TRÂNSITO

Secretário esclarece dúvidas de vereadores sobre a manutenção do trânsito em Paraíso

Por: João Oliveira | Editoria: politica | 05/04/2017 | Visualizações: 812

Miguel Félix faz uso da tribuna livre a pedido de vereadores e esclarece algumas dúvidas em relação ao trânsito em Paraíso - Foto de ASSCAM

O secretário municipal de Segurança Pública, Trânsito, Transporte e Defesa Civil, Miguel Félix de Souza, fez uso da tribuna livre na Câmara, atendendo a pedidos de vereadores, para esclarecer algumas dúvidas em relação a municipalização do trânsito em Paraíso e outras questões envolvendo a secretaria. Ele iniciou suas explicações respondendo questionamento do vereador Luiz Benedito de Paula (PHS), em relação à demanda de sinalizações verticais e horizontais e possíveis dificuldades do município para aquisição de material para manutenção do trânsito em Paraíso.
“Nós assumimos uma Secretaria de Trânsito, não somente a Secretaria, mas a gestão atual de uma maneira geral, com uma dificuldade financeira muito grande. A demanda de serviços chega a nós constantemente. Nós temos um cronograma onde traçamos algumas prioridades, e por meio dessas prioridades estamos atendendo dentro das nossas condições para poder proporcionar a população de forma eficiente o direito de ir e vir com segurança”, disse.
O vereador Paulo César de Souza (SHS), o Tatuzinho, questionou a questão de carros abandonados nas ruas, dizendo que chegou a encaminhar um ofício ao secretário sobre o caso. “É uma situação que nós percebemos ao sair pelas ruas. A melhor maneira de trazermos eficiência para estes trabalhos é fazer a conscientização da população que tem que cobrar os seus direitos. Essas pessoas que abandonam veículos nas vias públicas têm que ser responsabilizada por isso”, disse.
Conforme Miguel, a Secretaria de Trânsito, em conjunto com o Meio Ambiente, realizou uma varredura na cidade procurando identificar e notificar esses proprietários de veículos abandonados para que eles possam tomar as devidas providências. “Hoje, nossa dificuldade é que não temos um local adequado para onde depositar esses veículos. É um sonho nosso a municipalização do trânsito e com ela conseguir uma estrutura organizada e eficiente que possa pontuar essas dificuldades e chegar a um resultado que atenda a toda população”, disse.
Sobre a questão de quebra-molas em algumas vias, o secretário ressaltou a escassez de recursos, mas lembrou que existem as demandas e que elas serão atendidas de acordo com a prioridades estabelecidas. O secretário também respondeu dúvidas acerca das faixas de pedestres elevadas, que segundo ele está em processo licitatório para a construção em algumas vias de acesso rápido da cidade. “Hoje, acabamos de fazer a documentação desse processo e tão logo estaremos dando continuidade a essa demanda. É um sonho meu, enquanto cidadão, tornar o trânsito mais seguro, a exemplo da avenida Brasil, onde ocorrem muitos acidentes”, justifica.
O vereador Vinício José Scarano Pedroso (SD), lembrou que na avenida Zezé Amaral, existe a solicitação de um redutor de velocidade e um canteiro central a ser feito próximo a um posto de combustíveis e uma agência do Sicoob. “Recebemos essa situação e já foi feito um estudo com base da demanda da população. Toda demanda que tem relacionada ao trânsito, nós buscamos sempre estudar com os usuários para atender da forma mais eficiente possível”, diz.
Os vereadores questionaram também sobre a implantação da Jari (Junta Administrativa de Recursos de Infrações), suas atribuições e em quanto tempo ela estará em funcionamento em Paraíso e a questão da Zona Azul, que estaria falhando em alguns aspectos. “A municipalização do trânsito e Zona Azul é uma via de mão dupla; a maior falha da Zona Azul é a questão da fiscalização que sem a municipalização não terá eficiência”, avalia o secretário.
A Jari, conforme explica Miguel Félix, será composta por três integrantes, um deles um membro da gerência de trânsito, um representante da sociedade civil e de uma entidade de classe, nomeados pelo chefe do Executivo. “A Jari irá trabalhar em conjunto com a gerência de trânsito para regularizar todos os atos, sejam eles abusivos ou correcionais. A Jari é um mecanismo de trabalho à população e será estruturada de forma que seus membros tenham assiduidade e também respaldo para tomar decisões. O objetivo é único e exclusivo para atender a população e os usuários de nossas vias aqui na cidade”, disse.
Miguel também ressaltou o trabalho da Guarda Municipal de São Sebastião do Paraíso e disse que a categoria já está cansada de se deparar com situações em que não podem fazer nada. “A nossa Guarda é um legado do nosso município. Eu confio plenamente em todos eles e tenho certeza que não terá ninguém perseguindo condutores com um talão de multa, mesmo porque serão usados recursos tecnológicos que favorecem e dão segurança ao agente de trânsito. Já passou da hora de termos autonomia na fiscalização de trânsito, estamos cansados de ver motociclistas atropelar GMs em faixa de pedestre, ciclistas atropelando senhoras na calçada na nossa frente e na maioria das vezes sem podermos agir. Chega de omissão. Estamos cansados de querer atuar, mas sem ter nenhuma autonomia”, completou o secretário.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897