SÃO TOMÁS DE AQUINO

Invasão em delegacia de Polícia em São Tomás expõe situação alarmante

Segundo delegado, péssimas condições do prédio teria facilitado a ação

Por: João Oliveira | Editoria: policia | 17/05/2017 | Visualizações: 5200

Prédio da Polícia Civil em São Tomás sofreu arrombamento na madrugada de domingo; nada foi levado - Foto de Reprodução

O arrombamento na Delegacia de Polícia Civil em São Tomás de Aquino na madrugada de domingo (14/5), expôs situação alarmante no município, que vem sofrendo com ondas de furtos e roubos, e, segundo moradores criminosos têm tido ações facilitadas devido a falta de policiamento, agravado pelo falta de efetivo de policiais civis. 
De acordo com o delegado Rodrigo Bittar, o arrombamento teria sido causado supostamente por um menor, dependente químico, de 17 anos, que teria revirado apenas a recepção. Bittar comentou sobre a situação do prédio, que estaria sucateado - o que teria facilitado a ação do menor infrator - e ainda destacou a falta de efetivo que tem prejudicado no sentido de dar uma pronta resposta dos delitos ocorridos no município.
"O prédio não oferece qualquer condição de segurança, inclusive, quando chove, é preciso colocar baldes para conter a água. É um prédio muito antigo. Outra questão é a falta de efetivo, atualmente estou apenas com um investigador, que está de férias. Foi informado ao nosso superior a necessidade de mais policias, mas o retorno que recebi foi que não há a possibilidade".
Um comerciante de São Tomás de Aquino, que deu entrevista a reportagem do Jornal do Sudoeste e preferiu não se identificar, relatou que a situação da segurança pública no município é caótica, falta efetivo de policiais civis e os índices de furtos e roubos têm preocupado a todos. Segundo o morador, somente no último mês foram 25 furtos registrados, além de dois roubos. O aquinense ressalta ainda que a Câmara Municipal de São Tomás de Aquino chegou a solicitar mais efetivo de policiais, mas que foi negado.
"Como um delegado irá trabalhar sem nenhum apoio? O delegado de São Tomás está trabalhando de pés e mãos atadas; é difícil investigar e para dizer bem a verdade, 99% dos crimes não têm solução. A região rural está em igual situação, sítios e fazendas têm sido alvo das ações desses ladrões. Precisamos melhorar a segurança pública aqui urgentemente e parece que a justiça ao invés de ajudar, tem é colocado esses bandidos na rua.  Um roubo e furto por dia em uma cidade como São Tomás de Aquino é muita coisa", desabafa o morador.
O comerciante relatou ainda que moradores têm feito o possível para se proteger das ações delituosas no município, entre elas instalação de cerca elétrica, câmera de vigilância e cães de guarda. "Meu estabelecimento já sofreu vários furtos e o último, que aconteceu em janeiro, até hoje não teve solução, não foi investigado. Eu corri atrás, consegui algumas provas, as entreguei a polícia, mas não obtive resposta. Eu me senti abandonado. É por isso que os criminosos têm aproveitado", completa o morador.
Em resposta ao ofício solicitando maior efetivo de policias civis para o município, enviado pela Câmara de São Tomás de Aquino ao chefe da 18º Departamento de Polícia Civil de Minas Gerais, Bráulio Stivanin Júnior, foi informado que recentemente foram designados quatro investigadores para a 4ª Delegacia de Polícia Civil em São Sebastião do Paraíso, a qual abrange o município de São Tomás. O departamento reconheceu que o número está aquém do necessário, e que será necessário realizar novos concursos para novas nomeações.
Ainda, em ofício assinado pelo delegado geral de Polícia da Superintendência de Investigação e Polícia Judiciária, Luiz Flávio Cortat, foi sugerido que "seja realizada gestão interna no âmbito desse Departamento (4ª Delegacia Regional de Polícia Civil), tendo em vista a momentânea impossibilidade de atendimento integral do pleito, haja vista a carência de recursos humanos existentes não apenas no município de São Tomás de Aquino, mas em todo o Estado. Informo que a demanda fora anotada para oportunas movimentações de competência desta Superintendência, condicionadas às respectivas recomposições dos quadros de servidores das diversas carreiras da Polícia Civil".
O município de São Tomás, além de estar desguarnecido de investigadores de polícia, o delegado responsável por aquela região ainda tem que dividir seu expediente com a Delegacia em São Sebastião do Paraíso. "Houve uma ampliação da minha competência e estou respondendo pela  Delegacia Adjunta de Vigilância Geral e Legislação Paralela em São Sebastião do Paraíso, que apura crimes contra administração pública, abuso de autoridade, meio ambiente, paz pública entre outros", destacou o delegado.

 

O CRIME
O arrombamento na delegacia e São Tomás de Aquino foi constatado após a Polícia Militar, durante patrulhamento, perceber que o prédio se encontrava com a porta aberta na manhã de domingo; o fato foi comunicado ao delegado responsável, que compareceu ao local para averiguar a ocorrência.
Na manhã de segunda-feira (15/5), o delegado recebeu o reforço de 12 policias que, devido ao curto período que ficaram em São Tomás de Aquino, não foi o suficiente para solucionar o caso. "Foi aberto inquérito para apurar os fatos", completou o delegado Rodrigo Bittar.

GRÁFICA E EDITORA DR LTDA

  • Av. Monsenhor Mancini, 212 - Sala 1
    Centro - São Seb. do Paraíso, MG
    CEP: 37950-000
  • E-mail: jornalsudoeste@yahoo.com.br
  • Website: www.jornaldosudoeste.com.br
  • Telefone: (35) 3531.1897