NOTA DENÚNCIA

Santa Casa de Paraíso emite nota sobre denúncia de crise financeira

Provedoria afirma que atrasados são fruto de "ausência de repasses das fontes de custeio"; Prefeito diz que SUS está em dia: “Ainda adiantamos R$ 600 mil”
Por: Ralph Diniz | Categoria: Saúde | 19-06-2024 08:40 | 1437
Foto: Arquivo JS

Após denúncias de sérios problemas financeiros, a Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso e o prefeito da cidade responderam alegações recentemente divulgadas. O Jornal do Sudoeste publicou matéria na edição impressa de sábado e em nosso portal www.jornaldosudoeste.com.br, 15,  alegando atrasos no pagamento de salários de funcionários e em outras despesas essenciais do hospital, além da supressão de coordenadores em departamentos vitais.

As informações foram repassadas ao “JS” por funcionários que preferiram não se identificar. Segundo eles, existe um sentimento de “tensão crescente”, com a equipe do hospital relatando sobrecarga de trabalho e insegurança quanto ao recebimento de seus salários. "Estamos trabalhando no limite, tanto emocional quanto fisicamente, e ainda temos que lidar com a incerteza de nossos pagamentos", comentou um dos funcionários sob anonimato.

A nota divulgada no sábado, 15, assinada pela provedoria da instituição após a veiculação da reportagem destaca: "A Santa Casa de Misericórdia informa que o orçamento mensal para pagamento de colaboradores e fornecedores demanda uma série de fatores e repasses financeiros de entes públicos e entidades privadas, e pelo caráter filantrópico da instituição, todos os recursos angariados pela instituição são utilizados para pagamento de despesas e manutenção do sistema sanitário da população."

Sobre os atrasos salariais, a provedoria do hospital explicou que são resultado de "ausência de repasses das fontes de custeio". A instituição assegura que, uma vez recebidos os repasses, os pagamentos são efetuados imediatamente.

Quanto às reestruturações de cargo, a nota oficial da provedoria declara: "Estamos em constantes alterações de fluxo para tentar melhor atender a população com um custo de operação menor. Infelizmente a realidade da Santa Casa não permite a manutenção de todos os colaboradores e cortes são necessários, na tentativa de atender o interesse da população e manutenção assistencial."

Após a publicação da nota no perfil da Santa Casa Instagram, o prefeito Marcelo Morais se pronunciou nos comentários, informando a inexistência de atrasos nos repasses por parte do Sistema Único de Saúde (SUS). "Informo como Gestor do SUS na cidade que não existem pagamentos atrasados por parte do SUS e que ainda adiantamos R$ 600 mil que deveriam ser pagos após produção por parte do hospital para justamente custear suas despesas," declarou Morais. Ele também ressaltou que há "4 milhões para serem feitos em cirurgias eletivas do programa ‘Valora’ e que basta haver produção das mesmas para o recurso ir para a instituição."

No último parágrafo da nota, a administração do hospital afirma que a resposta foi enviada ao “JS” a tempo de ser publicada, contudo, “por algum motivo técnico, não foi recepcionada” pela reportagem. Contudo, a explicação é improcedente, uma vez que o responsável pela comunicação da instituição somente encaminhou a resposta para esta reportagem na tarde de sábado via WhatsApp, única ferramenta pela qual as partes conversavam desde a manhã de quinta-feira, 13.