíso para a Santa Casa de Passos que, em um processo de reclassificação, passou a ser habilitada em alguns procedimentos cardiovasculares. Recentemente, segundo informações, Colorado, após reunião com secretários de Saúde da região Passos - Piumhi, teria ido a Belo Horizonte solicitar da Secretaria de Estado de Saúde o remanejamento de cardiologia de São Sebastião do Paraíso para Passos.
De acordo com o interventor da Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso, Adriano Rosa do Nascimento, está é uma situação que já vem se arrastando há algum tempo. "Ambas Santas Casas, Paraíso e Passos, são hospitais filantrópicos que precisam de recursos. Porém, a Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso é um hospital credenciado especificadamente para a unidade de serviço cardiovascular de alta complexidade, que é o Hospital do Coração, e realiza todos os procedimentos que envolvem cirurgia cardíaca", destaca.
Segundo ele, após hospitais passarem por um processo de reclassificação e Passos conseguir uma habilitação para procedimentos cardiovasculares, começou uma corrida por recursos para aquele hospital. "Quando se fala nisto, há sempre o entendimento  de que serão tirados recursos de São Sebastião do Paraíso, o que de fato aconteceu: houve alguns cortes e a Santa Casa de Paraíso, que chegava a ter um teto de R$ 600 mil/mês, isso em 2014 e 2015, no final de 2015 começou a reduzir recursos vindo cair para R$ 200 mil/mês. Foi um caos. Assim que houve a intervenção na Santa Casa, iniciamos o processo de recuperação da Cardiologia", explica.
Conforme Nascimento, o Hospital começou agregar outros municípios e mostrar para outras regiões do Estado a importância dos serviços ofertados pela Santa Casa de São Sebastião do Paraíso e pelo Hospital do Coração (HCor). "O serviços que hoje são oferecidos pelo nosso hospital tem recebido elogios, inclusive cidades como Pato de Minas, que fica a 400 quilômetros faz todos os procedimentos com a gente, entre outras cidades. Conseguimos recuperar parte de recursos chegando a um teto de R$ 400 mil/reais tentando viabilizar o Hospital do Coração", aponta.
Conforme Adriano, se forem realocados recursos da Santa Casa de Paraíso que hoje são destinados ao Hospital do Coração, conforme pretende o secretário de Saúde de Passos, estará se inviabilizando uma instituição que foi construída e preparada especificamente para isto. "Passos não compreende essa situação e mobilizou uma série de pessoas para tentar viabilizar essa vontade deles. Nós montamos toda uma apresentação e um estudo e foi nos dado um tempo para apresentar nossos serviços, assim como para Passos, para que depois a Comissão Intergestora Regional (CIR) pudesse estar tomando uma decisão. Passos não fez a apresentação, mas fez uma apresentação verbal do que eles pretendem, do que eles querem. Claro que s não querem inviabilizar ninguém, nem o hospital do Coração, o que eles querem é viabilizar o hospital deles. É uma situação natural até ai, o que não é natural é tentar 'desvestir uma santo, para vestir o outro'. São duas instituições filantrópicas que buscam sobreviver em um cenário totalmente inviável de se trabalhar, já que o Estado não nos paga. Fica muito difícil para as instituições que têm o atendimento em dia, mas não têm o recebimento", destaca.
Adriano disse ainda que Passos chegou a argumentar que estourou no orçamento da Saúde daquele município o referente a R$ 400 mil ao passo em que Paraíso sobrou tal recurso. "Isso é lógico, porque eles estão buscando atender um serviço que é referenciado em São Sebastião do Paraíso e que eles não estão preparados para isto e estão deixando de nos encaminhar esses pacientes, sendo que nós atendemos toda a região, inclusive a deles. Deixando de nos enviar esses pacientes, eles acabam extrapolando o orçamento deles", acrescenta o interventor.
Ainda, conforme o Nascimento, após reunião na terça-feira, os secretários de saúde que estiveram presentes decidiram que por enquanto não será feito nenhum remanejamento. "Foi criada uma comissão que irá trabalhar junto a Comissão Comissões Regionais Ampliadas (CIRA) a busca de recursos da nossa região que foram realocados em outras regiões e, assim, será dividido esse valor tanto para São Sebastião do Paraíso quanto para Passos, para atender tanto o Hospital do Coração em Paraíso quanto a Santa Casa de Passos, apesar de que eles não são credenciados para a atender a especialidade de cardiologia", completa.


CIRA
Na quinta-feira (5/7), aconteceu em Alfenas reunião com a Comissão Regionais Ampliadas (CIRA), que reuniu gestores de diversas cidades da região. Paraíso esteve representada pela gerente de Saúde, Eliane Uzai. "Ficou definido que não seriam remanejados recursos que vêm para o município, mas que seriam buscados recursos que estão 'soltos' no estado e não estão sendo executados pelos gestores", ressalta Uzai.
O presidente da Câmara de São Sebastião do Paraíso, Marcelo de Morais, tomou conhecimento da situação e foi a Passos. Na reunião em que o assunto foi tratado com secretários municipais de Saúde, quis manifestar-se, mas não lhe foi concedida a palavra. 
"Lamento esse inconformismo do secretário municipal e diretores da Santa Casa de Passos em querer desestabilizar o funcionamento do HCor que está cumprindo sua finalidade que é atender, e tem feito isto muito bem, a pacientes de um grande número de municípios. É um direito que lhes assiste buscar recursos, mas querer tirar do Hospital do Coração de Paraíso é algo inaceitável", diz Marcelo Morais para em seguida questionar: "Será que pensam, iremos assistir isto passivamente?" 
Conforme Eliana Uzai, da reunião saíram diversos encaminhamentos tanto para o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS/MG), quanto para o Estado, a fim de se criar uma rede de cobrança na tentativa de ter um atendimento mais rápido por parte do Governo de Minas. "Esse encontro foi muito importante, porque Paraíso ganhou apoio de gestores de outras regiões e Passos, que também esteve presente, pontuou que não quer nenhum recurso que é para São Sebastião do Paraíso, querem um recurso extra", completa.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897