ENTRETANTO

Entretanto

Por: Renato Zupo | Categoria: Justiça | 16-03-2022 17:09 | 255
Entretanto Renato Zupo
Entretanto Renato Zupo Foto: Arquivo

Armistício próximo
A Ucrânia entrou definitivamente no mapa do mundo ocidental – muitos nem sabiam onde era este país que é o segundo  maior da Europa, acredite se quiser.  Lá também já foi conquistado por Vikings e mongóis – Gengis Khan à frente. E os cossacos, aqueles caipiras russos dançarinos com chapéus peludos, na verdade são ucranianos. Muita coisa do folclore e das histórias que ouvimos e acreditamos ser russo, na verdade é da Ucrânia, que resiste bravamente às forças armadas de Putin e criam, com isso, identidade própria perante a OTAN e o resto do mundo. As causas da ex- União Soviética são justas, mas nem assim se justifica a burrice da guerra invasiva, já com pesadas baixas de ambos os lados e prejudicando a economia mundial.  Justamente por isto o armistício está próximo, o cessar fogo será breve: Putin viu a besteira que cometeu. Se seu amigo Trump ainda estivesse governando aos EUA, essa guerra insana jamais teria sido deflagrada.

Lula e Kalil
O líder do PT quer buscar Elias Kalil em Minas para derrubar em uma só pancada Bolsonaro e Zema. Vão tomar é duas bordoadas, a estadual e a federal. Já disse isso aqui: neste espaço não há espaço para partidarismos e muito menos coloração político partidária. Sou magistrado antes de ser escritor e articulista e quem quiser juiz pimpão, aparecidão e metido a salvador da pátria, que vá procurar o Sérgio Moro. Só que não dá para deixar de mencionar o óbvio. Lula navegou em águas tranquilas e soube conter seus xiitas do PT, por isto fez um bom governo, mas deixou uma conta para ser paga pelos seus sucessores que simplesmente quebrou o país. Isto sem contar a corrupção em que se imiscuiu e que o levará a tomar uma sova de Bolsonaro no segundo turno – aí a esquerda vai aprender o que são pesquisas eleitorais tendenciosas.  Kalil foi um grande dirigente esportivo (evito falar cartola) e é um excelente prefeito para Belo Horizonte, queria a ele no meu time e na minha cidade, mas Romeu Zema é simplesmente a maior novidade positiva do cenário político brasileiro dos últimos vinte anos – derrotaria JK, se o Nonô retornasse dos mortos. E olhem que acho nosso atual governador por vezes conciliador demais. Ainda assim, não é político profissional, é honesto e bem-intencionado. Neste país, essas características não são obrigações do homem público, são qualidades, e Romeu as têm de sobra.

De quem é a culpa do aumento da gasolina?
Vou tomar pancada de novo,  mas me recuso a mentir para agradar quem quer que seja: o combustível brasileiro não  está caro. No mundo inteiro ele subiu, e os preços de determinados produtos são internacionalizados e ditados pela balança comercial e pelas bolsas de valores do planeta. A Venezuela tentou “nacionalizar” seu preço da gasolina, porque grande produtora de petróleo, e quebrou. Você paga por um litro de gasolina aqui o que (mais ou menos) paga nos EUA ou na Espanha.  A diferença entre nós e os países mais ricos do mundo é que a renda média brasileira é menor do que a de americanos e europeus ocidentais, e por lá pobre não precisa ter carro. O transporte público é seguro, barato e de qualidade. Só no Brasil vemos o fenômeno do cidadão que compra um automóvel sem dinheiro para abastecê-lo, coisas da necessidade de quem tem que sair para trabalhar e deixar filho na escola e não pode contar com boas linhas de ônibus e metrô confiável, confortável e seguro. E quem seriam os vilões mundiais e brasileiros do aumento de preços de combustíveis? Por aqui, a tributação, sobretudo estadual. Governadores não se conscientizaram de que o governo federal não pode simplesmente fabricar mais moeda para conter a inflação. A Petrobras, também, associa períodos de escândalos de corrupção política com maus negócios lá fora – sua direção comprou uma refinaria falida na Califórnia e Lula deixou seu colega Evo Morales tomar da Petrobras um gasoduto na Bolívia. No exterior, creditem à pandemia e à guerra da Ucrânia a responsabilidade pelo aumento, que muitas vezes é preventivo. Notem bem. O preço do barril de petróleo não sobe porque fatores econômicos adversos forcem o aumento, mas porque prognósticos do mercado sugerem prejuízos futuros. É, aliás, um mercado futuro em que petróleo virou commodity.

A blindagem do STF
Sou juiz de direito há vinte e três anos. Passei por inúmeras cidades do interior de Minas e inclusive sua capital, judicando. É claro que sempre tem algum psicopata que quer matar juiz e tive que me precatar em um ou outro momento,  mas no geral vivi e vivo sem problemas ostensivos com a minha segurança  pessoal e a de meus familiares. É claro que não dá pra comparar a minha exposição à dos ministros do STF, ou de Joaquim Barbosa e do ex juiz Sérgio Moro. Esses são macro expostos. No entanto, preocupa que se veja a juízes como inimigos deste ou daquele lado da política, a ponto do STF precisar blindar estruturas e veículos oficiais dos ministros, reforçar sua segurança, criar uma polícia armada interna e comprar armamento para garantir a salvaguarda física daqueles que são, hoje, os reais gestores da nação.  Uma república com esse tipo de preocupação é uma república doente.

O dito pelo não dito:
“Inflação é a arte de falsificar a moeda por conta do Estado.” (Sofocleto, filósofo grego).
RENATO ZUPO – Magistrado, Escritor