FINANCIAMENTO

Após paralisação, Caixa retoma financiamento imobiliário para linha pró-cotista

Por: João Oliveira | Editoria: brasil | 13/05/2017 | Visualizações: 330

- Foto de

Após polêmica levantada pela paralisação de financiamento para linha de crédito pró-cotistas do FGTS, a Caixa normalizou ainda na terça-feira (9/5), essa modalidade de financiamento, que é uma linha que se destina à concessão de operações de crédito exclusivamente a trabalhadores titulares de conta vinculada do FGTS, observadas as condições do Sistema Financeiro da Habitação – SFH e de utilização dos recursos do FGTS para aquisição de moradia própria.
“Essa verba é utilizada do FGTS é alocada para quem tem conta vinculada a esse Fundo e que dá direito a esse cliente a usar essa linha de crédito, que é um pouco mais acessível que a linha convencional. É uma linha de crédito mais cara que o “Minha Casa, Minhas Vida” que recebe subsídios do Governo Federal, mas é mais barato que a linha de financiamento de imóveis normal”, destaca o gerente da agência da Caixa em Paraíso, Márcio Lemos.
Conforme explicou o gerente, o Conselho Curador do Fundo FGTS aloca certa quantia de recurso que quando acaba, deve ser novamente realocado. “Foi justamente isso que aconteceu, foi necessário haver novas reuniões; havia se esgotado esse recurso e Conselho Curador realizou uma nova reunião para realocar novos recursos, esse lapso de tempo é o que ocasionou essa paralisação nessa modalidade de financiamento”, ressaltou o gerente.
Devido ao recente calendário de pagamento de contas inativas e por ter relação com o FGTS, cogitou-se a hipótese de que a Caixa estaria sem recursos para essa modalidade de financiamento, o que foi negado na quarta-feira (10/5), pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, que garantiu que os saques das contas inativas do FGTS não irão impactar nas linhas de crédito pra a compra de imóveis nem os financiamentos para projetos habitacionais para construção de novas unidades.
“O Conselho Curador destina o FGTS a essa linha de crédito, nós emprestamos a juros mais baratos porque a fonte é mais barata, mas tudo remunera e retorna ao Fundo e no caso do pró-cotista, a única vantagem que ele tem em relação ao “Minha Casa, Minha Vida”, é que não existe uma limitação no valor do imóvel; ele pode comprar um imóvel de R$ 800 mil, por exemplo, desde que ele seja cotista do FGTS e tenha esse recurso disponível”, completou o Mário Lemos.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897