EXPORTAÇÃO CAFÉ

Paraíso é a 9ª região que mais exporta cafés no Brasil

Vendas do produto para fora do País somam mais de US$ 357 milhões em dois anos. Produtores estão cada vez mais focados em oferecer cafés de qualidade aos consumidores
Por: Ralph Diniz | Categoria: Agricultura | 13-11-2023 16:16 | 1632
Foto: Jornal do Sudoeste/Nelson Duarte

São Sebastião do Paraíso vem ganhando destaque como uma das principais regiões exportadoras de café do País. Segundo o setor de Agronegó-cios da ACISSP (Associação Comercial, Industrial, Agro-pecuária e de Serviços de São Sebastião do Paraíso), a cidade, conhecida por seus fatores ambientais e de cultivo de alta qualidade, alcançou a notável posição de nona maior exportadora de café do Brasil.

Segundo dados da Acissp Agro, entre os anos de 2022 e 2023, somente Paraíso exportou 357,6 milhões de dólares em cafés. Já nos últimos cinco anos, as vendas somam 755,7 milhões de dólares. Leandro Cunha Galvão, coordenador do setor da associação que cuida do Agronegócio, enfatiza a importância histórica da região na produção de café: “A nossa cidade já tem uma tradição muito grande em cafés. As plantações originárias da região começaram de São Sebastião do Paraíso”, explica, falando que a tradição se transformou em um forte alicerce para o sucesso atual.

O foco na qualidade e na sustentabilidade tem sido um fator chave para manter a competitividade da região. Conforme Galvão detalha que Paraíso “possui um terroir que produz uma qualidade extraordinária, é uma região que vem se especializando cada vez mais nos cafés especiais.” Este foco em cafés especiais, segundo ele, envolve uma migração para melhores práticas de pós-colheita e manejo, elevando ainda mais a qualidade do produto.

Galvão também menciona os desafios enfrentados pelos cafeicultores, especialmente na safra deste ano, marcada por condições climáticas adversas em todo o País, afetando a produtividade da comm-oditie. Contudo, ele ressalta a resiliência da região, que conseguiu manter uma produção de qualidade apesar das dificuldades.

Quanto aos mercados de exportação, Galvão aponta a diversidade e o alcance global dos cafés paraisenses, que têm sido aceitos e apreciados em vários pontos do planeta: “Nós temos grandes exportadores que estão baseados na cidade. As principais praças estão concentradas na Europa e Estados Unidos, mas também já enviamos cafés para a Colômbia”, ressalta.

Ainda sobre a busca pela qualificação dos cafés produzidos na região, o coordenador da ACISSP Agro cita a realização da 5ª edição do concurso “Paraíso dos Cafés Finos”, em parceria coma a Emater e a prefeitura. Segundo ele, a inovação e a busca por excelência na região são evidenciadas pelo aumento significativo na participação do evento. “Este ano a gente teve também uma surpresa muito agradável, um crescimento de quase 30% no número de concorrentes no concurso,” destaca Galvão, ilustrando o comprometimento dos produtores com a qualidade, mesmo em tempos difíceis.

O concurso possui “Paraíso dos Cafés Finos” tem como objetivo incentivar a constante melhoria da qualidade do município como meio mais eficaz na conquista de novos mercados; agregar valor ao produto e atender à crescente demanda por produtos diferenciados; identificar os cafés de qualidade existentes nas microrregiões do Município; incentivar a participação dos cafeicultores no processo produtivo e de qualidade e divulgar as qualidades dos cafés no município. Neste ano, serão distribuídos R$ 40 mil em premiação aos participantes.