FORTE ESQUEMA DE SEGURANÇA

Envolvidos na morte de homem no interior de igreja são ouvidos em audiência

Por: Nelson Duarte | Categoria: Justiça | 24-01-2023 16:11 | 2247
Foto: Jornal do Sudoeste/Nelson Duarte

Sob forte esquema de segurança envolvendo policiais Civis, Militares e Polícia Penal, foram ouvidos no fórum de São Sebastião do Paraíso envolvidos no homicídio ocorrido na noite de 10 de julho do ano passado, no interior de uma igreja no bairro João XXIII. Kauê Alves dos Santos participava de um culto e foi executado com três tiros a queima roupa.

Na audiência conduzida pela juíza Édina Pinto, da Vara Criminal da comarca, foram ouvidos quatro envolvidos, sendo três de forma presencial, e um, por videoconferência no Ceará, apontado como o mandante do crime.

Dois envolvidos estão presos no Presídio em São Sebastião do Paraíso. Uma mulher que é suspeita de fazer parte do bando e está presa em Alfenas, também foi ouvida presencialmente.

O CRIME
Kauê Alves dos Santos participava de culto em uma igreja no bairro João XXIII em São Sebastião do Paraíso na noite de 10 de julho do ano passado. Um homem adentrou ao templo, foi em direção a ele, sacou a arma, pediu que outras pessoas se afastassem, e efetuou disparos de pistola 40 milímetros a queima roupa. Kauê nasceu no Estado do Tocantins, e estava em Paraíso há pouco tempo.

Com ajuda de comparsas o autor fugiu, mas foram interceptados e presos pela Polícia Rodoviária Federal na BR 116 na manhã de segunda-feira (11/7) em Teófilo Otoni.

Conforme apurado pela Polícia Civil em São Sebastião do Paraíso, a morte de Kauê foi crime encomendado, motivado por vingança. Segundo o delegado regional, Tiago Bordini, Kauê estaria envolvido na morte de duas pessoas de 79 e 34 anos, mortas dentro de casa, no centro de Pindoretama (CE).

Pelo menos uma delas seria parente do comerciante e vereador José Pereira da Silva, o “Nego Bom”, 42 anos, preso no início de outubro do ano passado, logo após uma sessão da Câmara Municipal. Eleito nas eleições de 2020 com 866 votos, foi o vereador mais votado em Pindoretama. Investigações o apontam como mandante do crime, mas ele nega.

Após os homicídios em Pindoretama, Kauê veio para Paraíso, mas foi descoberto após o incidente em que uma criança de sua família foi ferida por disparo de arma de fogo, o que foi noticiado.