FOLCLORE OLÍMPIA

“Diamante” representará Paraíso no Festival do Folclore em Olímpia

Por: Bruno Félix | Categoria: Acidente | 30-07-2017 13:07 | 2526
Terno de Moçambique Diamante levará cultura e religiosidade paraisense para o festival
Terno de Moçambique Diamante levará cultura e religiosidade paraisense para o festival Foto: Divulgação

O Terno de Moçambique Diamante será o representante de São Sebastião do Paraíso no Festival do Folclore em Olímpia (SP). A 53ª edição do Fefol (Festival do Folclore de Olímpia) que acontecerá no período entre 5 e 13 de agosto no Recinto de Atividades Folclóricas e Turísticas Professor José Sant´anna. São 24 grupos de outros estados, oito de São Paulo e 19 da cidade anfitriã.
Tudo começou em meados da década de 50 quando José Sant’anna, criador dos Festivais do Folclore, durante sua atividade pedagógica, se descobriu com vocação ao estudo do folclore brasileiro. Ao elaborar pesquisas e exposições acerca do assunto, empreendidas com auxílio de seu alunado e restritas ao âmbito escolar, o professor as transcendeu ás ruas olimpienses realizando assim em 1965, o 1º Festival do Folclore de Olímpia, evento que é hoje detentor de alto prestígio e que em razão de tais méritos tornou-se de projeção nacional, ensejando à Olímpia o consagrado título de “Capital do Folclore”.
Como nas demais edições, resgatar e preservar as manifestações da Cultura Tradicional de todas regiões do país proporcionando a interação entre todos os integrantes nos alojamentos, no refeitório e no local de confraternização, tornou-se um dos principais objetivos do festival. O Festival do Folclore é um encontro da cultura Brasileira. Além de preservar e manter a cultura popular o Festival fomenta o comércio, o turismo e os serviços na cidade. Olímpia mantém e incentiva durante todo o ano grupos ligados ao setor, os quais hoje são 15 Folclóricos e 3  Parafolclóricos. O estudo de folclore no município faz parte do currículo escolar nas escolas públicas e privadas e para o futuro é almejada a criação da Universidade Livre de Folclore.
Considerado como o mais antigo e tradicional Terno de Moçambique de São Sebastião do Paraíso, o Diamante foi fundado por José Pedrinho, em 1929. O grupo se apresenta em vários eventos do País e já esteve em Olímpia por várias edições. Através do canto, da dança e da manipulação de objetos simbólicos saúdam santos. Durante todo o ano difunde a fé, a cultura e a tradição de identidade cultural popular tradicional. No mês de maio eles homenageiam São Benedito e Nossa Senhora do Rosário.
Também de Minas Gerais participará o Grupo Folclórico Aruanda, apontado como um dos maiores representantes da cultura parafolclórica do Brasil. Em atividade desde 1960, é o mais antigo grupo nacional de projeção folclórica tendo seu trabalho reconhecido nacional e internacionalmente e também por possuir um “guarda-roupa” considerado dos mais belos, extensos e variado. O nome Aruanda tem sua origem no refrão de uma música cantada no Maracatu e quer dizer: Terra de luz, terra de paz, mansão dos bem aventurados.
O Grupo de Tradição Folclóricas Fitas, de Montes Claros (MG) é outra atração mineira no festival. Fundado em 2005 por um grupo de amigos, ele tem se estruturado com a participação de diversos dançarinos de variadas áreas de formação e por pessoas da comunidade, engajadas e admiradoras da cultura. Internacionalmente conhecido, o grupo já participou de alguns Festivais Internacionais de danças folclóricas, como o de Trujillo, no Peru, e San Bernardo, no Chile.