ANJOS DA GUARDA

Socorristas são os anjos da guarda dos resgates

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Entretenimento | 13-07-2022 08:19 | 350
Uma profissão que exige dedicação amor ao próximo e capacitação para atuar nas mais diversas situações
Uma profissão que exige dedicação amor ao próximo e capacitação para atuar nas mais diversas situações Foto: Divulgação

O socorrista resgatista é a primeira pessoa a auxiliar às vítimas em estado de urgência e emergência, prestando o atendimento pré-hospitalar e acompanhando-as no transporte até o hospital ou centro de saúde, com o objetivo de estabilizar o quadro até que ele possa estar devidamente amparado por todos os recursos médicos necessários.

O Dia Nacional do Condutor de Ambulância/Socorrista é comemorado no dia 10 de julho. Estes profissionais são responsáveis por transportar a equipe de socorro e os pacientes, o mais rápido possível, com agilidade, responsabilidade e presteza. Em São Sebastião do Paraíso o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) funciona desde 11 de fevereiro de 2015, quando foi inaugurado oficialmente.

São eles, os resgatistas que realizam os trabalhos de primeiros socorros e atendimento das vítimas, controla os locais de acidentes para permitir a chegada dos demais profissionais no local da ocorrência e realizam o transporte de pacientes em ambulância. Em muitos casos o socorrista é o profissional que dedica a própria vida para salvar a dos outros. Em cada ocorrência um laço que une histórias entre quem atende e é atendido, quem socorre e é socorrido.

O Consórcio Intermunicipal de Saúde da Macrorregião do Sul de Minas atende a 153 municípios. Com sede em Varginha a central é quem faz a distribuição dos atendimentos em todas as cidades interligadas.

O socorrista Mário Lucio Rezende Ferreira, do SAMU em Varginha diz que o reencontro com as vítimas é uma raridade, “mas que é um trabalho gratificante”. Ele destaca a importância da missão. “Nós que fazemos este atendimento pré-hospitalar nem sempre temos este retorno, então quando temos esta oportunidade de encontrar o paciente e saber que o nosso atendimento trouxe uma qualidade de vida isso é muito importante para nós”, comenta.

Como o atendimento emergencial desempenha um papel fundamental na preservação de vidas, a atividade foi regulamentada em 2002 pela Portaria 2048, do Ministério da Saúde, que estabelece as normas técnicas ligadas à prática nos Estados brasileiros, além de delimitar a grade curricular dos cursos da área.

Dessa forma, para se tornar um socorrista resgatista é necessário estar devidamente treinado e capacitado para a função através de um curso de especialização que atenda a todas as exigências previstas em lei.

Destinado para qualquer pessoa, acima dos 18 anos de idade, de nível médio, técnico ou superior, o curso de socorrista oferece formação prática e teórica, sendo que, para obter a certificação, o aluno precisa apresentar desempenho satisfatório em ambos os aspectos. No final do curso e após a aprovação, os profissionais passam a ser habilitados a darem suporte de urgência e emergência em situações como acidentes de trânsito, mal súbito, inundações, incêndios entre tantas outras situações.

O mercado de trabalho para o profissional de socorro e resgate é bastante amplo, indo desde setores da saúde pública e privada, até a prestação de serviços, como hospitais, centros de saúde, SAMU, ambulâncias e afins. A média salarial, assim como as horas trabalhadas, varia de acordo com a formação profissional. No caso de médicos, a carga horária pode ser de 12h a 24h, já para nível médio, enfermeiros e técnicos, pode chegar até 36h.

Para exercer a profissão é necessário ter obrigatoriamente algumas habilidades, como a idade a partir dos 18 anos e estudar ao menos até o Ensino Médio. Também é recomendável ter facilidade de comunicação, sendo de urgência, preparo físico e controle emocional. Para desempenhar a função com eficiência, antes de tudo é preciso ter vocação, consciência da carga de responsabilidade que a profissão exige e perfil emocional adequado para ser capaz de tomar decisões equilibradas, mesmo sob pressão.

Desta forma, de maneira geral, torna-se essencial ser dotados de autoconfiança, empatia, paciência, calma e equilíbrio. Lembrando que o curso de socorrista e resgatista habilita o profissional apenas a prestar os primeiros cuidados à vítima. Procedimentos invasivos e tratamentos medicamentosos só podem ser realizados por médicos ou sob sua orientação, em qualquer circunstância.

Tendo em vista a importância das técnicas de primeiros socorros, a profissão do socorrista e resgatista tem se mostrado cada vez mais essencial, afinal, este é um profissional que possui papel fundamental quando a intenção é salvar uma vida. Em primeiro lugar, deve-se entender que o socorrista é o profissional responsável por realizar o primeiro atendimento à vítima, tendo como objetivo mantê-la viva e estável até a chegada do atendimento médico especializado. Além de hospitais e clínicas de pronto-atendimento, o socorrista também pode atuar no Corpo de Bombeiros, na polícia e até mesmo em grandes empresas ou estádios de futebol, por exemplo.

Considerando a importância desta profissão, faz-se necessário entender quais são as principais características de um socorrista e resgatista. É preciso que a pessoa tenha empatia e amor pela vida. Paciência e tranquilidade, certamente estas são as primeiras características que devem estar presentes no profissional que deseja seguir na área de Socorro e Resgate. Isso porque, estes profissionais atuam diretamente em situações de risco e emergência, sendo essencial a calma e a tranquilidade para saber lidar com surpresas que podem surgir pelo caminho.

Autoconfiança e conhecimento são fatores essenciais para um bom socorrista, o conhecimento amplo e profundo nos primeiros socorros e nas técnicas de preservação da vida está presentes em um bom profissional. Além disso, é preciso que ele tenha autoconfiança e não duvide de seus conhecimentos, afinal, a vida de um paciente está em suas mãos até a chegada do atendimento médico especializado.

Senso de urgência e facilidade na tomada de decisões. É importante conseguir compreender de forma rápida o que é mais urgente em uma cena de acidente, por exemplo, é essencial para a tomada de decisões, que deve ser rápida e efetiva. Muitas vezes, não há tempo para dúvidas, é preciso que o profissional tenha noção sobre suas ações e que possa efetuá-las de maneira assertiva com o intuito de preservar a vida do paciente.