39 PRESOS

Em megaoperação 39 pessoas são presas em Paraíso por tráfico em presídio e cidades da região

Por: Nelson Duarte | Categoria: Polícia | 20-04-2024 04:57 | 3264
Foto: Divulgação/PM Minas Gerais

A Polícia Militar deflagrou na manhã desta quarta-feira (17) em São Sebastião do Paraíso a “Operação Entre Muros”. Com efetivo em torno de 250 policiais, objetivou o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão relacionados ao tráfico de drogas e associação para o tráfico na região. A megaoperação, por meio do 43.º Batalhão de Polícia Militar, de São Sebastião do Paraíso, teve participação da Diretoria de Inteligência, foi em conjunto com o Ministério Público de Minas Gerais.

Em entrevista coletiva em que participaram o promotor de justiça, Marcos Pierucci Freitas, o tenente-coronel Fábio Assis Chiaradia e a porta-voz da PMMG, major Layla Brunela, ela disse que a operação teve plano estratégico lançado esse ano, mas que “já vem em construção desde o ano passado, e um de seus principais objetivos é o combate às organizações criminosas.

“Não fazemos isso sozinhos, ou de maneira deliberada, precisamos seguir a legalidade, do apoio de outros órgãos, uma junção do Poder Judiciário, do Ministério Público, apoiando órgãos de segurança”, salienta.

Mandados foram cumpridos a maior parte em Paraíso, mas também em Monte Santo de Minas, Nepomuceno e em São Paulo, capital. O alvo foram 54 pessoas, das quais 40 com mandado de prisão. Trinta e oito foram cumpridos. Houve ainda uma prisão em flagrante de um homem por tráfico de entorpecentes, para o qual não havia mandado.

Major Layla ressalta que foi operação bem sucedida, e que os 54 alvos “são autores contumazes de vários delitos aqui na região principalmente o tráfico de drogas e associação para o tráfico, e somam 290 passagens pela Polícia Militar, são quase 300 crimes já cometidos por esses infratores. Destes 200 inquéritos já foram instaurados pela Polícia Judiciária que continua no processo de investigação da continuidade ao trabalho realizado pela Polícia Militar. Vários possuem correlação direta, outros de forma indireta com o PCC, sendo organização muito ligada ao tráfico”.

Foram apreendidos 30 celulares, cadernos de anotações diversas ligadas ao tráfico de entorpecentes, drogas em várias residências, balanças de precisão e dinheiro.

Participaram da operação ao longo dos dias, policiais militares da sede do 43º BPM sediado em São Sebastião do Paraíso, do 12º BPM, em Passos do 29º BPM de Poços de Caldas e também do 64º BPM de Alfenas, militares do Comando de Missões Especiais sediado na capital, Batalhão de Choque, Batalhão Rotan, e Regimento de Cavalaria. Na execução atuaram também o Policiamento Especializado, Meio Ambiente, Policiais Militares Rodoviário, e o Comando de Aviação. “Reforço do nosso policiamento ostensivo para apoiar e executar atividade que foi trabalhada pelo Serviço de Inteligência, local, quanto da Diretoria de Inteligência”, ao longo desse ano.

 

O promotor de justiça Marcos Pierucci Freitas, disse que o Serviço de Inteligência da Polícia Militar recebeu informações que criminosos ligados ao PCC estavam planejando crimes graves, como tráfico de drogas entre outros. Em contato com o Ministério Público, solicitou-se interceptação telefônica, e foi constatado que havia um grande número de pessoas com o tráfico de drogas, muitas delas, presas no presídio de Paraíso. E que ainda presas, ainda continuavam a comandar o tráfico, fora e dentro do presídio.

“Conseguiram fazer com que quantidades relevantes de drogas fossem inseridas dentro do estabelecimento prisional e essas pessoas de dentro do presídio contavam com apoio é muitas vezes de parentes às vezes a companheira que estava em liberdade ou então irmãos a inclusive até de mães dessas pessoas presas, que auxiliavam no tráfico de drogas, com a continuidade do comércio ilícito pelas ruas da cidade, quanto dentro da unidade prisional”.

“São indivíduos muito conhecidos nos meios policiais, então houve a necessidade de um determinado momento, é importante ressaltar que foram realizadas prisões também em flagrantes em 2023 e 2024, evidentemente que a operação não poderia naquele momento ser revelada por motivos óbvios. E chegou se a conclusão de que haveria necessidade da deflagração dessa operação, hoje realizada”, enfatizou o promotor.

Marcos Pierucci salienta que “não houve a comprovação de envolvimento de nenhum policial penal de São Sebastião do Paraíso. O diretor é pessoa muito séria, competente e profissionais que atuam ali, também. No desenrolar da operação, no ano passado um policial penal foi preso em flagrante, imagino que o Tribunal tenha lhe concedido liberdade. Pelo que sei, está afastado e não trabalha mais”.

O promotor explica que o tráfico era exercido por essas pessoas também em outras cidades vizinhas, como Pratápolis, Itaú de Minas e Monte Santo de Minas. “A Operação Entre Muros, foi muito bem planejada, com muitos detalhes, cuidado necessário para preservação dos policiais, como de pessoas envolvidas. Foi um planejamento diferenciado”.

O comandante do 43.º BPM, tenente coronel Assis ressaltou que São Sebastião do Paraíso está na divisa com o Estado de São Paulo, cerca de três a quatro horas da capital paulista, uma hora de Ribeirão Preto, e faz parte da chamada “Rota Caipira do Tráfico”, ou seja, caminho de traficantes que seguem em direção a Belo Horizonte e outras regiões. “Então é muito importante que a gente esteja sempre atento, realizando esse tipo de operação. A operação se iniciou há mais de um ano a partir de uma denúncia, e foi desencadeada com o apoio do Ministério Público e do Judiciário. É um recado dado para infratores que aqui no município não iremos permitir que nenhuma organização criminosa, que traficante se instale”. O comandante agradeceu ao Ministério Público e Judiciário “que não mediram esforços em apoiar ações da Polícia Militar”.