SOLUÇÃO TREVO

Trevo do “ABC” volta a ser pauta na Câmara, mas solução ainda não foi encontrada

Gerente da loja de atacado e varejo de Paraíso vai à tribuna, mas apresenta apenas nova medida paliativa. Coordenador do DER-MG não comparece à sessão
Por: Ralph Diniz | Categoria: Transporte | 20-09-2023 15:53 | 1298
Gerente da loja do ABC de Paraíso, Yan Bueno, disse que encaminhará questionamentos sobre infraestrutura de acesso ao atacado ao setor de engenharia da empresa
Gerente da loja do ABC de Paraíso, Yan Bueno, disse que encaminhará questionamentos sobre infraestrutura de acesso ao atacado ao setor de engenharia da empresa Foto: ASSCAM

A pauta da sessão da Câmara desta semana prometia trazer respostas sobre a questão da entrada e saída de veículos de um atacarejo situado às margens da rodovia MCG-491, em São Sebastião do Paraíso, que tem gerado preocupação e debates em torno do risco de acidentes no local. Isso porque estava previsto que representantes do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) e do estabelecimento comercial usariam a tribuna para falar sobre o assunto. Porém, após a reunião do Legislativo, ficaram mais dúvidas do que esclarecimentos.

A pedido do vereador Marcos Vitorino, a Câmara convidou o coordenador da 24ª Unidade Regional DER-MG, Gaspar Ponciano da Silva, para prestar esclarecimentos a respeito do acesso à rodovia MCG-491 pelos clientes do ABC Atacado e Varejo, uma vez que muitos condutores que saem do estabelecimento preferem fazer a travessia da pista sentido Paraíso/Monte Santo de Minas e realizar a conversão proibida à esquerda para voltar à cidade do que dirigir por um quilômetro e utilizar o retorno existente no trecho.

 Entretanto, o coordenador regional do órgão ligado ao governo estadual não compareceu à sessão realizada na tarde de segunda, 18, e tampouco enviou representantes e nem apresentou justificava para sua ausência. O vereador Lisandro Monteiro criticou o “descaso” do DER-MG com a situação. “Se for esperar a DER, não vão fazer nada. Desde o mandato anterior, nós temos cobrado a presença do Gaspar aqui, e eles nunca aparecem. Eu até já enviei um ofício questionando para que serve o DER, mas é claro que eles não responderam. É uma falta de respeito, eles não consideram ninguém. É uma perda de tempo chamá-los aqui”.

Já pelo lado do ABC Atacado e Varejo, compareceu à tribuna o gerente da loja de Paraíso, Yan Caique Bueno, que informou que a empresa está instalando barreiras de concreto entre as pistas da rodovia, de maneira provisória, a fim de impossibilitar a travessia irregular dos condutores que frequentam o estabelecimento. Segundo o funcionário, cada peça da barreira pesa cerca de uma tonelada. Em julho, o ABC já havia instalado pinos sinalizados no local para conter os infratores, contudo, parte dos dispositivos foi removido dias depois e as travessias continuaram ocorrendo.

Apesar dos esclarecimentos a respeito das medidas paliativas por parte do atacado, Bueno não soube responder aos questionamentos de vereadores em relação a possíveis projetos para a solução do problema, fosse a criação de uma nova saída de veículos ou, então, a construção de um trevo de acesso na rodovia, em frente ao mercado. De acordo com o gerente, a empresa possui um departamento de engenharia e construção e que todas as questões levantadas pela Casa seriam encaminhadas por ele ao setor.

Em dezembro do ano passado, o Jornal do Sudoeste recebeu informações de que caberia à empresa proprietária do atacado e varejo proceder as adequações e construir alça de acesso e saída, sendo que esta já havia sido autorizada por órgãos competentes do Estado e a Prefeitura já a teria notificado o ABC para que a obra fosse realizada.

Em nota enviada à reportagem no mês passado, o DER-MG limitou-se a informar que a responsabilidade pela execução de um trevo de acesso ao atacado é do próprio empreendimento. “O DER-MG já aprovou o projeto da obra e tem feito tratativas com a empresa para agilizar a implementação do acesso regular.