ENTRETANTO

Entretanto

Por: Renato Zupo | Categoria: Justiça | 18-10-2023 00:03 | 210
Renato Zupo
Renato Zupo Foto: Arquivo

Terra de todo mundo 
Felipe Neto, que já prejudicou a imagem de um monte de “Pensadores de Youtube” que dele divergiam no campo político, agora bebe do próprio veneno. Seus perseguidos agora insuflam patrocinadores e público em geral contra ele. É uma frescura de lado a lado, se querem saber. Não é que Internet e rede social sejam terra de ninguém, porque não são. Internet e rede social têm que ser terra de todo mundo, onde todos possam se manifestar livremente, respondendo civil e criminalmente em caso de abusos, é claro. Tivéssemos uma legislação de imprensa e um marco regulatório eficientes, nada disso ocorreria.

Presidente “in door”
Lula voltou de misteriosa cirurgia e está despachando em “home office”, o que é absolutamente normal, não fossem os problemas que este senhor vem enfrentando à frente da presidência da nação, o  que torna tudo mais preocupante. Ele se tornou presidente como alternativa a Bolsonaro, que estaria reeleito contra a vontade de muitos e os interesses de alguns. Lula não possuía, como não possui, legitimidade: conceito que significa, de maneira simplista, a assimilação popular do poder. Metade da população o odeia. Na verdade, está governando “in door” há muito tempo e não agora, de “home office”, por conta de cirurgia.

Vice de novo
Sua saúde, sobretudo mental, não é mais a mesma a muito tempo. Seus percalços processuais e a cadeia que tomou lhe fizeram muito mal. Não creio que conclua os quatro anos de mandato. A luta das esquerdas é para que conclua ao menos dois, para que não tenham que ocorrer novas eleições. Com metade da gestão cumprida, ainda que para cumprir tabela, Alckmin assume. O bom e velho teatro das tesouras, cortando em retalhos a vontade popular que jamais, jamais penderia para Geraldo Alckmin em circunstâncias de normalidade jurídica. E mais uma prova de que é muito importante, historicamente, ser vice presidente da República: João Goulart, Sarney, Itamar e Temer o eram, e acabaram gerindo a nação, sem cacife eleitoral para tanto.

O livro de Bolsonaro
Escrito há inúmeras mãos, “Jair Bolsonaro – o Fenômeno Ignorado”, está vendendo aos borbotões e a grande mídia, principalmente o jornalismo de cultura, calam-se obsequiosamente. Que imprensa é essa, que só publica o que lhe convém? Em sentido oposto, figuras públicas descem o pau e a borracha no livro e há campanhas de desinformação divulgando que será proibido. Quanto a este último fato, não duvido. Lembram-se do livro autobiográfico do ex PGR Rodrigo Janot? Sumiu da mídia e das livrarias.  A reescrita da história é uma das características marcantes dos regimes totalitários – que fazem isso suprimindo dados, não veiculando informações, distorcendo contextos, deformando opiniões. Ninguém mais fala de Adélio Bispo, ou se pergunta porque Jean Willys renunciou ao mandato de deputado federal (o blogueiro que falou foi preso!). Os planos para matar Sérgio Moro, investigados pela Polícia Federal, também não são alvo da grande imprensa jornalística. A conexão entre o PCC e políticos progressistas, afirmada pelo ex-detento Marcos Valério, caiu no esquecimento.

O caso PC Farias
Trinta anos atrás nos enfiaram goela abaixo os fatos distorcidos que culminaram na morte de PC Farias, ex-tesoureiro da campanha vitoriosa de Fernando Collor de Mello à presidência da República. Preso e condenado por corrupção, tão logo solto se isolou do mundo em sítio nos arredores de Maceió, mas permanecia guardião de segredos perigosíssimo. Foi achado morto à tiros ao lado do cadáver da amante exterminada da mesma forma e polícia, perícia, justiça e meios de comunicação nos fizeram crer que primeiro a moça matou PC para depois se suicidar (com mais de um tiro!). E passou batido até hoje.

A mesma velha História
Dentro desta realidade distópica  de manipulação da verdade, não me espantará se um dia nos depararmos com imagens de pilhas de livros de Bolsonaro queimando em praça pública, assim como era feito pelos nazistas com livros escritos por judeus, durante a segunda guerra mundial. O genial na História é que ela sempre se repete e nós nunca nos apercebemos disso.

Israel de Direita?
Neste exato momento prossegue o conflito de Israel contra o Hamas na Faixa de Gaza. O país avança entre palestinos para recuperar seus reféns e destronar terroristas do poder na região, destruindo seus postos militares, arsenais e vias de  escape – se inocentes forem mortos no meio desta missão, são efeitos colaterais da guerra. Não há é mais espaço para guerras de extermínio absoluto, em que se pretende a destruição bélica integral da população inimiga. A guerra moderna, conquanto permaneça estúpida, exige objetivos pragmáticos específicos e imediatos: tomar o poder, prender terroristas, libertar reféns, etc... Brasileiros é que permanecem politizando tudo à esquerda ou à direita, por vezes de maneira idiota. Tem desinformado um lado e de outro lado dedicando à Israel uma posição de conservadorismo e acoplando a imagem de Palestinos à de uma esquerda progressista – como se o ideário muçulmano tivesse algo de progressista.

O dito pelo não dito.
Os poetas odeiam o ódio e fazem guerra à guerra.” (Pablo Neruda,  poeta chileno).

RENATO ZUPO – Magistrado, Juiz de Direito na Comarca de Araxá, Escritor.