CURTAS EDIÇÃO 2802

Curtas

Por: Redação | Categoria: Cidades | 30-03-2024 21:16 | 135
Foto: Arquivo

Dança das cadeiras
A “dança das cadeiras” dos políticos paraisenses para o próximo pleito municipal está movimentada e entre tantas possibilidades de mudança de partido, a que mais chama a atenção no cenário local é a situação envolvendo o PSD, agora presidido pelo prefeito e pré-candidato à reeleição, Marcelo Morais, que deixou o PSC. Ocorre que o grande nome da legenda na cidade, até então, era o vereador Sérgio Aparecido Gomes, desafeto declarado de Morais. Diante de tudo isso, Serginho informou que vai deixar o partido e já tem conversas avançadas com outro grupo.

Água e óleo
Antes do aviso de que Serginho deixaria o PSD, Morais foi perguntado sobre a participação do vereador no pleito deste ano pela chapa e respondeu que Gomes dificilmente teria a candidatura aceita pelo grupo político na convenção partidária, e que o melhor a se fazer seria buscar outra sigla na janela que se fecha no início de abril. “Pelo PSD, eu diria que é impossível de isso acontecer”, teria falado o prefeito. Pelo visto, como água e óleo, eles não vão se misturar.

Não conseguiu
Por conta do tempo fechado, e pelo fato do Aeroporto Joaquim Montans Júnior não operar por instrumentos, aeronave Arcanjo que integra o Batalhão de Operações Aéreas (BOA), com equipes de Bombeiros e Samu que partiu de Divinópolis trazendo uma criança de Nova Serrana para ser internada na Santa Casa, precisou retornar à sua origem com a paciente. Ao que consta a instalação de instrumentos, hoje em dia mais avançados, é inviável, dado ao alto custo, além de demandar operadores especializados.

Caso sério
Um caso sério. Assim se expressam em forma de descontentamento, paraisenses em diversos locais no tocante a matos por vias públicas e lotes, alguns deles do próprio município. Verdadeiro café sem conserto, que o setor competente não tem dado conta de resolver. Terceirizado ou com funcionários municipais a questão precisa ser resolvida.

Tem base?
Há de se convir que não cabe mais a explicação que equipes estão atuando em outros locais, e que oportunamente irão atender às demandas. O contribuinte tem direito de viver em local limpo e bem cuidado, paga imposto para isto. Não pode ser, necessariamente, quando der certo. E ao que consta, cansadas de esperar, algumas pessoas têm contratado trabalhadores para fazer “capina” de ruas, nas imediações onde moram.

De sola
Vereadores resolveram entrar de sola em proprietários e condutores de veículos com escapamentos barulhentos, aqueles que por bel prazer têm infernizado noites de sonos de muita gente. Há duas semana Juliano Carlos, o Biju, encaminhou ofício ao Ministério Público e a autoridades da área de segurança solicitando sejam tomadas “ostensivas” para evitar este tipo de abuso. Citou como exemplo o que vinha ocorrendo no bairro San Genaro, principalmente em finais de semana. E ao que consta, os anarquistas migram também para outros locais, infernizando aqui e acolá.

Penalidades
Autoria do vereador Marcos Antônio Vitorino, assinado pelos demais vereadores, entrou em tramitação na Câmara Municipal de São Sebastião do Paraíso, projeto de lei que dispõe “sobre a emissão de ruídos sonoros excessivos”, produzidos por escapamentos de veículos automotores. O projeto prevê penalidades aos infratores, tanto para proprietários, quanto para condutores. Multa de caráter ambiental, apreensão ou remoção do veículo, estão previstas.

Cumpriu
O governador Romeu Zema cumpriu o prometido no dia 18 deste mês e retirou empresas importadoras de leite em pó do Regime Especial de Tributação. A medida é uma resposta à demanda dos produtores de leite do estado, que alegaram concorrência desleal, em relação ao aumento da importação do insumo nos países do Mercosul. O Decreto nº 48.791 foi publicado nesta quinta-feira (28/3), no Diário Oficial.

MEMÓRIA PARAISENSE
No dia 30 de março de 1933 (há 91 anos) o prefeito José Honório Vieira Júnior, com auxílio do Dr. Noraldino Lima, então  secretário estadual da Educação, consegue a construção da primeira Escola Estadual em Termópolis, conforme atesta a placa primitiva construção: “Construído no governo de S. Exa. o Sr. Presidente Dr. Olegário Maciel, sendo  secretário da Educação e S. Pública o Exmo. Sr. Dr. Noraldino Lima – 1933”. Na década de 1970 a atual escola foi instalada, e em 23 de janeiro de 1996, referida instituição de ensino foi municipalizada.