CAFÉS ESPECIAIS

Cafés de Paraíso ganham notoriedade no cenário dos especiais

Produtores do município têm participado e vencido concursos renomados voltados para a qualidade dos produtos
Por: Ralph Diniz | Categoria: Agricultura | 23-12-2023 07:27 | 1470
Sirlei Sanfelice tem sido uma das produtoras que estão elevando o nome de Paraíso no cenário dos cafés finos
Sirlei Sanfelice tem sido uma das produtoras que estão elevando o nome de Paraíso no cenário dos cafés finos Foto: Divulgação

Em São Sebastião do Paraíso, a produção de cafés especiais está não apenas crescendo, mas também conquistando reconhecimento em importantes concursos nacionais e internacionais. A região, que já é a nona maior exportadora de café do Brasil, vem se destacando por produzir alguns dos melhores grãos do país.

Sirlei Sanfelice, engenheira agrônoma, extensionista da Emater-MG, e produtora de café, é uma das figuras centrais nesse sucesso. Vencedora em concursos como o Concurso de Qualidade dos Cafés da Região Sudoeste de Minas e o "Florada Premiada" da Três Corações, Sirlei exemplifica o potencial da região. "Paraíso sempre teve um potencial enorme para produzir café de qualidade. Agora ele está sendo evidenciado com as participações nos concursos", declara.

A extensionista ressalta que as vitórias recentes não são fruto do acaso, mas sim da persistência e do reconhecimento do terroir local. "Não é sorte, é porque realmente existe um potencial da região", enfatiza.

A produtora também destaca a importância da Semana Internacional do Café, onde a região Sudoeste marcou presença forte, e a atuação da imprensa local, que tem sido fundamental na divulgação do trabalho dos produtores. "Eles têm nos auxiliado demais, levando o nosso trabalho para grandes distâncias", diz Sirlei.

Outro aspecto importante, segundo a cafeicultora, é o pensamento coletivo que vem se desenvolvendo na região, englobando a Alta Mogiana e a macrorregião do Sudoeste. Esse enfoque tem fortalecido a participação de todos na promoção do café da região.

Além dos produtores mais estabelecidos, os pequenos cafeicultores também estão ganhando destaque, graças ao apoio da Emater. "O foco da Emater é o trabalho para o pequeno produtor", explica Sirlei, destacando que a Emater promove e apoia concursos municipais e estaduais acessíveis aos pequenos produtores, oferecendo-lhes mais oportunidades de visibilidade e desenvolvimento.

 

O PAPEL DA ACISSP AGRO

Para a Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Serviços de São Sebastião do Paraíso (ACISSP), o município está ganhando cada vez mais destaque no cenário nacional e internacional por seus cafés de qualidade excepcional. Segundo Gilson Aloise de Souza, diretor de Agronegócios da ACISSP, a região é notável pela "bebida de café com bastante corpo, doçura, atribuídos à altitude e ao sol", além de uma "região que não tem tanta alternância de temperaturas", o que confere nobreza ao produto.

De acordo com o diretor, nos últimos 10 a 15 anos, o município emergiu como um grande produtor de cafés finos, com um volume significativo de sacas. "Vários produtores já participaram de concursos, classificando-se e ficando finalistas", destaca Gilson, citando eventos como o concurso da Emater, BSCA, Illy Café, e outros municipais e de renome nacional e internacional.

Souza explica que a ACIS SP desempenha um papel vital neste avanço. "Em 2023, criamos a área de agronegócio" e que o objetivo é conectar a produção de café de qualidade ao mercado e, finalmente, ao reconhecimento do consumidor. A associação já promoveu várias feiras e concursos de qualidade em parceria com a prefeitura local.

A ACISSP Agro também estuda projetos para a 6ª edição da Fetec Agro em 2024, após ter distribuído R$ 40 mil em premiações no concurso de café de qualidade deste ano. "Algumas parcerias, como os núcleos de comércio e de classificação, são cruciais", explica Gilson. A associação montou um laboratório para avaliações e pontuações dos cafés, estendendo-se a empresas associadas e ao mercado.

Além disso, a ACISSP tem colaborado em estudos científicos sobre novas tecnologias e parcerias na área de educação, como o curso de pós-graduação em cafeicultura com o PróCafé, atraindo grande interesse da região.

Destaca-se ainda o envolvimento da ACISSP com o Centro Comércio Café de Minas Gerais e parcerias com a Fecon e a Universidade Federal de Lavras, focando em análises de solo e outras pesquisas. "Os núcleos de cafeicultura também estão sendo criados para desenvolver e fomentar o trabalho do agro", adiciona Gilson.

O diretor ainda destaca o crescente envolvimento das mulheres no setor, exemplificado pela ascensão da Associação Mundo Mulher, que reúne agricultoras para fomentar a cafeicultura com conhecimento e inovação. Por fim, Souza enfatiza que tais iniciativas e parcerias não só reforçam a posição de Paraíso no mercado de cafés especiais, mas também evidencia a importância da inovação e da educação no desenvolvimento sustentável do agronegócio.