QUEDAS ENERGIA

Moradores da zona rural reclamam de quedas de energia frequentes

Produtores de leite e criadores de aves afirmam que estão tendo prejuízos com “piques” de energia. Vereador aciona Cemig
Por: Ralph Diniz | Categoria: Agricultura | 02-03-2024 08:45 | 724
Foto: Reprodução Rede Sociais

Moradores de comunidades rurais de São Sebastião do Paraíso têm enfrentado um desafio que impacta diretamente suas vidas e atividades econômicas: a instabilidade no fornecimento de energia elétrica. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), responsável pelo serviço na região, tem sido alvo de reclamações devido às frequentes interrupções, que causam não apenas inconvenientes, mas também prejuízos financeiros significativos, especialmente para os produtores rurais.

Os mais afetados pela situação são os donos de granjas e os produtores de leite. A energia elétrica é essencial para manter o aquecimento dos viveiros e para estocar o leite em tanques refrigerados até a entrega aos compradores. A presidente da Associação Rural da Comunidade do Morro Vermelho, Camila Isaura, relata os transtornos vividos pelos moradores: “No final de 2023, que a gente ficou quatro dias sem energia, todo mundo teve prejuízo, porque descongelou o freezer de todo mundo. Carne, tanque de leite... a gente ficou quatro dias sem energia. Olha, foi terrível. Nós ligávamos [para a Cemig] todos os dias, e não encontravam o problema”, recorda.

Dias atrás, a situação se repetiu, porém, por menos tempo. “E agora dessa vez, graças a Deus, foi só um dia, mas já era dia de leiteiro buscar. Mesmo assim, tivemos que improvisar com o trator para refrigerar o leite”, completa Isaura.

Marcelo Moraes da Silva, presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), também comenta sobre as dificuldades enfrentadas pelos produtores rurais: “Fui procurado por vários deles, lamentando os transtornos causados pelos constantes piques de energia. Um dia sem eletricidade pode significar um prejuízo de milhares de reais, afetando não apenas os produtores, mas a economia da cidade como um todo”, diz.

A situação alarmante chamou a atenção de autoridades locais. O vereador Luiz Benedito de Paula abordou o problema em uma sessão ordinária da Câmara Municipal no dia 19 de fevereiro, solicitando que um ofício fosse enviado à gerência regional da Cemig em Passos. O documento exigia uma solução para os frequentes “piques” de energia que têm assolado não apenas a comunidade do Morro Vermelho, mas também outras regiões como a Faxina. O vereador também pediu que a Cemig fornecesse avisos prévios sobre cortes de energia programados para minimizar os prejuízos.

A reportagem do Jornal do Sudoeste entrou em contato com o gerente regional da Cemig, Alexandre Silveira Castro, que informou ainda não ter recebido o ofício de Luiz de Paula, mas que já havia indicado aos vereadores de Paraíso, durante uma de suas vindas à Câmara, de que eles poderiam encaminhar suas demandas a ele via telefone, e-mail ou até mesmo por WhatsApp, além do pedido documentado, pois, assim, a companhia poderia atendê-los com mais celeridade.

Quanto às quedas de energia acidentais que podem estar ocorrendo, Castro diz que o ideal para identificar as causas é ter em mãos as contas de dos produtores que tiveram maiores problemas para que a companhia entenda o que aconteceu, uma vez que há registros no sistema da Cemig de todas as ocorrências que levaram às quedas de fornecimento. “Pode ser uma árvore na rede fora da área de servidão da Cemig, tratores que esbarram nos suportes das redes elétricas, entre outros incidentes que são impossíveis de serem previstos”.

Em relação aos avisos de cortes programados por serviços a serem realizados ou emergenciais, o gerente informa que a Cemig informa seus clientes da zona rural sempre que tal ação é necessária e que tal comunicação é feita por celular, sms, ou e-mail, por isso é importante que os clientes mantenham seus cadastros sempre atualizados na companhia.