ENTRETANTO

Entretanto

Por: Renato Zupo | Categoria: Justiça | 04-01-2023 03:57 | 3090
Foto: Reprodução

Ele chegou
ccomo todos os anos. Desejo que tenhamos segurança pública e jurídica para o novo ano, que voltemos a acreditar nas instituições e que aprendamos que a pátria é muito maior que as diferenças ideológicas.

Pelé
Certa vez peguei um taxi em New York, quando por lá estive em mais um evento literário.  O taxista miraculosamente era um americano e não um imigrante da Venezuela ou da Jamaica, mas se chamava André e era um negro descendente de franceses e escravos de New Orleans. Quando soube que eu era brasileiro relatou que já jogou o nosso futebol - que por lá se chama  soccer - no New York Cosmos ao lado  de Carlos Alberto Torres e de Pelé. Ele tinha muito orgulho disso e quando soube que Carlos Alberto, o eterno “capitão do tri”, havia falecido (então) recentemente, seus olhos se encheram de lágrimas. Aí percebi que aquele homem falava a verdade. Hoje André, e o mundo, estão mais tristes com a perda do brasileiro mais famoso de todos os tempos, um homem genial que nos enche a todos os seus compatriotas de enorme orgulho por sermos seus compatriotas.  Há idiotas por todo lado que questionaram Pelé em vida porque não reconheceu a paternidade de uma das filhas, ou porque não defendia a igualdade racial e ainda se calava diante da ditadura. Tolos. Pelé fez muito mais pelos filhos de todos nós, pela liberdade e pelos afrodescendentes, tudo com a bola nos pés, do que uma centena de políticos e um milhão de militantes.

Programa tardio
Lula concorreu às eleições (que ganhou?) com uma única proposta política: destronar Jair Bolsonaro. Foi de uma insensatez e de uma irresponsabilidade atrozes, porque não se preparou para governar a um país de mais de 200 milhões de habitantes e agiu como um valentão de bar -, mas é inegável: funcionou. Agora ele corre com projetos e plataformas e planeja rever inúmeras medidas que foram tomadas pelo governo que se foi. Vai mexer com as armas de fogo, com a isenção de impostos sobre combustíveis, vai rever toda a política econômica bolsonarista que funcionou bem demais, o que também é inegável. Vai mexer em time que está ganhando e já conseguiu romper o teto para auxílios sociais através da caneta de um ministro supremo – convenhamos, pra quê congresso? Deixemos o STF nos governar, porque já é o que vem sendo feito. Tomara que Lula não reveja o pix e o fim do horário de verão também.

Viagem para  os EUA
É coisa de uma asquerosa republiqueta de bananas essa cafonice de depor presidente, prender presidente, soltar, tornar inelegível e depois elegível de novo, e eleito, e gastando-se milhões com processos pra depois acabar tudo em pizza.  Falo de cadeira: fui juridicamente contra as prisões de Lula e Temer, e o impeachment de Dilma, tudo sem pé nem cabeça do ponto de vista do Direito. Temer é um velhinho de oitenta anos preso preventivamente por um crime antigo, hoje absolvido, nem o PT gostou da cena deplorável dele conduzido por brutamontes armados. Lula foi processado por corrupção passiva por ato que cometeu fora da presidência, quando não era mais servidor público. Dilma não cometeu crime algum, só era uma incompetente arrogante. Agora falam em prender Bolsonaro e o homem não pode viajar a passeio que já intuem que está em fuga. Regredimos demais. A quem interessa tanta ignorância?

Olavo tinha razão
“A diferença entre o nazismo e o comunismo é que o nazismo prometia o impossível somente aos alemães, o comunismo promete-o à humanidade inteira. É a diferença entre a merda nacional e a merda internacional.” (Olavo de Carvalho – em 2015).

Aumento de combustíveis?
Se Lula revogar a isenção de impostos federais sobre combustíveis, os preços da gasolina e do diesel nas bombas vão subir rápido e afetar a todo o mercado. Mais ainda o diesel, do qual não detemos a capacidade de refino e que temos que importar graças aos inúmeros escândalos e falcatruas que impediram à Petrobrás conquistar nossa independência energética. E vai (de novo) mexer em time que está ganhado. Que ele critique Bolsonaro à vontade, seu adversário político e ideológico, afinal de contas. Deve, porém, ter a humildade de não retroceder na economia que deu muito certo em tempos pós pandêmicos nas mãos de Paulo Guedes (que eu tanto critiquei aqui – e estava errado).

O dito pelo não dito:
“Estar preparado para a guerra é um dos meios mais eficazes de preservar a paz.” (George Washington,  estadista americano e primeiro presidente dos EUA).