PRESO

Polícia do Tocantins prende pai de criança baleada em Paraíso

Por: Roberto Nogueira | Categoria: Polícia | 28-07-2022 17:04 | 879
Homem foragido e acusado de envolvimento de vários crimes foi preso pela polícia do Tocantins
Homem foragido e acusado de envolvimento de vários crimes foi preso pela polícia do Tocantins Foto: Divulgação

Uma ação conjunta entre forças policiais de Minas Gerais, do Ceará e do Tocantins resultou na quarta-feira,27, na localização e prisão de E.S.G., que estava foragido de São Sebastião do Paraíso desde o dia 17 de junho. Ele é o pai da criança que foi baleada na cabeça enquanto brincava com a arma que estava em posse do homem. A polícia ainda investiga se há envolvimento dele em um outro crime ocorrido em 12 de julho, quando seu cunhado foi morto durante um culto evangélico no bairro João XXIII, em Paraíso. Com a prisão a polícia espera elucidar estas ocorrências.

Com a troca de informações veio a confirmação de que o suspeito estava residindo em Tocantins, e coube a Polícia Militar de Gurupi (TO) efetuar a prisão dele, que a princípio não apresentou resistência. Ele poderá ser transferido para Paraíso ou mesmo ser encaminhado para o Ceará.

Há contra E.S.G. um mandado de prisão por envolvimento a crime ocorrido no Ceará. Desde então ele havia se mudado com a esposa e filhos para São Sebastião do Paraíso e residia no bairro João XXIII. Em 17 de junho os filhos dele brincavam dentro de casa quando encontraram uma arma e começaram a manuseá-la. Em dado momento houve o disparo que atingiu a nuca de uma das crianças de sete anos.

E.S.G. prestou socorro à vítima que foi deixada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e desapareceu da cidade. O menino foi submetido a cirurgia e encontra-se em recuperação.

A Polícia Civil de Paraíso ainda investiga se há alguma participação ou envolvimento de E. no crime que vitimou Kauê Alves dos Santos, 26 anos. Ele foi assassinado em 12 de julho quando participava de um culto evangélico, no bairro João XXIII, em Paraíso. Três pessoas envolvidas neste crime foram presas no dia seguinte em Teófilo Otoni. Um dos acusados afirmou que a morte de Kauê teria sido uma vingança por outros crimes ocorridos no Ceará.

O delegado Rafael Gomes está à frente das investigações e com a prisão de E.S.G. pretende esclarecer várias nuances dos crimes ocorridos. É sabido que E. não possui registro e nem porte e por isso a arma que tinha em casa estaria irregular. O inquérito policial segue em andamento.